Crise fecha supermercados | Fábio Campana

Crise fecha supermercados

É grave a crise. Quatro supermercados da rede Mercadorama fecharam as portas ontem, em Curitiba. Mercadorama hoje é da rede Wal-Mart, que prevê novas unidades fechadas em todo o Paraná. Outras redes também pretendem diminuir o número de unidades para fazer frente à crise econômica do país.


7 comentários

  1. antonio
    quarta-feira, 30 de dezembro de 2015 – 19:01 hs

    Não é por crise, mas sim por falta de competência administrativa. Outras redes estão crescendo. O Walmart acabou com a rede Mercadorama que era a melhor de Curitiba. Começou com o Grupo português Sonae que adquiriu e destruiu o Mercadorama. Depois veio o Walmart que nada fez para melhorá-lo. Era só ir em uma loja e ver em loco a decadência. Era previsível que ia acontecer isso. Tentaram impor a sua marca genérica nos produtos o que não é da nossa cultura que gosta de escolha.

  2. joao
    quarta-feira, 30 de dezembro de 2015 – 21:33 hs

    A desvalorização da moeda talvez seja o fator mais relevante, pois, são grupos acostumados com economias estáveis e consequencia enviar grandes somas do resultado para sua matriz.
    Enquanto isso, os mercadinhos de bairro estão duplicando, trabalham enxuto e se adequam às condições do consumidor com cheques pré datados e pendurando com prazo mais flexível.
    As redes nacionais terão mais espaço.

  3. quarta-feira, 30 de dezembro de 2015 – 21:44 hs

    DESgoverno do PT rouba e o povo paga o pato

  4. sgto tainha
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2015 – 0:09 hs

    A Verdade é que a rede aqui esta sofrendo as consequencias da roubalheira e fraudes nos EUA! Essa é a verdade! Nunca se ganhou tanto aqui no Brasil depois que a famiglia DEMETERCO vendeu suas lojas Mercadorama.M.R.

  5. FUI !!!
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2015 – 7:06 hs

    A realidade é bem pior do que aparece nos noticiários. Estamos
    em pleno final de ano, Natal e Ano Novo… Carnaval vindo por aí…
    No meio das festividades a maioria do povão ainda não deu con-
    ta que o “fumo de rolo” está chegando. Quando lemos que os
    países que poderiam investir maciçamente no Brasil desistiram, o
    HSBC foi embora, redes de supermercados fechando unidades,
    lojas tradicionais de varejo demitindo; a crise é mais grave do que
    parece. Para os mais jovens e incautos vale o velho ditado:- poupem
    hoje para sobreviver amanhã… se sobreviverem…

  6. valdir izidoro silveira
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2015 – 7:22 hs

    Fabio, para essa máfia nunca tem crise; agem assim quando não podem explorar mais. Crise! Que crise? Peguei minha bicicleta ontem e fiz um ” tour” entre Pontal do Sul e Praia de Leste. Orla marítima repleta de gente que fugiu da ” crise” de Curitiba ou de outras regiões do Estado. Botecos, bares e restaurantes lotados, bem como lojas e supermercado. Deixem de canalhices, a crise é política e provocada pelos golpistas que ainda não assimilaram a derrota de 2014. O Congresso Nacional está paralisando o país numa ação de vendeta.

  7. SOLANGE LOPES
    sexta-feira, 1 de janeiro de 2016 – 21:36 hs

    Como disse em um comentário anterior, somente idiota defende a quadrilha do PT e nesta matéria o primeiro já se apresentou. E veio de bicicleta.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*