Jucá fala em corte de 4.000 cargos comissionados | Fábio Campana

Jucá fala em corte
de 4.000 cargos comissionados

romero-juca

Após reunião ministerial com o presidente interino Michel Temer, o novo titular do Planejamento, Romero Jucá, afirmou nesta sexta-feira, 13, que o governo pretende cortar 4.000 cargos de confiança e funções gratificadas até o dia 31 de dezembro deste ano. Ele concedeu entrevista ao lado dos ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil e Ricardo Barros, da Saúde.As informações são de Eduardo Gonçalves na Veja.

“Em 31 de dezembro teremos diminuído 4.000 postos desse tipo de contratação (comissionados, funções gratificadas, entre outros). Isso representa o dobro do que o governo anterior havia anunciado e não foi cumprido”, afirmou Jucá. No entanto, ele errou no cálculo – em outubro do ano passado, a então presidente Dilma Rousseff anunciou que extinguiria 3.000 cargos comissionados do seu governo, o que, de fato, não foi concretizado nos meses seguintes.


“Nós vamos rever a estrutura organizacional dos ministérios. Alguns já foram, em tese, encerrados ou recepcionados por outros ministérios. Isso implica num ajuste de estrutura organizacional”, afirmou Jucá, um dos aliados mais próximos de Temer.

O ministro também afirmou que os cortes poderão ultrapassar os 4.000 postos e contemplarão também empresas e bancos públicos, como a Petrobras, Banco do Brasil e BNDES. Segundo ele, bancos e empresas também estão sujeitos ao que chamou de “novo ordenamento de comando”: simples e direto. “O poder público deve servir à sociedade, gastar menos com meio e mais com a atividade-fim”, diz.

Reformas – Ao comentar as reformas que devem ser empreendidas, Jucá citou especificamente a da Previdência e reforçou que o governo interino irá avançar sem recuar, garantindo a segurança jurídica.

“Não queremos ver o Brasil passar o que passaram há alguns anos a Grécia e a Itália, que reduziram pagamentos a aposentados”, disse o ministro, acrescentando que a decisão de transferir a Previdência para o Ministério da Fazenda faz parte de uma ação técnica para construir “algo sustentável”. “Queremos um conjunto de ações para queda da inflação, queda da taxa de juros e retomada do crescimento”, acrescentou o novo ministro do Planejamento.

O anúncio ocorreu após a primeira reunião ministerial do governo do interino Temer, que assumiu a Presidência da República nesta quinta-feira após Dilma Rousseff ser afastada do cargo para responder à denúncia de crime de responsabilidade no Senado.

(foto: Agência Câmara)


14 comentários

  1. Juca
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 14:29 hs

    Essa petezada que vive às custas do governo tem de ser mandada para a rua urgentemente,

  2. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 14:30 hs

    A tchurma do lulopetismo que tinha trocado o chevetão 74 e comprado desodorantes e cuecas limpas nos últimos treze anos, vai ter se virar e voltar à bananosa. Os restaurantes caros vão ser trocados pelos velhos botequins pé-sujo, de volta ao bolinho com molho “ingreis” e o rabo de galo. Ó vida cruel….

  3. Eleitor Curitibano
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 15:17 hs

    Até que enfim,alguém vai fazer justiça.O cidadão não deve depender do estado,rua pra esses cidadãos.

  4. Olho vivo
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 15:48 hs

    SÓ QUATRO MIL,O DEMÔNIO DE NOVE DEDOS CRIOU JÁ QUANDO DEU O GOLPE EM 2002/2003,NADA MAIS QUE TRINTA MIL CARGOS COMISSIONADOS.

  5. sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 16:26 hs

    Doutor Prolegômeno, além disso vão ter que “engolir” coxinhas! kkkk

  6. QUESTIONADOR
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 16:42 hs

    -Começaram mal. Apenas 4.000 cargos de um universo de 25.000???
    -Muito pouco para se levar à sério!!!

  7. Antonio Álvaro Rosar
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 17:01 hs

    É pouco.

  8. Recruta Zero
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 17:33 hs

    Só 4.000(quatro mil) serão cortados ? Xiiiiiii, tá começando mal. Pelo jeito teremos que continuar sustentando uma pá de vagabundos.

  9. Parreiras Eodrigues
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 18:15 hs

    O correto seria a extinção, pura e simples, de todos os cargos sem função definida.

  10. João
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 18:29 hs

    Só 4.000? Deveriam ser cortados pelo menos 10.000.

  11. JOHAN
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 18:40 hs

    Caro FÁBIO, o ministro do Planejamento ROMERO JUCÁ, é suspeito da Operação Lava Jato. É ladino. Ele está sendo tímido na coluna de cortes de colaboradores federais. Ou ele afirma que deverá cortar até 31.12.16 pelo menos 10.000 contratados comissionados e consultores da Organização Criminosa Petista, ou será ele o demitido pela inoperação, pois a sociedade exige e espera que esse corte ocorra. Além de cortar o contratado deverá extinguir o cargo, pois caso contrário, após 06 meses estará novamente inchado como célula de gordura. No tocante a cortes, há também que eliminar entidades espelho, como o Ministério do Meio Ambiente, com o espelho IBAMA e com o outro espelho ICM-BIO. Entidades existentes que se sobrepõem nas ações, apenas para dar lugar aos petistas. Ver os demais ministérios. Atenciosamente.

  12. BinLaden
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 18:46 hs

    To pagando prá ver

  13. FUI !!!
    sábado, 14 de maio de 2016 – 4:58 hs

    Estou pagando para ver. Esta máquina de gastos exorbitantes da
    Ptzada precisa ser eliminada em todas as esferas. Dizem que se
    somarem todos os penduricalhos que existem do PT a economia
    passa de cem milhões por mes !? Com certeza deve girar em tor-
    no disto mesmo. Vamos limpar este governo que foi deposto !!!

  14. sábado, 14 de maio de 2016 – 21:07 hs

    Tem q ser no mínimo 10.000,00, senão não adianta?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*