Em editorial, 'Economist' pede renúncia de Dilma | Fábio Campana

Em editorial, ‘Economist’ pede renúncia de Dilma

DILMA_

A revista britânica The Economist defende em editorial que é hora de a presidente Dilma Rousseff deixar o cargo. A escolha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Casa Civil foi uma “tentativa grosseira de impedir o curso da Justiça”, diz o editorial que será publicado na nova edição que chega às bancas neste fim de semana. Por isso, Dilma está inapta a permanecer na Presidência, argumenta o texto. A publicação diz que a troca na presidência da República abriria caminho para um “novo começo” no Brasil. As informações são Estadão.

“A indicação de Lula parece uma tentativa grosseira de impedir o curso da Justiça. Mesmo que isso não fosse sua intenção, esse seria o efeito. Esse foi o momento em que a presidente escolheu os limitados interesses da sua tribo política por cima do Estado de Direito”, diz o editorial que tem o título “Hora de ir”. “Assim, ela tornou-se inapta a permanecer como presidente”, cita o editorial que defende que “a presidente manchada deveria renunciar agora”.

O editorial nota que sempre defendeu que apenas a “Justiça ou os eleitores – e não políticos com interesses próprios tentando impedi-la – podem decidir o destino da presidente”. Essa percepção, porém, mudou com a decisão tomada por Dilma ao indicar Lula, argumenta o editorial. A saída de Dilma Rousseff, diz o editorial, “ofereceria ao Brasil a oportunidade de um novo começo”.

A Economist afirma que continua acreditando que o processo de impeachment pelas pedaladas fiscais segue parecendo injustificado. Assim, a revista nota que há três caminhos para a saída da presidente: 1) mostrar que Dilma Rousseff obstruiu o trabalho de investigação na Petrobrás; 2) por decisão do Tribunal Superior Eleitoral que resultaria em novas eleições ou 3) a renúncia. “A maneira mais rápida e melhor para a senhora Rousseff deixar o Planalto seria a renúncia antes de ser empurrada para fora”, defende o editorial.

Sem Dilma, a Economist acredita que o Brasil poderia ter um governo de coalizão liderado por Michel Temer para executar reformas necessárias para estabilizar a economia e acabar com o déficit público próximo de 11% do Produto Interno Bruto. O editorial nota, porém, que Temer também está “profundamente envolvido no escândalo da Petrobrás como o PT”. Assim, apenas “novas eleições presidenciais poderiam dar aos eleitores uma oportunidade de confiar as reformas a um novo líder”.

O semanário britânico não é o primeiro veículo internacional a sugerir a saída da petista. Em editorial no começo da semana, o The Guardian De acordo com o editorial publicado na edição de domingo do jornal, “uma das preocupações óbvias é que esses protestos, se não controlados, podem resultar em violência generalizada com risco de intervenção militar”.


6 comentários

  1. cicero
    quarta-feira, 23 de março de 2016 – 15:11 hs

    já passou da hora da dilma renunciar talves voce não saiba na situação que esta o pais renunciar seria o maior ato de grandeza poi só assim voce conssegueria provar que voce ama o pais ja tem mais clima para voce governar este pais o mundo inteiro esta contra até argentina vai entrar com processo para tirar o brasil do merco sul tenha um gesto de grandesa e renuncie o mais rapido possivel para que possamos salvar o pais o quanto antes antes que seja tarde demais

  2. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 23 de março de 2016 – 15:37 hs

    Dilma não renunciará. Faz parte de sua formação ideológica stalinista protosocialista. Ela prefere virar algum tipo de mártir de república de bananas, descendo a rampa do Planalto, de tailleur vermelho, com uma metralhadora na mãos: uma espécie de “Ramba” das esquerdas bananeiras, uma Allende de saias, para legar sua memória à posteridade latrino-americana. Vai ser complicado. Quem viver, verá…

  3. valdir bassai
    quarta-feira, 23 de março de 2016 – 15:43 hs

    A dilma não vai renunciar, não vai ter gesto de grandeza pois ela não está preocupada com o Brasil, ela e sua turma esta preocupada com o partido, com seu grupo que tomou o Brasil de assalto.
    Enquanto puderem ficar sugando, eles ficarão, só um pé no traseiro nesse pessoal. Inclusive na tal de Rose.

  4. Rock
    quarta-feira, 23 de março de 2016 – 16:58 hs

    Tem muito mané achando que o Brasil é ainda colonia de país europeu, olhem para o lado e vejam hoje somos uma nação independente não precisamos conselhos de países que nos tratam como seu quintal para despejar seus lixos de opinião.

  5. Sergio Silvestre
    quinta-feira, 24 de março de 2016 – 0:10 hs

    Ué somos colonia da inglaterra????????????????

  6. Roberson Couto
    quinta-feira, 24 de março de 2016 – 13:17 hs

    Acho que se fosse colônia não estaria sendo roubado como está sendo pela máfia petista e seus defensores.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*