Prefeito e deputado temem pelo fechamento de unidade da Petrobras em São Mateus do Sul | Fábio Campana

Prefeito e deputado temem pelo fechamento de unidade da Petrobras em São Mateus do Sul

bakri e prefeito

O prefeito interino de São Mateus do Sul, Clóvis Distefano (PSC), e o deputado Hussein Bakri (PSC) temem pelo fechamento da usina de xisto da Petrobras na cidade. O alerta será levado amanhã (quarta-feira, 20) pelas lideranças da região ao governador Beto Richa. O prefeito lembra que a usina representa 40% da arrecadação do município e e só em 2015 gerou R$ 80 milhões em impostos. Atualmente, três mil empregos diretos e indiretos são gerados pela unidade.

“Existe um estudo, que está sendo feito em todo o Brasil nas unidades da Petrobras, e a nossa unidade corre sérios riscos de ser fechada, o que vai afetar ainda mais a economia do município. Vamos até Curitiba para pedir o apoio do governador para que uma interferência seja feita e que esse possível fechamento não seja concretizado”, alerta Disfefano.

“Quero lutar pelo bem do povo paranaense, por isso vou até o fim nessa empreitada”, disse Bakiri que agendou a reunião das lideranças da região com Richa. A reunião será nessa quarta-feira no Palácio do Iguaçu.


8 comentários

  1. lika
    terça-feira, 19 de janeiro de 2016 – 17:22 hs

    Mas,, cá entre nom a nós, o que tem haver o Beto com a Petrobras, isso é coisa do governo federal.

  2. lika
    terça-feira, 19 de janeiro de 2016 – 17:23 hs

    Mas,, cá entre nós, o que tem haver o Beto com a Petrobras, isso é coisa do governo federal.

  3. Zezao
    terça-feira, 19 de janeiro de 2016 – 18:27 hs

    Por que INTERINO? Corrija Fábio. Ele é o prefeito ELEITO.

  4. Fala sério pô
    terça-feira, 19 de janeiro de 2016 – 19:35 hs

    Não entendi, quem comanda a Petrobrás são os “cumpanheiros” do PT.
    Então, vais falar com Beto o que?

  5. zé povinho
    terça-feira, 19 de janeiro de 2016 – 20:20 hs

    Com os atuais preços do petróleo até a existência da própria estatal se questiona. Até parece praga de madrinha, toda aquela propaganda de que o Brasil ia virar rico, iríamos faturar um milhão, que o pré-sal iria nos tornar um superpotência econômica, virou pó. Até a Venezuela, que está sentada em cima do petróleo, está na pior. E com a entrada do Irã a tendência dos preços do ouro negro é ficarem mais baixos ainda. Vai ser mais vantajoso importar petróleo do que produzi-lo. E daí Petrobrás, como é que ficamos? Continuamos produzindo prejuízos?

  6. medonho
    terça-feira, 19 de janeiro de 2016 – 20:48 hs

    Alguns grupos economicos deveriam analisar a hipótese de dar continuidade a extração de oleo e gas e outro sub produtos.
    A idéia talvez até seja pressionar o governo para propor novos incentivos e manter neste momento cr´tico empregos e a sobrevivência da região.
    Este é o risco de se ter dependência de uma única atividade monopolizada.
    A principal culpa são de administradores que se apegam somente aquela fonte de receita. No paraná temos a Klabin celulose, esta está ampliando a produção em funçao da demanda, mas há dependência.
    O governo tem de planejar e viabilizar desenvolvimentos sustentáveis e menos dependente.

  7. Intruso
    quarta-feira, 20 de janeiro de 2016 – 0:10 hs

    Peçam ao Juiz Moro q ñ deixe fechar..

  8. Andre L. Portes
    quinta-feira, 28 de abril de 2016 – 12:41 hs

    Fechar a Petrobras, seja qual for a unidade, é o mesmo que “matar a galinha dos ovos de ouro”! Não há interesse que ela se feche, no entanto, só se for bem administrada poderá conservar os milhares de brasileiros que dependem de sua “saúde financeira”! Agora, que São Mateus do Sul (minha terra natal) deveria pensar mais em criar outras oportunidades para novos investidores ao invés de ficar “dependendo” só da Unidade da Petrobras…Ah, isso deveria! Encontrar uma nova fonte de riqueza para o bem estar do povo! Felicidades!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*