Para aproveitar o domingo | Fábio Campana

Para aproveitar o domingo

música
images

– João Triska, Teatro do Paiol, 19h.
– No Samba, Teatro José Maria Santos, 20h.
– Orquestra Sinfônica do Paraná, Teatro Guaíra, 10:30.
– 1º Festival de Ópera do Paraná, Guairinha, 18h.

cinema

– Hipócrates, Espaço Itaú de Cinema, Shopping Crystal.
– Mamma Roma, Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal).
– Acossado.

teatro

– O burguês fidalgo, Teatro da Caixa, 19h.
– Uma Travessia com Dante pelo Paraíso Afrodisíaco, Teatro Edson D’Ávila 21h.
– Concerto em Ri Maior, Teatro Guaíra, 19h.

exposição

– Negra Curitiba, Fotografias de Socorro Araújo, Museu Paranaense
– João Batista Vilanova Artigas – Nos Pormenores um Universo, Museu Oscar Niemeyer.

literatura

– Contos Irlandeses do Início do Século XX, Luci Collin
– Teoria Geral do Esquecimento, José Eduardo Agualusa

No Leia Mias, os detalhes da programação.

música

– Após turnê pelo interior do Paraná, João Triska retorna a Curitiba com o espetáculo “Nos Braços dos Pinheirais”, desta vez com a participação especial de integrantes da banda gaúcha “Rock de Galpão” .

O músico reúne variados gêneros, ritmos e elementos estéticos provenientes da região sul do Brasil e da América do Sul como base de seu trabalho autoral, que nas cordas da viola caipira traz à música regional uma linguagem refinada e contemporânea. “Nos Braços dos Pinheirais” foi inspirado na obra e no legado deixado por Salvador Graciano, o Nhô Belarmino. No Teatro do Paiol, às 19h.

– Último dia para assistir Gabriel Schwartz, Márcio Juliano, Daniel Migliavaca, Lucas Melo e Luiz Rolim em “No Samba”, que faz releitura de clássicos da Era de Ouro da música nacional. O show acontece às 20h no Teatro José Maria Santos.

– A Orquestra Sinfônica do Paraná se apresenta sob o comando do maestro Claudio Cruz, que também será o solista, em “Concerto em ré menor para violino e cordas”, de Mendelssonh, uma das obras do repertório. No Teatro Guaíra, às 10:30.

– A Ópera Sidéria encerra hoje o 1º Festival de Ópera do Paraná. A apresentação acontece às 18h no auditório do Guairinha.

cinema

– A produção francesa “Hipócrates” (Filme vencedor do prêmio César 2015 na categoria melhor ator coadjuvante para Reda Kateb) está em cartaz no Espaço Itaú de Cinema, Shopping Crystal. A sinopse diz: Benjamin tem certeza de que vai se tornar um grande médico. Mas em sua primeira residência no hospital onde o pai trabalha, nada acontece como previsto. A prática se revela mais difícil do que a teoria. A responsabilidade é terrível, seu pai é ausente e seu parceiro residente, Abdel, é um médico estrangeiro mais experiente do que ele. Benjamin vai confrontar brutalmente com seus limites, seus medos, os dos pacientes, das famílias, dos médicos e do pessoal. Sua iniciação começa. A direção é de Thomas Lilti.

– Mamma Roma (Anna Magnani) trabalha nas ruas da Itália mas sonha em mudar de vida para poder voltar a viver com o filho adolescente, esta é a descrição do drama Mamma Roma, de Pier Paolo Pasolini que está em cartaz no Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal), em diversos horários.

– Para quem prefere ficar em casa a dica é “Acossado”, um ícone da nouvelle vague. Bem-humorado, divertido, insolente e, principalmente, ousado, o filme de estreia de Godard foi baseado numa história real de um crime escrita por François Truffaut. A grande característica talvez seja a edição com seus cortes abruptos, a impressão que se dá é que os personagens estão correndo, correndo contra o tempo da vida. A trama não traz muitas novidades, Michel Poiccard (Jean-Paul Belmondo) é um bandido que abusa e rouba mulheres, se relaciona com Patricia Franchini (Jean Seberg) que entra num joguete de sedução. Há, no entanto, cenas clássicas, como a do olhar de Michel seguido por uma baforada do seu onipresente cigarro.

