FHC e a cafajestada da "otoridade" | Fábio Campana

FHC e a cafajestada da “otoridade”

índice
Fernando Henrique Cardoso (na foto com Beto Richa pouco antes embarcar em Brasília para São Paulo) passou por uma daquelas situações desagradáveis que só acontecem quando a veia autoritária dos nativos com função de “otoridade” se encontra com o vício nacional da cafajestada. Depois da reunião dos tucanos na noite desta quinta, o ex-presidente, 84 anos, entrou na fila de embarque e ao passar pelo detector de metais, soou o alarma. FHC voltou, foi orientado a tirar cinto, mas ao passar, novo alarma.

Paciente, retornou e lhe mandaram tirar os sapatos. Descalço, passou e deu na mesma. Então teve que tirar tudo que pudesse acionar o alarma. Sob o olhar de soberba do policial e a natural curiosidade da plateia. Nem os suspeitos de terrorismo passam por exame tão rigoroso e detalhado nos aeroportos da Europa, como esse imposto ao ex-presidente da República, que merece respeito maior do que esse que lhe podem dar nossos despreparados policiais de aeroporto.

Qualquer um que tenha dado as contribuições que deu ao país, que tenha exercido o cargo de chefe da Nação, merece mais do que isso. Pena que os acompanhantes de FHC, Beto Richa e Cássio Cunha Lima, não fizeram fotos. Seriam históricas emblemáticas de uma época de mediocridades que estamos vivendo.


19 comentários

  1. Juca
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 5:37 hs

    Enquanto isso a turma do PT e a parentada do Cachaceiro tem passaporte diplomático,não entram em filas e nem vistoria de bagagens ou detetor de metais.

  2. TROLL
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 6:10 hs

    Apologia ao “carteiraço”?
    Isto ocorre com todos os mortais cuja contribuição ao país foi a de pagar impostos a vida toda.
    Portanto,vão catar coquinhos ….

  3. Não são puliça
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 6:58 hs

    Devida correção.
    Não são policiais, são apenas terceirizados de uma empresa contratada pelo Infraero sob a supervisão de uma autoridade policial federal, que tem responsabilidades sob os aeroportos internacionais.
    Ou seja, uma vergonha, pois os agentes e os delegados ficam na salinha confortavelmente instalados e os agentes terceirizados mandando ver na otoridade e no ajuste do equipamento que apita hoje se você tiver um envelope plastificado de lenço umedecido distribuído pelas companhias aéreas.
    Um acinte.

  4. Renato Britto Barros
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 7:58 hs

    Realmente uma situação bastante constrangedora, mas hojeo ex presidente é uma pessoa igual a qualquer um de nós.
    A lei é para todos.

  5. manoel
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 8:08 hs

    Peraí
    Quer dizer que quem prestou relevantes serviços ao país está acima da lei?
    Tenho certeza que o ex-presidente sabe que conforme diz a constituição TODOS são iguais perante a lei

  6. Terrorismo
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 8:58 hs

    Campana, você não está correto. Já imaginou um cenário onde terroristas implantassem no FHC bombas, pensando que este não passaria por uma revista rigorosa?

    Revista de aeroporto é para qualquer um, e em qualquer nível de inspeção.

  7. Observador
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 9:08 hs

    A pior coisa que pode acontecer para o desenvolvimento de um país, é entregar o seu comando a pessoas despreparadas e sem Deus em suas ações. Este fato que aconteceu com o ex-presidente Fernando Henrique, nada mais é do que um dos últimos suspiros desta corja que ainda habita neste País. Se possível fosse, eles certamente ainda fariam o tucano dançar no saguão do aeroporto pelado, na tentativa de ver alguns dólares caírem ao chão, como aliás eles fizeram transportando nas cuecas. Senhor Fernando Henrique Cardoso, tenha calma pois os brasileiros saberão separar uma coisa da outra na hora certa. Que Deus lhe proteja pois ainda vamos precisar muito da sua inteligência.

