Lava Jato investiga marqueteiro do PT e campanha de Gleisi | Fábio Campana

Lava Jato investiga marqueteiro do PT e campanha de Gleisi

índice

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) está sendo investigada novamente pela Lava Jato. A força-tarefa investiga agora pagamentos
atribuídos a Odebrecht em contas, no exterior, controladas pelo marqueteiro João Santana, responsável por campanhas do PT e da presidente Dilma Rousseff (PT). Uma das campanhas investigadas é a de Gleisi Hoffmann para prefeitura de Curitiba em 2008. Santana fez a campanha de Gleisi e recebeu R$ 16 milhões da petista e da campanha da senadora Marta Suplicy (PT-SP), conforme revelou a Folha de S. Paulo na edição de sexta-feira, 12.

O jornal aponta que os recursos recebidos por Santana no exterior, de campanhas petistas, em tese podem ser caracterizados como caixa 2. Gleisi fez uma campanha milionária para prefeitura de Curitiba em 2008. Gastou 10,8 R$ milhões (valores atualizados) e perdeu feio ao fazer apenas 18% dos votos (183.027). O grosso das contribuições desta campanha veio das empreiteiras investigadas na Lava Jato: R$ 1,1 milhão da Camargo Correa (R$ 500 mil), OAS (R$ 250 mil), UTC (R$ 250 mil) e Mendes Junior (R$100 mil).

Em 2008, a petista também recebeu R$ 1,5 milhão do diretório estadual, R$ 700 mil do PT e outros R$ 150 mil do diretório municipal. Nesse montante pode ter repasses feitos pela Odebrecht e subsidiárias aos diretórios municipal, estadual e nacional e que foram repassados para campanha Gleisi.

Segundos os repórteres Daniela Lima, Marina Dias e Graciliano Rocha, os dados sobre a movimentação financeira de Santana integram pacote de documentos enviados ao Brasil pela promotoria suíça em acordo de cooperação.

O inquérito que apura as finanças do publicitário foi aberto em novembro do ano passado e tramita em sigilo, em Curitiba. Ele passou a ser investigado após a Polícia Federal encontrar na casa do lobista Zwi Skornicki, ligado ao estaleiro asiático Keppel Fels, uma carta de Mônica Moura, mulher e sócia de Santana. O manuscrito indicava contas de Santana na Inglaterra e nos EUA. A informação foi revelada pela “Veja”.

Oficialmente, Santana recebeu R$ 88,9 milhões da campanha de Dilma em 2014. Outros pagamentos vinculados à campanha, se confirmados, seriam em tese caixa 2. As informações sobre a investigação foram confirmadas pela Folha com três autoridades que atuam no caso, advogados que acompanham a Lava Jato e pessoas ligadas a executivos da Odebrecht.

A empresa, maior empreiteira do país, cresceu nos governos petistas e é investigada por suspeita de corrupção em obras da Petrobras.


3 comentários

  1. henry
    sábado, 13 de fevereiro de 2016 – 16:55 hs

    A “falsa barbie” DO NARIZ EMPINADO, DEVERÁ DEVOLVER OS MILHÕES ROUBADOS DA ptROBRAS, E TAMBÉM IR EM CANA EM PINHAIS.

  2. O Insuportável
    sábado, 13 de fevereiro de 2016 – 17:33 hs

    Mas que injustiça!!! Qualquer um vê que esses dois são, respectivamente, o terceiro e a segunda, pessoas MAIS ONESTAS DO BRASIL, QUIÇÁ DO MUNDO!!! O primeiro? Ora, que pergunta!!! O primeiro MAIS ONESTO é, obviamente, O CHEFE DA ORGANIZAÇÃO!!!!!

  3. sábado, 13 de fevereiro de 2016 – 20:06 hs

    Que fome por dinheiro,isto e inspiração do Paulo Bernardo,vao para a cadeia!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*