teatro

– Escrita em 1670 pelo francês Molière, O burguês fidalgo satiriza as necessidades de uma classe em ascensão na sua desenfreada busca por prestígio social. O chamado “sonho burguês de nobreza” – desejo de uma classe dominada em ocupar o lugar da classe dominante – é encarnado pelo Sr. Jordain, o burguês do título, que, embora seja casado, tenta conquistar o amor de uma nobre para se projetar socialmente. Suas tentativas o expõem ao ridículo e revelam o quanto está cercado de interesseiros, que tiram proveito das ilusões que cria sobre si mesmo. A análise de Molière vai além da visão sobre o comportamento social e, por meio do humor, volta-se para os conflitos sociais e políticos ocultos nas relações cotidianas na vida de um homem que se deixa enganar para ser aceito socialmente. No Teatro da Caixa, às 19h.

– A versão do Divino Grupo da terceira parte da trilogia d’A Divina Comédia de Dante está em cartaz no Teatro Edson d’Ávila. “Uma Travessia com Dante pelo Paraíso Afrodisíaco”, às 21h.

– O palhaço Wilson Schevchenco é um músico e maestro russo que conta com a ajuda do seu amigo palhaço Sarrafo para apresentar um espetáculo que mistura música e malabarismo. “Concerto em Ri Maior”, hoje, no Teatro Guaíra, às 19h.

exposição

– Projeção de fotos de Brunno Covello, no miniauditório no MON, sobre seu projeto intitulado “O Haiti é aqui”. Hoje, às 11 horas, o fotógrafo vai falar sobre esse trabalho.

– Abriu nesta semana, dentro da programação da semana da Consciência Negra, “Negra Curitiba, Fotografias de Socorro Araújo”. A exposição fica em cartaz até o dia 17 de fevereiro no Museu Paranaense e pode ser vista de terça à sexta, das 9h às 18h e sábado e domingo das 10h às 16h.

– “João Batista Vilanova Artigas – Nos Pormenores um Universo” está aberta em duas salas que ocupam um espaço de mil metros quadrados, com maquetes, projetos originais e desenhos do arquiteto, no Museu Oscar Niemeyer, que hoje fica aberto até às 18h.

literatura

– Contos Irlandeses do Início do Século XX, Luci Collin

Antologia, organizada por Luci Collin, que apresenta contos publicados entre 1902 e 1923, pretende não só mostrar a riqueza estilística e temática que marca o conto irlandês moderno, mas também chamar à cena alguns escritores raramente traduzidos no Brasil. Os contistas aqui reunidos podem ser divididos em dois grupos. O primeiro é formado por escritores que exploram temas e personagens ligados ao passado mitológico da Irlanda; neste grupo enquadramos Lady Gregory, W. B. Yeats, Lord Dunsany, James Stephens e Seumas O’Kelly. Já o segundo grupo, é formado por escritores que abordam o cotidiano dos irlandeses de uma perspectiva mais contemporânea e com um nítido caráter de crítica, social e política; neste grupo temos George Moore, Somerville & Ross, Bram Stoker, James Joyce e Liam O’Flaherty. Marcado por um forte impulso criativo, o período de 1902 a 1923 ilustra como a literatura irlandesa moderna contribuiu para a afirmação da identidade nacional e de um modo de vida genuinamente irlandês.

– Teoria Geral do Esquecimento, José Eduardo Agualusa

O contexto histórico da Guerra da Independência da Angola é o pano de fundo para o romance de Agualusa, lançado em 2012 pela editora Foz. A ficção é surpreendente num cenário quase único que, de tão improvável, dá uma volta no leitor e torna-se crível. Uma mulher portuguesa viaja, a contragosto, na companhia da irmã e do cunhado para Angola nos terríveis tempos da guerra; com as modificações do país e a violência civil, os parentes somem e, com medo, ela ergue uma parede em seu apartamento luxuoso e lá vive durante trinta anos. O medo do mundo, o medo do próximo, o medo de si mesma e de enfrentar tudo que é externo a fazem passar três décadas numa solidão dividida entre a sobrevivência, a observação da vida externa e a anotação de seu cotidiano nas paredes. Uma prisão por escolha, escolha própria e das circunstâncias. Outros personagens compartilham das páginas do livro e revelam a importância de suas aparições no decorrer do enredo.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*