Gleisi na hora do espanto | Fábio Campana

Gleisi na hora do espanto

pb-e-gleisi
A Polícia Federal indiciou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o ex-ministro Paulo Bernardo (Planejamento e Comunicações do Governo Lula), por corrupção passiva, na Operação Lava Jato ao concluir que o casal recebeu R$ 1 milhão de propina oriundo de contratos da Petrobrás. A senadora petista teria recebido o valor em espécie na campanha de 2010 para custear as despesas da eleição ao Senado. Também foi indiciado o empresário Ernesto Kugler Rodrigues, de Curitiba.

Segundo a PF, o ex-ministro Paulo Bernardo teria solicitado a quantia ao doleiro Alberto Youssef ou ao ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa para custear a campanha. Para a PF, Paulo Bernardo tinha conhecimento de que os valores eram ilícitos, caso contrário não teria solicitado a Paulo Roberto Costa.

A PF ainda aponta que Ernesto Kugler Rodrigues recebeu o valor em quatro parcelas a pedido da senadora e do marido.

Durante as investigações, a PF encontrou na agenda de Paulo Roberto a inscrição a ‘1,0 PB’ e confirmou que se tratava do ex-ministro. Os valores, segundo os federais, foram levados de São Paulo a Curitiba por Antonio Carlos Fioravante Pieruccini, que documentou todo o local da entrega para os policiais. A PF identificou ainda registros telefônicos que confirmariam a propina para a campanha.

À PF, Gleisi também negou ter recebido os valores. No inquérito, Paulo Bernardo negou que tivesse solicitado os valores para a campanha de Gleisi. O ex-ministro alegou na época que havia uma orientação do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que os ministros não se envolvessem na arrecadação das campanhas.

Em sua delação premiada, o dono da UTC Engenharia Ricardo Pessoa contou que Paulo Bernardo lhe pediu financiamento para a campanha de Gleisi. Segundo o empreiteiro, as doações ao caixa oficial da campanha e também para ao Diretório Nacional do PT foram registradas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). (AE)


8 comentários

  1. Luis Break
    quinta-feira, 31 de março de 2016 – 20:17 hs

    Fique tranquila os acovardados do STF-PT irão te salvar!

  2. Dona Amélia
    sexta-feira, 1 de abril de 2016 – 8:49 hs

    Sem visita íntima !! rs.

  3. MAURO
    sexta-feira, 1 de abril de 2016 – 9:20 hs

    Essa é minha Senadora…Vergonha do Paraná!!!!!!

  4. Larry de Camargo V Nascimento
    sexta-feira, 1 de abril de 2016 – 10:48 hs

    KKKKKKKKK

  5. Rogério Perez
    sexta-feira, 1 de abril de 2016 – 11:23 hs

    O Paulo Bernardo trabalha onde? Voltou a ser caixa de banco?

  6. João do Nascimento
    sexta-feira, 1 de abril de 2016 – 18:21 hs

    Bonitinha mas ordinária, esta Gleisy…

  7. Andressa
    sábado, 2 de abril de 2016 – 13:20 hs

    Tomara que o Paraná não tenha mais se que preocupar com a Gleisi, eu ainda lembro dela propondo (como candidata a prefeita) que as pessoas pobres morassem em áreas ambientais protegidas, tipo beiras de rios, e quando ela quis permitir carros na sagrada faixa do biarticulado? Ninguém mexe naquela canaleta de ônibus sagrada, é uma blasfêmia para os curitibanos.

  8. João Guilherme Maia
    domingo, 10 de abril de 2016 – 13:41 hs

    O PT NUNCA TEVE UM PLANO DE GOVERNO NESSES ANOS TODOS FOI SÓ CORRUPÇÕES, FALCATRUAS E DESVIO DO ERÁRIO!
    O PT nas pessoas do Lula e da Dilma, nunca tiveram um plano de governo para o país, com um desenvolvimento na Educação, Saúde e Saneamento básico, que são as maiores necessidades do país, principalmente quando se trata das Regiões mais pobres do país como a Norte e a Nordeste.
    Agora para eles, eles tinham sim um plano de governo que era se perpetuar no poder e o pior, transformar o Brasil num país comunista. Mais aí, o plano deles foram por água abaixo, justamente por não terem um plano para o país. E nesses quase 14 anos de PT no poder foi escândalo em cima de escândalos e o povo felizmente, um pouco tarde mais acordou e está dando um basta neste desgoverno do PT. Como eles não têm justificativas para os seus erros, eles estão tentando desesperadamente enfiar goela abaixo dos brasileiros que é um golpe, para tirar a presidente Dilma da presidência.
    O principal ataque deles tem sido direcionado ao presidente da Câmara, o deputado Eduardo Cunha, simplesmente, porque tudo começou pelas suas mãos na Câmara, agora ele não enganou o governo, quem assistiu a sua posse, ele prometeu que o Legislativo voltaria a ser independente, até então, nós só tínhamos um poder na República, que era o Executivo. Então desde a declaração do presidente da Câmara na sua posse, ele se tornou o maior inimigo do governo.
    Do meu ponto de vista, eu acho muito difícil a presidente Dilma se livrar do impeachment, até porque, quem não quer mais ela no comando do país, não é o juiz Sérgio Moro ou os partidos, A, B ou C, não, quem não quer mais ela no poder é próprio povo e como disse um deputado recentemente, só quem faz um deputado tremer é o povo, principalmente quando ele vai para as ruas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*