Paraná-Maravilha desfila hoje na Assembleia | Fábio Campana

Paraná-Maravilha desfila hoje na Assembleia

MauroRicardo_AL

O Rio de Janeiro está falido; nem salário dos servidores consegue pagar; a dívida ultrapassa o limite de 200% da receita tolerado pela Lei de Responsabilidade Fiscal. O Rio Grande do Sul, faz tempo, também está “quebradinho da silva”. Minas Gerais e quase todos os outros estados do país apresentam idêntica situação catastrófica.

O Paraná, contudo, segundo assegura a propaganda do governo, é uma “ilha de prosperidade” em meio ao caos nacional e internacional. Contas em dia, funcionalismo recebendo aumentos, dinheiro sobrando para investimentos… tudo muito diferente do que ocorre em outras plagas.

É este “Paraná-maravilha” que o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo, pretende fazer desfilar nesta terça-feira (31) na passarela da Assembleia, em audiência pública, cumprindo a obrigação legal de expor, a cada quadrimestre, a numerologia das finanças estaduais. O desfile será o primeiro de 2016.

A apresentação será uma caixinha de surpresas para os deputados. Eles tinham a esperança de que o secretário mandaria, dias antes da audiência, um caderno com o quadro financeiro, de tal modo que os parlamentares estivessem preparados para o debate na sessão desta terça. A promessa não foi cumprida e a oposição reclamou de entrar no plenário como se fosse num quarto escuro.

Mas já alinhou alguns questionamentos a Mauro Ricardo. Por que falta merenda nas escolas? Por que apenas 30% das viaturas da Polícia Militar estão rodando e 70% paradas? Por que promessas como promoções e progressões na carreira de professores não foram cumpridas? Tudo isto acontece por falta de dinheiro ou porque o “xoque de jestão” não chegou a estes setores?

Curiosos também estão os deputados a respeito do cumprimento das metas de investimento para o ano de 2016, anunciadas para chegar a R$ 3,5 bilhões na administração direta. A diferença positiva entre as receitas e o custeio da máquina neste primeiro quadrimestre já sinaliza que, até o fim do ano, os paranaenses se verão em meio a um canteiro de obras?


7 comentários

  1. PUNISHER
    terça-feira, 31 de maio de 2016 – 10:20 hs

    SENHOR SECRETÁRIO, REESTRUTURAÇÃO JÁ. PARA O AGENTE FAZENDÁRIO ESTADUAL.

  2. Funcionário Público
    terça-feira, 31 de maio de 2016 – 10:44 hs

    Não é bem assim. A promoção dos Peritos Criminais do Estado do Paraná está atrasada e sem previsão de ser implementada. Profissionais com mais de 30 anos de carreira e que ainda não chegaram ao topo da carreira. Concurso Público prometido para 2012 e que ainda não ocorreu. Só estou vendo um órgão oprimido pelo Estado que não cumpre a própria lei. Deviam fechar o Instituto de Criminalística e o Instituto Médico Legal do Estado e dar um cheque em branco para a bandidagem de uma vez por todas.

  3. Freddy Kruger
    terça-feira, 31 de maio de 2016 – 11:46 hs

    Choque de gestão. Quem foi capaz de escrever com “x” e “j”. Acredito que não foi o Secretário. Outrossim, as contas do Paraná estarão balanceadas até outubro/2016, pois temos problemas de valores cobrados na conta de luz pela Copel, que devem ser compensados, crescimento da arrecadação abaixo do planejado, motivada pela má gestão do Governo Federal, aporte para o pagamento de férias e 13º do funcionalismo público. A situação não está tão boa assim, exige muito cuidado !

  4. Observador
    terça-feira, 31 de maio de 2016 – 12:43 hs

    “Paraná-Maravilha” tem nomes: JUDICIÁRIO,MINISTÉRIO PÚBLICO, TRIBUNAL DE CONTAS e ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA, todos em sintonia para aplaudir o Executivo, e o resto assiste essa ópera bufa.

  5. COMANDO
    terça-feira, 31 de maio de 2016 – 13:04 hs

    Se não fosse a Paraná Previdência.

  6. QUESTIONADOR
    terça-feira, 31 de maio de 2016 – 16:10 hs

    -Não concordo com o Secretário “importado” de Fazenda Mauro Ricardo Costa. Hoje sabemos qual foi a “mágica” que fez para sobreviver as finanças estaduais. Aumento da carga tributária estadual e outras medidas vista nas aposentadorias do funcionalismo estadual. Cortes na estrutura da máquina estadual, quase não existiram. Não lí ou ouvi nada à respeito de corte de verbas parlamentares, de diminuição de repasses ao Ministério Público Estadual, Tribunal de Contas, Assembléia Legislativa e outros….
    -A ilha de prosperidade que tanto se fala, deve ser na Noruega, Finlândia, Suiça…..aqui no Paraná chegará o momento em que tudo será exposto e o rei será desnudado!!!

  7. Luiz Eduardo
    terça-feira, 31 de maio de 2016 – 22:25 hs

    Então porque não paga oficiais e praças da polícia militar a remuneração a que tem direito por terem sido promovidos?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*