Ricardo Barros no Ministério da Agricultura | Fábio Campana

Ricardo Barros no Ministério da Agricultura

Pois, pois, a última informação do front em Brasília é a de que Ricardo Barros não aceitou o Ministério da Saúde, mas prazerosamente e com muito entusiasmo fica com o da Agricultura. Não é de somenos, ainda mais no país que segura por um fio no agronegócio. Se confirmado, muda também a sua inserção na política nativa.


5 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    segunda-feira, 2 de maio de 2016 – 12:22 hs

    Sei, sei. Logo será ministro da fazenda… da fazenda do grotão fundo… se não sobrar nada, pode ser ministro da eucaristia…

  2. clayton Peterlle
    segunda-feira, 2 de maio de 2016 – 13:35 hs

    E UMA PENA, ESSE MOÇO SÓ FEZ POLÍTICA NA VIDA, E CONSEGUIU FICAR RICO, O QUE ESSE CARA ENTENDE DE AGRICULTURA, DE SAÚDE, CRUZ CREDO, MICHEL PRESTE ATENÇÃO AQUI NO PARANÁ TEM GENTE MELHOR E MAIS CAPACITADO.

    .

  3. Macambúzio
    segunda-feira, 2 de maio de 2016 – 14:46 hs

    Tal qual Padilha, Meirelles, Jucá e outros, Ricardo Barros É DA COTA PESSOAL DE LULA!!!! Ou vocês acham por quê Lula não quer mais ser ministro de Dilma e nem foi ontem à manifestação da CUT, em São Paulo, à qual Dilma esteve presente? Lula já se acertou com o Presidente Temer e indicará cerca de 1/3 do ministério!!!!

  4. JOHAN
    segunda-feira, 2 de maio de 2016 – 18:54 hs

    Caro FÁBIO, para o PARANÁ e para o governo MICHEL, essa indicação é um tiro n’água, pois não soma nem acrescenta nada a esse novo governo. Esse elemento é um petista enrustido nos armários da ORGANIZAÇÃO desde criancinha, sendo há mais de 06 anos relator do falso ORÇAMENTO NACIONAL deficitário. Para o Paraná é bom, pois é um elemento a menos para atrapalhar o já fraco, combalido e cambaleante governo do Beto Richa. Atenciosamente.

  5. Zé Ninguém
    segunda-feira, 2 de maio de 2016 – 20:33 hs

    O cara só pode ser maluco, um dia viraria secretário do Betinho, depois ministro da Saúde, agora fica com o emprego da Kátia Abreu? Coitado deste cara, está jogando fora a sua carreira política.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*