Ninguém manda nessa nega, diz Tia Eron | Fábio Campana

Ninguém manda nessa nega, diz Tia Eron

Conselho de Ética e a expectativa do voto de Tia Eron.

Em um discurso inflamado, a deputada Tia Eron (PRB-BA) criticou os parlamentares que a citaram nas reuniões anteriores do Conselho de Ética. Voto decisivo no processo que pode culminar na cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ela disse que votaria com a sua consciência, mas manteve durante seu discurso suspense sobre a sua posição na votação desta terça-feira, 14. As informações são do Estadão.

Durante a sessão de ontem, Tia Eron também negou ter sofrido influência do ministro Marcos Pereira (Desenvolvimento, Indústria e Comércio), presidente licenciado do PRB, mas admitiu que recebeu “conselhos” do senador licenciado Marcelo Crivella (PRB-RJ) e do deputado Celso Russomano (PRB-SP) – pré-candidatos às eleições municipais. “Vossas excelências me julgam por aquilo que são”, rebateu a deputada, acusada de estar sendo influenciada para votar a favor de Cunha.

“Marcos Pereira é professor, vossas excelências deveriam ter uma aula com ele”, ironizou. Eron afirmou que Pereira a deixou livre e em paz para votar como quisesse. “Hoje (terça-feira), diferentemente da semana passada, me surpreendeu os senhores não me procurarem, nem se quer citarem meu nome, entenderam que de fato não mandam nessa nega aqui. Nenhum dos senhores manda”, declarou a deputada. Eron afirmou que, durante a votação da semana passada, que foi adiada, estava assistindo aos pronunciamentos do colegiado pela televisão “para poder olhar nos olhos de cada um”. “Os olhos refletem mais do que a boca tem de coragem de dizer. Eu fiquei observando e durante as falas de determinados colegas eu chegava a ficar em pé para poder ouvir.”

A deputada fez uma comparação do período de análise do processo, que já dura há quase nove meses, com uma gestação. “Precisam chamar Tia Eron para resolver. Tia Eron está aqui para resolver o que o os homens sozinhos não conseguiram resolver”, provocou. A congressista reclamou de ter sido “tão citada, convocada, tripudiada e até requisitada”, pelos membros do colegiado. “E aqui eu estou, como sempre me comprometi com esse Brasil desde o primeiro dia que cheguei nesse conselho.”

Em resposta ao deputado Nelson Marchezan Júnior (PSDB-MG), que questionou na semana passada se ela teria sido “abduzida”, a parlamentar disse que não há espaço para esse tipo de “gracejo” no colegiado, pois o momento pede seriedade. Eron defendeu ainda que o conselho precisa ser repensado para atender os anseios da população. “Estamos aqui como julgadores, cada um precisa primeiro ter a capacidade de olhar para dentro de si. Esse conselho precisa ser ‘ressignificado'”, sugeriu.

Eron sentou ao lado do deputado Júlio Delgado (PSB-MG), contrário ao presidente afastado da Câmara, e citou ele ao fim de sua fala. “Quero votar com aquilo que Delgado falou no dia do impeachment, ele disse que o irmão dele falou ‘você não está em paz’. E você pode brigar com sua mulher, com seus eleitores, com o Brasil, mas você não pode votar contra a sua consciência, é o que farei na tarde de hoje”, concluiu.


9 comentários

  1. Zé Venancio
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 20:54 hs

    À deputada Tia sobrou a dignidade que seus pares golpistas não tem.

  2. PIXULECOZINHO
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 22:04 hs

    PÔ TIA ERON, VOTA LOGO, E MANDA ESTE EDUARDO CUNHA PARA OS QUINTOS DOS INFERNOS …

  3. Flávius
    quarta-feira, 15 de junho de 2016 – 0:50 hs

    Vá entender, se sou eu a usar tal expressão, sou linchado como racista, mas qualquer Tia pode me chamar de branquelo azedo que não dá nada…

  4. crdl
    quarta-feira, 15 de junho de 2016 – 7:36 hs

    Pronto já teve dois minutos de fama. Agora será convidada a posar para alguma revista. kkkkkkk

  5. xiru de palmas
    quarta-feira, 15 de junho de 2016 – 7:54 hs

    Na verdade esta deputada, que votou de forma digna, quer aproveitar o momento e ficar na vitrine.
    Se fosse realmente consciente votaria e não faria o alarde que fez

  6. ELEITOR
    quarta-feira, 15 de junho de 2016 – 9:15 hs

    SÓ MANDA NELA O PARTIDO, O PRESIDENTE OS MEMBROS DO PARTIDO ……..

  7. Do Interior
    quarta-feira, 15 de junho de 2016 – 9:32 hs

    Essa aí não me inspira confiança. Fez segredo para conseguir holofotes. E votou pela pressão, contra a vontade dela.

  8. Recruta Zero
    quarta-feira, 15 de junho de 2016 – 10:09 hs

    Postura digna e ímpar dessa Senhora (Tia Eron), que manteve o silêncio de Magistrada para proferir seu voto no momento certo. Parabéns. Com referência à senadora do Paraná……que lástima. Espero que nas próximas eleições os paranaenses não a elejam, isto é, caso ela não esteja impedida legalmente de se candidatar a algum cargo eletivo.

  9. Antonio Carlos
    quarta-feira, 15 de junho de 2016 – 15:25 hs

    Infelizmente o circo acabou e a Tia Eron vai voltar para a platéia e, dificilmente sairá dela novamente. Fez o que tinha que fazer som dedicar o voto à mamãe, ao papai e aos netinhos e netinhas, se é que já os tem, Enfim fez o que devia.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*