Adiada a votação do projeto sobre o teto do funcionalismo público | Fábio Campana

Adiada a votação do projeto sobre o teto do funcionalismo público

rb

Em reunião de líderes nesta quarta-feira (02) ficou decidido que a votação do Projeto de Lei 3123/2015 de autoria do Executivo, que trata do Teto do Funcionalismo Público e que tem como principal objetivo disciplinar as verbas indenizatórias, entrará na pauta para votação no próximo dia 21.

O relator da matéria, deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), avaliou a decisão como acertada. Ele tem feito uma série de reuniões com representantes de entidades e associações do Ministério Público e do Judiciário. Barros que atendeu solicitação dos magistrados para adiamento da votação da matéria, vai continuar o diálogo com representantes de entidades e associações do Ministério Público e do Judiciário Federal , Eleitoral e dos Estados.


3 comentários

  1. MUNIQUE
    quarta-feira, 2 de março de 2016 – 21:52 hs

    O deputado afirma: “que tais associações colaborariam muito mais com o Parlamento se defendessem os assuntos de interesse comum ao povo brasileiro e não somente aqueles afetos a seus próprios interesses”.
    Estamos com Vossa Excelência nessa propalada guerra (sem sangue ?)

  2. Carlos Bahia
    quinta-feira, 3 de março de 2016 – 12:21 hs

    Não só limitar os ganhos principalmente dos marajás público, precisa congelar por 5 ou 10 anos todos “servidores” que recebam mais que 15 salários mínimos.
    Cerca de 23% dos servidores consomem 77% de toda verba gasta com a folha de pagamento de funcionarismo público.
    A unica saída é conter os gasto, como fazem os iniciativa privada.
    Não existe outra forma do governo equilibrar as contas públicas!

    Solução Burra!
    Até agora o governo só majorou imposto e taxas para aumentar a arrecadação.
    Invidiou o empresário, retraiu a economia e consequentemente perdeu receita.

    Eu avisei!

  3. Claudio Santana Júnior
    quinta-feira, 3 de março de 2016 – 14:32 hs

    Tem o nosso apoio, caro deputado

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*