Para aproveitar o sábado | Fábio Campana

Para aproveitar o sábado

música

corrente_cultural_DC

– Corrente Cultural, diversos locais e horários.
– No Samba, Teatro José Maria Santos, 20h.

cinema

– Cuba libre, Cinemateca de Curitiba, 15h.
– Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba, diversos locais e horários.
– Ruth e Alex, Cineplex Batel.

teatro

– O Baú de Lúcia, Miniauditório do Teatro Guaíra, 16h.
– Golpe de Mestra, Miniauditório do Teatro Guaíra às 21h.
– Um homem chamado Francisco, Teatro SESI Portão, 20h.
– Clarice e Eu – O Mundo Não é Chato, Teatro Bom Jesus, 21h.

exposição

– União Soviética através da câmera, MON até às 18h.
– Ida Hannemann de Campos, entre o pincel e a pena, Museu de Arte Contemporânea do Paraná, até às 16h.

literatura

– Brisa em Bizâncio, Fernando José Karl
– A casa azul ao meio dia (The blue house around nonn), Flávia Rocha

para aproveitar o final de semana – sábado

música?

– Vai até amanhã a programação da Corrente Cultural. Dezenas de atrações se apresentarão em teatros, ruas da cidadania, espaços musicais, parques, terminais de ônibus e nas ruas da cidade. No sábado, dia 7, e domingo, dia 8, a cidade terá cinco palcos com apresentações de grandes nomes da música nacional, além de bandas e DJs curitibanos. A programação completa você confere aqui: http://www.correntecultural.com.br/programacao

– “No Samba” reverencia o mais tradicional dos gêneros musicais e leva ao palco repertório da Era de Ouro. O show destaca o repertório de sambistas consagrados, como Ary Barroso, Noel Rosa, Dorival Caymmi, Assis Valente e Braguinha, numa releitura que promove o diálogo entre o samba e outros gêneros musicais. Com Gabriel Schwartz (flauta, clarinete e saxofone), Daniel Migliavacca (bandolim, violão tenor e cavaquinho), Lucas Melo (violão de sete cordas), Luiz Rolim (percussão) e

Marcio Juliano (vocal), Teatro José Maria Santos, 20h.

cinema?

– A Cinemateca de Curitiba exibe “Cuba libre”. O documentário aborda o retorno da atriz transexual cubana Phedra de Córdoba, do grupo teatral Satyros, a Havana depois de 53 anos sem pisar no seu país, colocando em discussão a luta pelos direitos dos homossexuais num ambiente extremamente machista como a ilha governada durante décadas por Fidel Castro, hoje comandada por seu irmão Raúl. Ao mesmo tempo, haverá no hall da Cinemateca uma exposição sobre Che Guevara. 15h.

– Vai até o dia 14 de novembro o Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba. Diversos filmes serão exibidos em nove espaços da cidade. A programação completa você confere aqui: http://bienaldecuritiba.com.br/en/cinema.

– No Cineplex Batel (Shopping Novo Batel) “Ruth e Alex”. O drama conta a história do casal que decide vender o apartamento onde sempre viveu no Brooklyn, NY. As negociações para se desfazer do imóvel que compraram na década de 1970 trazem uma série de problemas inacreditáveis. A direção é de Richard Loncraine.

teatro?

– “O Baú de Lúcia” é espetáculo infantil que convida para uma viagem ao mundo das histórias da literatura e da fantasia através de personagens cheios de imaginação, Miniauditório do Teatro Guaíra, 16h.

– “Uma sátira sobre aos valores consagrados na política e na gestão pública. Cansadas da incapacidade dos homens no governo, as mulheres sorrateiramente tomam o poder e instalam uma Republica Feminina, baseada na divisão e multiplicação dos bens e dos sentimentos” é o que propõe a peça “Golpe de Mestra”, que está em cartaz no Miniauditório do Teatro Guaíra às 21h.

– “Um homem chamado Francisco” é peça baseada na vida de São Francisco de Assis, que mistura fatos reais com ficção e tem a intenção de conduzir o expectador a uma reflexão sobre a natureza humana e suas questões existenciais. Revela a forma da vida de um homem e seu sofrimento por sentir de forma dual Deus e o Diabo agindo sobre si. Teatro SESI Portão, 20h.

– Motivada pela semelhança visual com a escritora, a atriz Rita Elmôr adaptou uma série de textos de Clarice Lispector e estruturou o monólogo “Clarice e Eu – O Mundo Não é Chato”, no Teatro Bom Jesus, 21h.

exposição?

– Até o dia 13 de dezembro está em cartaz no Museu Oscar Niemeyer “União Soviética através da câmera”, com cerca de 200 imagens em preto e branco feitas por seis importantes fotógrafos da União Soviética. As fotografias são do período de 1956, a 1991. Para retratar este ambiente, os curadores selecionaram obras de alguns dos mais importantes fotógrafos da URSS: Viktor Akhlomov, Yuri Krivonossov, Antanas Sutkus, Vladimir Lagrange, Leonid Lazarev e Vladimir Bogdanov. O MON fica aberto de terça a domingo, das 10h às 18h.

– A mostra “Ida Hannemann de Campos, entre o pincel e a pena”, tem curadoria de Fernando Bini, com mais de 100 obras da pintora curitibana que tem a cor como principal elemento para construção de significados. No Museu de Arte Contemporânea do Paraná, de terça a sexta das 10h às 19h, sábado e domingo das 10h às 16h.

literatura?

– Brisa em Bizâncio, Fernando José Karl

Fernando José Karl trabalha em sua poesia os elementos da natureza de maneira renovada, sem cair em racionalismos, negando a oposição entre observador e objeto e procurando a unicidade da poesia. A simplicidade de linguagem e temas não é tomada como banalidade, e sim como um meio para alcançar o estado poético pleno que o autor procura. Mesmo com uma temática geral, que vence barreiras culturais e geográficas, o autor não se perde em transcendentalismos. Quando temas místicos se apresentam, são resolvidos na esfera do cotidiano, fundindo-se às emoções, aos sonhos, aos desejos e perdas elementares. Em Brisa em Bizâncio a poesia é vista de maneira integral, tanto nos experimentalismos quanto nas provocações.

– A casa azul ao meio dia (The blue house around nonn), Flávia Rocha

Poemas escritos durante o período em que a autora morou em Nova Iorque, como resultado de mestrado em poesia na Columbia University. Escrito em duas línguas, os poemas refletem a busca por uma linguagem própria e livre dos vestígios de tradução. O livro está dividido em quatro capítulos, sendo três bilíngües e um inteiramente em inglês. Com fotografias de Fernanda Rocha.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*