Tese de Moro fulmina defesa de Gleisi | Fábio Campana

Tese de Moro fulmina defesa de Gleisi

índice

A tese sustentada pelo juiz Sérgio Moro de que está “comprovado” que propinas da corrupção na Petrobras abasteceram campanhas políticas por meio de doações oficiais fulmina a defesa adotada pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) no inquérito que responde no STF (Supremo Tribunal Federal) e nas investigações, as quais está envolvida, no âmbito na Operação Lava Jato.

Grande parte das campanhas da petista Gleisi Hoffmann – 2006, 2008, 2010 e 2014 – foi financiada por empreiteiras do petrolão ou com contratos no governo federal.

Gleisi, no entanto, se defende e diz que todas as doações foram legais e dentro da lei. Mas no seu despacho ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Moro afirmou que “reputou-se comprovado o direcionamento de propinas acertadas no esquema criminoso da Petrobras para doações eleitorais registradas (na Justiça Eleitoral)”.

Não é caso, no entanto, do inquérito que a petista responde, por corrupção passiva qualificada no STF, no qual é acusada de receber R$ 1 milhão desviado de propinas na Petrobras e não declarados na campanha de Gleisi em 2010. Apesar dos desmentidos da petistas, o repasse do dinheiro foi sustentado nas delações de Alberto Yousseff e Paulo Roberto Costa. Delações aprovadas pelo STF.

Corrupção – O inquérito do STF é um dos casos de suspeição das movimentações financeiras nas campanhas de Gleisi. A petista é investigada em mais quatro frentes pela Polícia Federal em decorrências das revelações apuradas pela Lava Jato e em uma delas por desvio de R$ 7,2 milhões do Ministério do Planejamento através do escritório do advogado de Gleisi em Curitiba. O ex-vereador Alexandre Romano, que entregou o esquema, também vai assinar delação premiada com detalhes do desvio do dinheiro.

Em outra frente, o Ministério Público Federal aponta que R$ 113 milhões podem ter sido desviados da Repar, dos quais R$ 5 milhões podem ter abastecidos as campanhas da senadora. Na prestação de contas da petista no TSE se constata que em quatro campanhas (2206, 2008, 2010 e 2014), Gleisi recebeu R$ 5 milhões através de doações suspeitas de sete empresas com serviços prestados na Refinaria Getúlio Vargas em Araucária e investigadas pela Operação Lava Jato.

O grosso dos repasses das empreiteiras se concentrou nas campanhas de 2008 (Gleisi disputou a prefeitura de Curitiba e perdeu) e de 2010 (ao Senado). Em 2008, Gleisi recebeu R$ 1,1 milhão da Camargo Correa (R$ 500 mil), OAS (R$ 250 mil), UTC (R$ 250 mil) e Mendes Junior (R$100 mil). Em 2010, Gleisi recebeu mais 2,8 milhões da Camargo Correa (R$ 1 milhão), OAS (R$ 780 mil), UTC (R$ 250 mil), Coesa (R$ 220 mil), Fujiwara (R$ 300 mil) e IBQ Indústrias Químicas (R$ 250 mil).

Repar superfaturada – Nota-se que 2008 e 2010 foram os anos de pico nas obras de ampliação da Repar, suspeitas por superfaturamento e investigadas pelo TCU. As suspeitam apontam desvios de R$ 85,9 milhões desviados das obras e metade desse total, R$ 43 milhões, foram para engordar os cofres do PT. Na campanha de 2006 (a primeira tentativa ao Senado), Gleisi recebeu R$ 220 mil de duas empreiteiras: OAS (R$ 100 mil) e UTC (R$ 100 mil). A UTC repassou mais R$ 900 mil para a campanha de Gleisi em 2014 (derrotada ao governo do paraná).

Até o momento, quatro contratos referentes ao pacote de obras de ampliação e modernização da Repar, lançado em 2006, já se tornaram alvos da Lava Jato com base nas mais de 30 denúncias oferecidas pelo Ministério Público Federal à Justiça Federal. Para o MPF, houve pagamento de propina nos contratos da refinaria firmados com o Consórcio Skanska/Engevix, Consórcio Conpar (Norberto Odebrecht, OAS e UTC), Consórcio CCPR (Camargo Corrêa e Promon) e Consórcio Interpar (Mendes Júnior, Setal e MPE). No total, em relação aos quatro contratos, o MPF já apontou cerca de R$ 113 milhões de propina até agora.


6 comentários

  1. Ketlin Pamella
    terça-feira, 16 de fevereiro de 2016 – 17:29 hs

    Assim é fácil ser Senadora !!

  2. henry
    terça-feira, 16 de fevereiro de 2016 – 21:00 hs

    A “falsa barbie” QUE HOJE ESTÁ COMO aSENADORA, TERÁ QUE DEVOLVER OS MILHÕES DESVIADOS DA ptROBRAS E IR EM CANA POR MUITOS ANOS.

  3. terça-feira, 16 de fevereiro de 2016 – 22:09 hs

    Quantas Bancas de Advogados a dona gleisi tem e quem está pagando ?
    Porque Lula tem 3 Bancas, importando 12 advogados dos mais caros do país

  4. OTIMISTA
    quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016 – 6:58 hs

    Ainda vou ver esta mulher e o Lula comerem marmitex…

  5. BETO
    quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016 – 13:11 hs

    PARABÉNS SERGIO MORO.

  6. Jorge Hardt filho
    quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016 – 21:22 hs

    Agora falta condenar a legalização da propina, implementada pelo PT.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*