'Agenda de Dilma virou palanque no Planalto', afirma Francischini | Fábio Campana

‘Agenda de Dilma virou palanque no Planalto’, afirma Francischini

francischini2
O deputado Fernando Francischini (SD-PR) aprovou um pedido na Câmara dos Deputados de quando o BNDES e outros órgãos do governo estão dispendendo em patrocínios e apoios aos movimentos, marchas e eventos que na prática servem de palanque para a presidente Dilma Rousseff (PT).

A Veja apontou que desde março, ao perceber que o impeachment ganhava força no Congresso, Dilma passou a povoar o Palácio do Planalto com militantes favoráveis ao governo em eventos políticos travestidos de agenda oficial. Nas contas da revista foram sete ‘eventos-palanques’ no período. “A presidente não tem mais agenda e o Planalto se transformou em palanque que usa dinheiro público para pagar claque de militantes”, disse Francischini.


Acuada pelo avanço do processo para o Senado, depois de constatar a absoluta inexistência de apoio a seu governo na Câmara, Dilma agora volta suas baterias contra aqueles que classifica como “líderes do golpe”, o vice-presidente Michel Temer e o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), este chamado nesta quarta-feira de “pecado original” do impeachment. Enquanto isso, a petista flerta com a ideia, esta sim golpista, de convocar eleições presidenciais para este ano.


2 comentários

  1. PROFESSOR INDIGNADO
    quinta-feira, 28 de abril de 2016 – 17:57 hs

    CARO DEPUTADO OS PROFESSORES O ESPERAM AMANHÃ NO CENTRO CIVICO , E PODE VIR ATÉ DE CAMBURÃO

  2. Zé Venancio
    quinta-feira, 28 de abril de 2016 – 18:43 hs

    O seu evento palanque deputado, foi no dia 29 de abril de 2015. Durou uma manhã inteira e meia tarde.
    Nem Richa quer mais contato com o senhor, desde que o defenestrou da Segurança Pública, pois não assumiu sozinho o desastre.
    Na câmara federal, o senhor está no mesmo patamar de Cunha, Bolsonaro, Feliciano e Jean Williys.
    Dilma é defunto. Já perdeu a presidência. Graças ao senhor e seus pares, um canalha herdará o posto máximo da nação: Eduardo Cunha!!!!
    É fácil bater nela.
    Quero ver bater em Cunha com a mesma valentia demonstrada na votação do impeachment e contra os professores no dia em que tropeçou, rechonchudo, quando saiu correndo de dentro do camburão que levava o senhor e seus colegas da base do governo estadual…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*