Uma presidente que não sabe fazer política | Fábio Campana

Uma presidente que
não sabe fazer política

dilma_ JW_o globo

Lauro Jardim, O Globo

Para que o mundo não lhe caísse ontem sobre a cabeça bastava que Dilma Rousseff virasse o voto de dois petistas do baixo clero no Conselho de Ética. Dilma não teve esse capacidade.

Se o fizesse, Eduardo Cunha teria os votos que precisava para garantir o seu mandato — e não terminaria o dia sacando o impeachment do seu saco de maldades. Agora, Dilma tentará a via judicial para acabar com o processo. Recorrerá ao Supremo.

Se não for bem sucedida, terá uma tarefa mais ingrata: conquistar um terço do Congresso para tentar manter-se no Palácio do Planalto. O cenário de depressão econômica torna a missão da presidente ainda mais penosa.

A deflagração do processo de impeachment acontece sobretudo por uma razão: a presidente da República não sabe fazer política. Nunca soube lidar com o Congresso ou construir alianças desde que assumiu em 2011. Não recebia políticos em seu gabinete, não lhes dava atenção.

Sua relação com os políticos, aliás, é recheada de histórias que beiram o inacreditável para quem precisa dessa turma para governar. Inúmeras vezes, por exemplo, deixou de dar carona no jato presidencial para deputados e senadores que participariam de um mesmo evento. Parlamentar não esquece deste tipo de desfeita.

A ironia é que agora Dilma vai precisar justamente da política para barrar o impeachment.

E com quem ela pode contar? Michel Temer está afastado do Palácio do Planalto. Além do mais, por que ajudaria Dilma, se ele pode ser o beneficiário direto de sua queda?

Em resumo, conquistar o PMDB numa hora dessas não é empreitada para amadores. O próprio PT tem se mostrado distante e rebelde.

O dia de ontem terminou com dois grandes perdedores, Dilma Rousseff e Eduardo Cunha.

O presidente da Câmara mostrou que não controlava o Conselho de Ética. Dilma, pelas razões óbvias.

Cunha, entretanto, mesmo alquebrado, ainda tem o poder de chantagear o governo neste processo. Conseguiu manter o seu futuro ligado ao da presidente por mais algumas semanas.


9 comentários

  1. SOLANGE LOPES
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 – 14:45 hs

    O bunda tatuada vai ficar sem time para torcer no ano que vem.

  2. Rock
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 – 16:48 hs

    Isso não é questão de habilidade politica e sim não ceder a chantagens parabéns Dilma demonstrou que tem fibra e caráter e por isso merece a confiança do povo brasileiro.

  3. LENZA TOLEDO
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 – 17:10 hs

    Ela merece a confiança do povo brasileiro? Para pensar assim, só a turma do facão e outros mais que vivem da mesma teta. O brasileiro honesto jamais pensará assim.

  4. Marcelo Cardoso
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 – 18:14 hs

    Correta a decisão de Dilma e correta a decisão dos três mosqueteiros do PT. Este tipo de negociata só depreciaria ainda mais o governo e, por outro lado, quem garanteria que o Cunha não mentiria de novo.

  5. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 – 18:20 hs

    Rock, volte lá pro parquinho: tem escorregador, roda-roda, balanço, túnel…essas coisas.

  6. quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 – 19:00 hs

    Dilma é politiqueira SIM, fez negociatas com Cerveró, Erenice Guerra, Graça Foster, Gabrieli, com Cunha de montão e até a última hora.
    Dilmá é enganadora, mentirosa, se fez em cima de manipulações, mentiras e falcatruas
    Pra onde virar tem maracutaia da dilma para se eleger e se manter no poder.
    Mas o pior de Dilma é que além de mentirosa, é INCOMPETENTE, fez lambanças a mando do seu criador e agora taí sofrendo as consequências , merecidamente

  7. Helena
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 – 19:49 hs

    Sabe sim, sabe fazer a politica da mentira da fraude da enganação e da incompetência.

  8. Juca
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 – 19:52 hs

    “Mentia com tanta ênfase que até mesmo o contrário do que dizia estava longe de ser a verdade. ”
    Stanislaw Ponte Preta

  9. SOLANGE LOPES
    sexta-feira, 4 de dezembro de 2015 – 23:02 hs

    Rock, merece a tua confiança, a minha não.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*