Pela metade do preço | Fábio Campana

Pela metade do preço

Por Fábio Campana

Há investidores interessados pelo Brasil. Acreditem, o que chama a atenção deles é o preço de liquidação. O Brasil está pela pela metade do preço. No Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, o empresário George Logothetis, afirmou: “O investimento em dólar ficou baixo e estamos olhando mais negócios no Brasil”, Seu grupo, controlado pela família, de origem grega, tem interesse em transporte marítimo, aviação, hotéis e energia. O mexicano Alejandro Ramirez, presidente da Cinepolis, uma das maiores companhias de salas de cinema do mundo, quer comprar o que estiver à venda no Brasil, onde já tem 320 salas: “O câmbio está tão favorável que estou achando que paguei caro no passado pelo negócio lá no Brasil”; diz Octávio de Barros, economista-chefe do Bradesco.


4 comentários

  1. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 25 de janeiro de 2016 – 12:37 hs

    Vamos começar a contratar empresas chinezas para fazer pontes e asfaltar km da 445

  2. O Insuportável
    segunda-feira, 25 de janeiro de 2016 – 12:40 hs

    Ou seja, LUla/Dilma/PT conseguiram aquilo que os malvados “neo-liberais” não conseguiram: ENTREGAR O BRASIL AOS ESTRANGEIROS, A PREÇO DE BANANA!!!!!!! Parabéns, PT!!!!

  3. toninho
    segunda-feira, 25 de janeiro de 2016 – 15:28 hs

    Brasileiros estão vendendo os seus bens, suas empresas e levando o dinheiro para Miami, descontentes com os rumos da economia do País. E os compradores são os estrangeiros que enxergam bons negócios e bons futuros lucros. O mundo globalizou. Um capital sai e outro entra, o que torna indiferente de quem é a propriedade. O dinheiro continua no mesmo volume. Conheço alguns brasileiros que venderam o que tinham e vivem de rendas em Miami, em belos apartamentos e grandes barcos, sem a preocupação com a pobreza e a miséria que deixaram por aqui. A pobreza não se formou nos últimos 15 ou 16 anos. É resultado de uma distribuição muito desigual da renda de há muitos anos. Se não tem outro jeito que venha o capital estrangeiro, façam as obras que precisamos, ganhem o seu dinheiro.

  4. zé povinho
    segunda-feira, 25 de janeiro de 2016 – 17:52 hs

    não somente asfaltar estradas mas também comprar vagões de trens para o metrô curitibano, se este um dia sair do papel. Madame K comprou composições chinesas para modernizar algumas linhas de trens na região da Grande Buenos Aires. E vagões para as linhas do metro da cidade, excelente equipamento. Mas o que estes investidores -especuladores não sabem ainda é que aqui em Pindorama as regras podem mudar durante a partida. É bom que não saibam porque se souberem a grana não aparece por aqui.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*