PF deveria olhar no site de Dilma, diz líder do DEM | Fábio Campana

PF deveria olhar no site de Dilma, diz líder do DEM

pol

Severino Motta, Veja

Para o líder do DEM na Câmara, Pauderney Avelino, a possibilidade de se fazer doações via boleto bancário na ‘vaquinha virtual’ que está sendo feita por Dilma Rousseff é algo que deveria ser observado de perto pela Polícia Federal e pelo Ministério Público.

Pelo sistema, basta se colocar um número qualquer de CPF ou CNPJ (há vários na internet) para que um boleto seja gerado.

Num caso como esse, o boleto pode ser pago sem que se saiba efetivamente quem está doando e de que cofre veio o dinheiro.


6 comentários

  1. RR
    quinta-feira, 30 de junho de 2016 – 19:25 hs

    VAGABUNDO QUE DA DINHEIRO PRA LADRÃO,NÃO É DIFERENTE.

  2. Helena
    quinta-feira, 30 de junho de 2016 – 20:49 hs

    Certamente são nossos dinheiros roubados que estão abastecendo o cofrinho dessa senhora, através dos centenas de laranjas que existem por aí…

  3. Zé Venancio
    quinta-feira, 30 de junho de 2016 – 20:52 hs

    Vindo do Pauderney, do DEM…
    É de se estranhar que fique indignado com diações de qualquer natureza…

  4. GUARAPUAVA
    quinta-feira, 30 de junho de 2016 – 21:50 hs

    PGR quer anular leis do Paraná que permitiram progressão de auditores
    Segundo a ação, agentes fiscais viraram auditores sem concurso público.
    Governo do Paraná diz que não houve ilegalidades e questiona ação.
    O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que sejam declarados inconstitucionais trechos de leis que permitiram a agentes fiscais do Paraná a progressão de cargo para auditores. Segundo Janot, que pediu uma liminar, a maioria deles subiu na carreira de forma irregular, sem concurso público.
    As leis questionadas por Janot são de 2002 e de 2010. Na ação, a Procuradoria-Geral da República (PGR) aponta problemas na investidura em novo cargo público, de auditor fiscal, que possui nível de complexidade e escolaridade diferente do que aquele inicialmente ocupado pelos servidores. Além disso, a ação ainda aponta a necessidade de novo concurso para ocupar os cargos de auditores.
    “As transformações de cargos resultarão no pagamento de remuneração em valores superiores aos devidos, e consequentemente, em dispêndio indevido de receitas públicas”, afirmou Janot.

  5. sergio silvestre
    sexta-feira, 1 de julho de 2016 – 13:09 hs

    ESSE SOSIA DO DURVAL AMARAL É DE EXTREMA CONFIANÇA,PROBIDADE E BOA CONDUTA.

  6. Carlos
    sexta-feira, 1 de julho de 2016 – 23:37 hs

    Guarapuava,
    Aproveite e publique também a análise da AGU na ADI 5510 dizendo que as alterações promovidas pela LC 92/2002 e 131/2010 são inteiramente CONSTITUCIONAIS.
    Publique também o que a Procuradoria Geral da República disse na ADI 4730/DF, que tratou de uma situação de unificação de três carreiras distintas, de nível médio e superior – A PGR disse que isso NÃO VIOLA A CONSTITUIÇÃO (no Paraná sequer houve unificação de qualquer carreira, pois a única existente, de Agente Fiscal, mudou apenas de nome e inseriu o requisito de curso superior para as novas investiduras).
    Cite também a ADI 2335/SC, que foi julgada improcedente pelo pleno do STF, ou que a ADI que tratou da unificação de diversas carreiras no Ceará, dentre as quais até de motoristas, no cargo de auditor fiscal, e com justeza foi declarada inconstitucional, e que em nada se parece com o ocorrido no Paraná.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*