Paulo Bernardo recebeu quase R$ 6 milhões em apenas um contrato | Fábio Campana

Paulo Bernardo recebeu quase R$ 6 milhões em apenas um contrato

bernardo

Terminou hoje ao meio-dia a entrevista coletiva que detalha a Operação Custo Brasil, que prendeu o ex-ministro Paulo Bernardo. O delegado Rodrigo Campos disse que “Todo o trabalho de investigação tem sido feita de forma muito séria, objetiva, com um corpo de provas muito robusto. Por isso, temos mandados de prisão preventiva”.

O delegado diz que as provas que analisaram mostram que houve a formação de uma organização criminosa no Ministério do Planejamento. “Organização essa que era encabeçada pelo ministro [Paulo Bernardo]”. De acordo com o procurador Andrey Mendonça, o crime começou em 2009 e terminou com a operação Pixuleco, em agosto de 2015.

Campos acrescenta que por um período, o ex-ministro Paulo Bernardo recebeu 9,5% do faturamento da Consist, e isso caiu ao longo do tempo, chegando a algo em torno de 2%. Andrey Mendonça explicou que “Quando ele saiu do ministério, caiu pela metade”.

“Os R$ 7 milhões foi o que se apurou em notas da Consist foi para o escritório de advocacia. O que apuramos foi que 80% ia para Paulo Bernardo”, diz o procurador Andrey Borges de Mendonça. O ex-ministro teria recebido, então, cerca de R$ 5,6 milhões. “É algo ainda em apuração.” Mas Mendonça explica que isso é de apenas um contrato, ainda precisa apurar se há outros e quantos são.

“R$ 100 milhões é um dado geral, um levantamento, a gente espera, com as provas, estabelecer o valor”, diz o delegado Rodrigo Campos. O procurador Mendonça diz que as porcentagens foram mudando ao longo do tempo. “Não é fácil fazer esse cálculo”


3 comentários

  1. COMANDO
    quinta-feira, 23 de junho de 2016 – 12:40 hs

    E depois vem gente dizendo “é golpe” bando de safados…

  2. Macambúzio
    quinta-feira, 23 de junho de 2016 – 13:02 hs

    Será que a PF não poderia dar uma olhadinha nuns contratinhos do MCMV/CEF em nome de empresa de arquitetura de filhos de conhecidíssimos petistas da Capital? Vai lá, PF, eu garanto que é “tiro e queda”!!!!

  3. Roberto Carlos Cassou
    quinta-feira, 23 de junho de 2016 – 15:41 hs

    O Macambúzio está certo.
    Dizem que tem ex deputado estadual e pai de vereador no esquema de financiamento de construção da Caixa Econômica.
    Basta a Polícia Federal dar uma mexida nesse caso e a casa cai.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*