  8. Haroldo
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 9:12 hs

    Dê um apito e um cassetete para o guarda noturno, para ver o que acontece. Não teria sido proposital por parte do funcionário do aeroporto?

  9. Alaor
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 9:42 hs

    Porque mereceria tratamento diferenciado, e um cidadão como qualquer outro. E o desrespeito que fazem com os trabalhadores quando estão em seus cargos não se fala nisto. O policial agiu corretamente ele esta ali para exercer o seu mando de policial.

  10. xiru de palmas
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 10:04 hs

    Me desculpem a opinião, mas é muito simples:
    Tem detector de metal? Tem. Então todo metal que estiver transportando (até moedinhas) serão detectados.
    O velho ex-presidente deve saber disto, pois viaja mais de avião do que eu no meu pingo.
    Se nunca antes na história do Brasil ocorreu isto com o FHC foi porque as normas não foram cumpridas.
    Os atendentes fizeram a coisa correta, de acordo com o protocolo.
    Eu quando viajo de avião já vou prevenido, tiro a guaiaca, a prateada e as esporas. Vou de bombacha e alparagatas para não ter que passar por isso

  11. Sergio Silvestre
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 10:28 hs

    Fhc,Cássio Cunha Lima e Beto,Já sei por que disparou o alarme,os três são terroristas perigosos para o Brasil.

  12. Rock
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 10:41 hs

    Se o alarme tocar para outro cidadão qualquer ele tem que ser averiguado e em muitos casos fica só de roupas intimas o que ele tem de especial que não pode ser tratado como uma pessoa normal.

  13. Thayna
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 10:53 hs

    Medíocre é a notícia dizer que “Nem os suspeitos de terrorismo passam por exame tão rigoroso e detalhado nos aeroportos da Europa”. Qualquer um que passe por lá sabe que é normal passar de meias e voltar dez vezes se necessário caso o detector apite. Não é nenhuma falta de respeito aplicar as regras a todo cidadão da mesma forma, já que é isso que pregam as normas de segurança.

  14. Neto
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 10:59 hs

    E que tal olharmos pelo prisma de que qualquer um deve se submeter às leis e normas vigentes em nosso país?
    Fernando Henrique, por certo, não reclamou de ter passado por esse momento no aeroporto. Qualquer outro o faria. Mais uma vez, comprova o estadista que é. Inteligente, sabe que as leis e normas são para todos. Onde está escrito em nossas cartas legais, que presidentes da república são diferentes do qualquer cidadão ao término de seus mandatos?
    Somente o crustáceo pensa assim. Quer mandar no país e se acha acima do bem e do mal.
    FHC dá exemplo de cidadania, como sempre.

  15. Alaor
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 12:31 hs

    FHC dá exemplo de cidadania, como sempre????!!!!!!!!!!!!

  16. willian
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 13:11 hs

    Infeliz comentário, típico da imprensa que quer aparecer não tem o que falar então vamos malhar a policia. O policial fez o serviço dele, se fez melhor que na Europa está errada a polícia da Europa e o FHC fez o que o policial pediu e mostrou que a humildade é o melhor de tudo.

  17. ferreira
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 14:00 hs

    Se tal atitude acontecer quando o lulladrão e a dilma tiverem que andar em aviões de carreira; meus senhores, coitadas das mães dessas pequenas ‘otoridades’ .

  18. zé povinho
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 18:33 hs

    Papo furado, na Europa é assim também, apitou tirou. Se o policial não procedeu com educação com o idoso é porque o cara é mal educado mesmo. Felizmente do FHC não surtou como muitas “celebridades ” adoram fazer.

  19. luiz antonio
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 – 20:25 hs

    Não é nada demais. Ninguém, está (ou deve estar) acima da lei. E sendo do quem é, tenho certeza que passou por este episódio sem se sentir desrespeitado. Questão de berço, sabe? Já se ocorresse com o nove dedos ou a dentuça….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*