Ricardo Barros destaca 11 pontos prioritários para a Saúde | Fábio Campana

Ricardo Barros destaca 11 pontos prioritários para a Saúde

Ministro Ricardo Barros concede sua primeira coletiva

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, informou em coletiva as prioridades de ação da pasta. Entre elas melhorar a gestão, aperfeiçoar os sistemas do SUS, priorizar médicos brasileiros no Mais Médicos e o combate ao mosquito Aedes Aegypti. Confira as prioridades:


1 – Melhorar a gestão e o financiamento da saúde, aproveitando sua experiência como gestor municipal, relator do orçamento e autor de resoluções para a tramitação orçamentária;

2 – Aperfeiçoar os sistemas de informação do SUS (Sistema Único de Saúde) de forma que seja integrado em todo o território nacional, permita oferecer subsídios para a correta aplicação dos recursos públicos e forneça informações adequadas para o planejamento e para as prioridades do setor;

3 – Priorizar a interlocução com os médicos, com as entidades representativas dos profissionais de saúde, com os servidores, com academia e com áreas relacionadas. Nesse aspecto, o Conselho Nacional de Saúde (CNS), o Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS) e o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS) serão fundamentais nesse processo;

4 – Garantir a manutenção e a ampliação da mobilização de combate ao Aedes aegypti e suas doenças relacionadas, assim como demais emergências e agravos de saúde pública;

5 – Reforçar os compromissos assumidos com as entidades olímpicas, com o estado do Rio de Janeiro e com a capital fluminense, responsáveis pela execução das Olimpíadas 2016. São ações de vigilância em saúde, assistência à população, atenção aos visitantes e preparo para as diversas situações relacionadas à saúde;

6 – Fortalecer a participação dos brasileiros no programa Mais Médicos;

7 – Superar as barreiras para implementar de imediato o funcionamento das UPAS (Unidades de Pronto Atendimento), das UBS (Unidades Básicas de Saúde), das ambulâncias e de equipamentos comprados e não instalados;

8 – Fortalecer o Complexo Industrial da Saúde, compatibilizando a atuação das agências reguladoras, ANS e ANVISA, para garantir a agilidade, a segurança à população e a proteção ao consumidor.

9 – Ampliar e atualizar os protocolos clínicos e as diretrizes terapêuticas;

10 – Oferecer qualificação permanente aos mais de 4 milhões profissionais de saúde que colaboram com as ações do SUS;

11 – Fortalecer as ações de promoção à saúde e prevenção de doenças.

Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil


3 comentários

  1. Fazendário falido
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 22:59 hs

    RESTRUTURAÇÃO DA CARREIRA DO AGENTE FAZENDÁRIO ESTADUAL. URGENTEMENTE.

  2. Zé Ninguém
    sábado, 14 de maio de 2016 – 11:32 hs

    e mandar para a rua este monte de “cargos comissionados” que infestam tanto o MS quanto a Funasa, antro de apaniguados de políticos. Mas isto o RB não elencou como prioridade, porquê será?

  3. Justo
    domingo, 15 de maio de 2016 – 17:19 hs

    O novo ministro somente relatou situações lógicas de gestão, não conseguiu em suas declarações a imprensa, garantir os programas existentes ou a sua expansão, no caso dos mais médicos ainda existe a problemática do conflito com os médicos brasileiros, e nas palavras do próprio Ministro não tem dinheiro para tudo, ainda, que não acabarão as filas e as macas nos corredores, ENTÃO COMO FICARÁ.fala do nosso Ministro na coletiva de imprensa.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*