Polícia prende quadrilha que assaltou 22 bancos | Fábio Campana

Polícia prende quadrilha que assaltou 22 bancos

índice

Uma quadrilha suspeita de praticar 22 roubos a bancos e caixas eletrônicos foi presa na manha desta quinta-feira (21), durante a Operação Cangaço deflagrada pelo Departamento de Inteligência do Estado do Paraná (Diep), conta com apoio das Polícias Civil e Militar. A última ação do bando aconteceu na segunda-feira (18) na cidade de Curiúva.Londrina, 21/01/2016.Foto: Divulgação SESP[/caption]

A operação cumpriu 22 mandados de prisão e outros 44 de busca e apreensão. Pela manhã, 20 pessoas foram presas, entre elas um funcionário público da Prefeitura de Ortigueira. Ele é suspeito de operar as máquinas retroescavadeiras em um dos assaltos. Fabiano de Jesus Pereira Ortis, 27 anos, considerado um dos líderes da quadrilha, foi morto durante a operação. Ele reagiu à presença da equipe, foi baleado e encaminhado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Com ele, os policias apreenderam uma metralhadora e uma pistola .40.

Além de Ortigueira, a operação aconteceu em Telêmaco Borba, Imbaú, Faxinal, Lerroville, Mauá da Serra e Londrina. De acordo com o balanço parcial da ação, foram apreendidos, drogas, armas – incluindo metralhadoras e pistolas – carros, munições, farda camuflada, balança de precisão, uma grande quantidade de cigarro, celulares, pendrive, máscaras e computadores.

“Esse tipo de ação criminosa, organizada, armada e violenta, deve ser combatida com prioridade pela Segurança Pública do Paraná, até pelo trauma que causa à sociedade. Somente com ações integradas, no modelo de força-tarefa, com suporte dos órgãos de inteligência, será possível alcançar o resultado positivo, como este da Operação Cangaço”, disse o secretário da Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita.

Parte desta quadrilha foi presa em 12 de setembro de 2015, na BR 277, em São José dos Pinhais, onde os suspeitos repassavam fuzis para outros integrantes da organização criminosa. Dez pessoas foram presas e o líder do bando, Amaral Ferreira Americano, de 36 anos, morreu após trocar tiros com os policiais.

Dentro da quadrilha, Amaral era quem sabia manusear explosivos. Após a morte dele, o bando começou a diversificar o modo de agir passando a usar, por exemplo, retroescavadeiras para destruir as agências bancárias e roubar o cofre. Uma característica marcante desta organização criminosa é a violência empregada em algumas ações como em Curiúva e Tamarana.

“Nesta operação fica evidenciado o esforço integrados dos órgãos da Segurança Publica do Estado, honrando o compromisso do governo com um Paraná seguro”, falou o comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Mauricio Tortato.


4 comentários

  1. RR
    quinta-feira, 21 de janeiro de 2016 – 19:31 hs

    A CATERVA DO LULEPROSO ESTA DIMINUINDO.

  2. Luciano R. Ayres
    quinta-feira, 21 de janeiro de 2016 – 23:51 hs

    Belo trabalho da Polícia!

  3. QUESTIONADOR
    sexta-feira, 22 de janeiro de 2016 – 11:56 hs

    -Parabéns aos policiais envolvidos nesta operação e também o setor de inteligência das forças de segurança.
    -E quanto às demais quadrilhas que continuam causando prejuízo à sociedade???
    -Esta quadrilha é apenas a ponta do iceberg…não duvida que exista muito mais criminosos organizados à roubo de bancos, de cargas, tráfico de drogas e contrabando de armas….e pode ainda piorar…mas por enquanto os criminosos estão sofrendo com as ações policiais!!!

  4. Juca
    sábado, 23 de janeiro de 2016 – 5:24 hs

    Olha aí, a quadrilha tinha como epicentro Londrina!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*