No tudo ou nada, Dilma diz que resiste e não renunciará | Fábio Campana

No tudo ou nada, Dilma diz que resiste e não renunciará

BRASÍLIA – Em mais um forte discurso de defesa de seu mandato, a presidente Dilma Rousseff comparou o momento atual, que classifica de tentativa de golpe, com a ditadura militar. Nesta terça-feira em encontro com juristas, voltou a dizer que não renunciará e condenou a divulgação de suas gravações, afirmando que isso foi “rasgar a Constituição”. Dilma pediu imparcialidade da Justiça e, sem citar o juiz Sérgio Moro, disse que um membro do Judiciário não pode guiar suas decisões por convicções partidárias. Bem como na época da ditadura, afirmou, agora há uma negação da realidade. (Leia a íntegra do discurso da presidente)

Ela citou em seu discurso a campanha da legalidade liderada pelo então governador do Rio Grande do Sul Leonel Brizola?

— Jamais imaginei que voltaríamos a viver um momento que seria necessário mobilizar a sociedade em torno de uma campanha da legalidade, como estamos fazendo hoje. Imaginava que teríamos que gastar as nossas forcas para garantir que esse país continuasse incluindo e desenvolvendo oportunidades para milhões de excluídos. Novamente ser necessário mobilizar a sociedade em torno da legalidade, eu jamais imaginei, depois do fim da ditadura. Eu preferia não viver esse momento. Mas me sobram energia, disposição e respeito à democracia para fazer o enfrentamento necessário à conjuração que ameaça a normalidade da Constituição e estabilidade democrática.

Segundo ela, o pedido de impeachment sem crime que o justifique é, o próprio pedido, um crime.

— O impeachment só pode se dar por crime de responsabilidade claramente demonstrado. Na ausência de crime, o afastamento se torna ele próprio um crime contra a democracia. Nesse caso, não cabem meias palavras, pois o que está em curso é um golpe contra a democracia. Eu jamais renunciarei — afirmou.

Sem citar diretamente Moro, Dilma afirmou que um juiz “não pode se transformar em militante partidário”.

Dilma Rousseff participa de encontro com juristas no Palácio do Planalto – André Coelho / Agência O Globo
Dilma discursou mais de três horas após o início da cerimônia. Antes dela, predominaram falas duras, com críticas indiretas a Moro, ao Ministério Público, à Polícia Federal, à OAB e à imprensa. Os que antecederam Dilma – principalmente professores de Direito e advogados – mencionaram, em suas críticas, práticas autoritárias, ilegalidades e desrespeito à Constituição.

— A Justiça brasileira fica enfraquecida e a Constituição é rasgada quando são gravados diálogos da Presidência da República sem a devida necessária e imprescindível autorização do Supremo Tribunal Federal — disse Dilma, que afirmou que a divulgação das conversas telefônicas foi feita “ao arrepio da lei”.

— Por isso, tenho certeza: não vai ter golpe — declarou a presidente, encerrando o discurso.

Nesta segunda-feira, a Advocacia-Geral da União (AGU) entrou com uma ação no STF para anular decisão do juiz federal Sérgio Moro, que retirou o sigilo de conversas telefônicas do ex-presidente Lula com a presidente e ministros.

‘NÃO PASSARÃO’

No evento, o ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), José Eduardo Cardozo, informou que pedirá ao Supremo Tribunal Federal (STF) que fixe limites aos magistrados quanto aos grampos e ao sigilo. Cardozo afirmou que a divulgação de conversas da presidente põe “em risco a soberania nacional, em ofensa ao Estado democrático republicano”.

— Não é possível um estado democrático de direito em que temos um sigilo tratado dessa forma. Não é possível que conversa telefônica não seja remetida ao STF, que sejam anexadas a um inquérito e divulgadas em rede de televisão — afirmou Cardozo, para logo em seguida completar: — Acho repugnante que se faça uma coisa desse tipo para engrossar o pedido de impeachment.

O ministro da AGU disse que a bandeira do governo será a defesa da Constituição, e lançou um lema ao dizer que a Carta Magna pode ser resumida em duas palavras:

— Se pudesse resumir o que está escrito em nossa Constituição, eu diria: não passarão! — disse, encerrando seu discurso,.

O final da frase foi repetido em coro pelos convidados presentes, para o ministro acrescentar: — Viva o Estado democrático!

Na última quarta-feira, quando foram tornados públicos os diálogos telefônicos do ex-presidente – que já tinha aceitado o convite para chefiar a Casa Civil -, Moro escreveu em despacho que “a democracia em uma sociedade livre exige que os governados saibam o que fazem os governantes, mesmo quando esses buscam agir protegidos pelas sombras

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/nao-renuncio-em-hipotese-alguma-reforca-dilma-ao-citar-campanha-da-legalidade-18933579#ixzz43fj930KX
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.


