A disputa de Curitiba une forças contra Fruet | Fábio Campana

A disputa de Curitiba une forças contra Fruet

1 – A fragilidade de Gustavo Fruet, do PDT, estimula o surgimento de candidaturas e de coalizões de forças para derrubá-lo. É nesse contexto que se dá o entendimento entre Rafael Greca e Luciano Ducci. Este se convenceu de que não teria o apoio e a estrutura necessária para enfrentar o desafio. Abriu mão e vai apoiar Greca, o que mais se aproxima de sua posição.

2 – Na outra ponta, Ney Leprevost se fortalece com um apoio substancial, o de Ratinho Jr, que fez significativa votação em 2012, quando venceu o primeiro turno. Vai apoiar Ney, que tem seu eleitorado concentrado na classe média para cima. Ratinho entra com a sua popularidade nas faixas da classe média para baixo. Parece um casamento perfeito.

3 – Esses entendimentos irritam Requião e seu isolado PMDB. Reduz siginificativamente as chances de seu filho, Maurício, que mantém a candidatura.

4 – O PSDB não está morto. Vai lançar Paulo Martins, hoje deputado federal, com grande capacidade retórica, para defender as cores de Beto Richa e seu governo.

5 – Há, ainda, a candidatura de Francischini, que se mantém nas posições intermediárias das pesquisas de opinião.

6 – E correndo em faixa própria, numa campanha crescente, a jovem Maria Vitória, do PP.

Como se vê, o espaço de Fruet é cada vez menor e já há quem aposte que ele não vai para o segundo turno. Talvez nem chegue em terceiro.


12 comentários

  1. Ketlin Pamella
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 13:34 hs

    Nas eleições de 2012 Fruet também não iria nem para 2° turno!

  2. Antonio Carlos
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 14:40 hs

    Com um cenário tão dividido corremos sério risco de termos este palerma mais uma temporada chorando à frente da Prefeitura. Ou
    esta renca toda de candidatos se unem, ou poderemos ter este palerma de novo. Quem quer o mais do mesmo, ao estilo querida companheira?

  3. Diego Florentino
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 14:46 hs

    Fruet ainda é o favorito, after all..

    Fico com calafrios quando citam o Ney Leprevost como solução. Infelizmente é um canditato com viés totalmente socialista, suas propostas se baseiam unicamente no atendimento dos menos favorecidos, como se o estado fosse uma grande mãe. Essa visão de estado deu no que deu com o PT no poder.

    O Requião é esquerda de fundo de quintal, dessa bolivarianista.

    Maria Vitória, Paulo Martins e Francisquini tem chances remotas, apesar do delegado ser um candidato com idéias pragmáticas para problemas existentes.

    Quem sobra nesse bolo inteiro é o R Greca. Que já foi de tudo na vida, mas tem experiência e capacidade suficiente para tocar a cidade do jeito que precisa.

    Curitibanos, saibam escolher. Nem tudo que brilha é ouro.

  4. Viva o MBL
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 15:05 hs

    Quem diria, um cara de “direita” topando defender as ações impopulares de Beto Richa, indo contra o “politicamente correto”.
    Mais um prova que esses “progressistas” de plantão (que lá atrás eram contras as manifestações que derrubaram Dilma) só que querem se aproveitar da máquina pública para terem algum sustento na vida.

    Força Paulo Martins, você representa o eleitorado que está cansado das benesses do setor publico e desses movimentos “sociais” que só querem privilégios e vadiar.

  5. Estatística
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 15:21 hs

    Outro dia saiu uma reportagem no The Guardian inglês falando sobre Curitiba. Grandes elogios a quem? Jaime Lerner. Parece(?) que ninguém mais fez nada pela cidade. Vamos continuar assim?

    Está difícil… Vamos tentar escolher o menos pior, de novo.

  6. lika
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 15:40 hs

    Noooosssa, vai ser moleza pro Fruet, com esse bando de mankos aí, não dá nem egundo turno.

  7. Amanda Ferraz
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 16:17 hs

    Meu voto é No Ney, esse eu confio o resto agente já conhece !!!

  8. Jair Vasconcelo
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 16:30 hs

    O Ney Leprevost é disparado o mais preparado, ta surfando sozinho no meio desses laranjas!

  9. Pedro vencel
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 16:32 hs

    tadinho do fruet, a incompetência demonstrada não vai garantir nunca uma reeleição, muito fraco!

  10. Thiago Hart
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 16:38 hs

    Francis, Paulo Martins, Victoria e Requião vão fazer barulho mas não me parecem terem força para chegarem lá. A disputa se dará entre Fruet (apenas por causa do uso da máquina), Leprevost (novo que agrada aos ricos e aos pobres com Ratinho) e Greca (com seu nome já conhecido). Um desses três será o futuro prefeito e que Deus nos proteja!!Se fosse hoje eu votaria no Paulo Martins como voto de opinião e no pra valer do segundo turno fico com Leprevost.

  11. Observador Atento
    terça-feira, 14 de junho de 2016 – 22:00 hs

    Fruet que era uma esperança para Curitiba transformou-se numa decepção. O eleitor curitibano deu um voto de confiança em um político que havia se destacado como deputado. Infelizmente Fruet nos decepcionou. Hoje consta-se que a experiência em administrar uma chácara ( só o anão acreditava) é muito diferente de administrar uma cidade. Fruet poderia ter compensado sua incompetência administrativa, insegurança e falta de pulso com a escolha de assessores competentes e experientes. Não o fez. Preferiu ouvir um grupo formado, em sua grande maioria, por “conselheiros” odiosos e perseguidores. Conhecedores dos fracassos da atual administração, adversários articulam-se para derrota-lo em benefício de Curitiba.A cidade de Curitiba não pode ser entregue a adminstrações amadoras

  12. renato crovador
    quarta-feira, 15 de junho de 2016 – 0:19 hs

    Fruet leva fácil. Essas candidaturas nasceram de umbigo roxo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*