Barros quer reduzir preços de medicamentos | Fábio Campana

Barros quer reduzir preços de medicamentos

Saude_

O ministro da Saúde Ricardo Barros quer fortalecer o Complexo Industrial da Saúde. Nesta quarta-feira (29), durante o 6º Fórum Latino Americano de Biossimilares, realizado em Brasília, ele destacou a importância da competitividade do setor para a sustentabilidade do Sistema Único de Saúde (SUS). Entre as ações estão o aumento da concorrência, redução de preços e maior eficiência das parcerias de transferência de tecnologia entre empresas públicas e privadas.

O aprimoramento das Parcerias de Desenvolvimento Produtivo (PDP) tem o intuito de induzir o processo de transferência de tecnologia para garantir o melhor custo benefício para o SUS, tendo em vista, por exemplo, o prazo de vencimento dos medicamentos. “Reunirei os laboratórios públicos e privados para que juntos possamos avaliar o processo em andamento e com isso buscar alternativas para aprimorar o modelo existente”, declarou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Ainda no evento, o ministro destacou a importância dos medicamentos biológicos para a redução nos gastos com compras de medicamentos no SUS. “É uma área de muito interesse do governo, nós temos gastos bilionários com esses produtos. É um investimento importante para a saúde dos brasileiros”, destacou Barros. Atualmente, o Ministério da Saúde disponibiliza 26 medicamentos biológicos à população pelo SUS e, sozinhos, eles consomem 51% do orçamento para compra de medicamentos.

PDP’s – O Ministério da Saúde tem buscado investir cada vez mais em parcerias para a produção de medicamentos e vacinas. Atualmente, o ministério possui 81 parcerias vigentes envolvendo 18 laboratórios públicos e 46 privados. Esses acordos preveem o desenvolvimento de 78 produtos (47 medicamentos, 4 vacinas e 27 produtos para saúde). As PDP’s são destinadas à transferência de tecnologia entre instituições públicas e privadas e às encomendas tecnológicas vinculadas às demandas de produtos estratégicos para SUS. Esses acordos devem gerar uma economia de R$ 5,3 bilhões por ano em compras públicas.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*