9 comentários

  1. Sergio Silvestre
    terça-feira, 22 de março de 2016 – 19:34 hs

    A cachorrada vai com sede ao pote,mas estão com medo que as coisas descem para os estados e municípios onde o roubo é quase meio a meio do orçamento,mas uma coisa que eu gostaria de quebrar sigilos e rastrear o dinheiro é dos pedágios paranaenses,aqui a coisa e feia.

  2. medonho
    terça-feira, 22 de março de 2016 – 19:39 hs

    Este governo não pode sobreviver com tanta incompetencia…..e sua maioria atolado na lama podre da corrupção.
    O meu partido é o Brasil, e temo pelo futuro de nossos filhos, não podemos pagar por atos e ações que tende a levar o Brasil para o Abismo isto seria o maior retrocesso.
    Temos no entanto, de reagir e votar pelo impedimento desta facção que se apropriaram do poder utilizando dinheiro sujo…..

  3. SOLANGE LOPÉS
    terça-feira, 22 de março de 2016 – 22:35 hs

    Foi a anta sentada que ligou para o Lularapio. O telefone dela não estava sendo grampeado. É o que podemos chamar de ¨boi na linha¨.

  4. terça-feira, 22 de março de 2016 – 22:45 hs

    Essa é minha presidente e vai cumprir o compromisso que assumiu comigo até o fim de seu mandato.

  5. Pirado
    terça-feira, 22 de março de 2016 – 22:58 hs

    Nada vai acontecer com Dilma!!! Ela não sofrerá Impeachment, pois a Odebrecht vai incriminar centenas de deputados e senadores, de modo que o Congresso não terá moral de aprovar a medida!!
    Agora que LULA ESTÁ PROTEGIDO PELO STF, ele, na condição de Ministro da Casa Civil, interferirá diretamente no Congresso e acabará com qualquer chance de punição!
    Resumo: A LAVA JATO SÓ PEGOU OS BAGRINHOS!!! OS CHEFES, LULA E DILMA, SAÍRAM ILESOS! E O POVO FICOU COM CARA DE TROUXA!!!!
    Mas…esperem! Pode ser que O STF CUMPRA SUA OBRIGAÇÃO LEGAL E PUNA TODOS OS CORRUPTOS, INCLUSIVE OS CHEFES!!!!!

  6. FUI !!!
    quarta-feira, 23 de março de 2016 – 6:07 hs

    Que perda de tempo… Volte para sua casa.

  7. henry
    quarta-feira, 23 de março de 2016 – 9:57 hs

    UM “juiz” COMO ELA DIZ NÃO PODE SE TORNAR PARTIDÁRIO, MAS ministros DA MAIOR CORTE ( STF ) PODE? DOS 11, PELO MENOS 9 SÃO DECLARADAMENTE “vermes petistas” DE CARTEIRINHA. DEFINITIVAMENTE “Este país não é sério.”

  8. JOHAN
    quarta-feira, 23 de março de 2016 – 11:29 hs

    Caro FÁBIO, com mais de 70 anos imaginava que já tinha visto e ouvido tudo. Ledo engano meu, no Brasil da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA, ainda ouvirei mais e as maiores barbaridades. A iludida presidente DILMA A PERDULÁRIA ” condenou a divulgação de suas gravações”, contudo não se referiu em nenhum momento quanto ao diálogo conduzido. Isso é uma desfaçatez, é humilhar a sociedade. Em outro momento, afirma a ” necessidade de mobilizar a sociedade em torno da legalidade”. Esquece ela que quem promoveu a ilegalidade foi a mesma e sua quadrilha. Mais uma vez iludida. Em seguida afirma que ” tenho certeza que não vai ter GOLPE”, e concordo, pois o golpe foi dado em 2.003. Após a leitura do final das palavras do JECA, onde afirma que “não passarão”, nesse momento desejo divulgar outras duas palavras, que constam no centro da bandeira do BRASIL, onde categoricamente afirma ” ORDEM E PROGRESSO”, para toda a sociedade. Isso não está sendo cumprida pelos dirigentes políticos nacionais. Atenciosamente. .

  9. indignado 1
    quarta-feira, 23 de março de 2016 – 13:28 hs

    Esta muito claro. Prometeu aos quadrilheiros, que resistiria, agora
    esta sendo aplaudida pela Corja. Mesmo que seja com muito dinheiro
    para os graduados, e pão com Mortadela para os trouxas, vai seguindo
    com uma aprovação altissima. Os pau mandados, e os “Socios” da
    Quadrilha.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*