Em SP, Beto Richa diz que Estados precisam ajustar contas com o apoio do setor produtivo | Fábio Campana

Em SP, Beto Richa diz que Estados precisam ajustar contas com o apoio
do setor produtivo

sp - richa_alckmin

O governador Beto Richa defendeu nesta quarta-feira (25), em São Paulo, o apoio da sociedade civil e do setor produtivo às mudanças necessárias que ampliam a competitividade e a eficiência dos Estados. “Precisamos quebrar paradigmas de gestão pública ou os paradigmas vão quebrar os Estados”, afirmou Richa durante reunião do Pacto pela Reforma do Estado.

O encontro promovido pelo Movimento Brasil Competitivo reuniu 15 governadores, secretários de estado e lideranças do setor privado e discutiu formas de melhorar a eficiência da máquina pública. Richa participou da reunião à convite do empresário Jorge Gerdau Johannpeter, presidente do conselho superior do MBC.

Os governadores apontaram as dificuldades dos estados frente a crise econômica, a perda de arrecadação e as demandas crescentes da população nas áreas sociais como a saúde e segurança. Neste contexto, Richa ressaltou a importância do apoio às medidas tomadas pelos governos para ajustar as finanças públicas. Ele afirmou que quando um gestor público tem a coragem de fazer aquilo que a sociedade espera, é importante que haja manifestação de apoio, para que os políticos se sintam estimulados a seguir adiante.

No encontro foi elaborado um documento contendo 48 ações, em 15 temas, para cinco áreas estratégicas dos Estados: planejamento, orçamento e governança para resultados; pessoas e força de trabalho; receitas e gastos públicos; contratos e aquisições, e instituições e responsabilidade. “O próximo passo é definir prioridades e ver o que será trabalhado primeiro”, afirmou.

Richa lembrou que em tempos de crise econômica, os Estados terão que encontrar soluções para ajustar suas contas. O Paraná tem realizado um trabalho com foco em melhorar o controle das despesas, dar mais eficiência à gestão e oferecer serviços de melhor qualidade à população. “Com a crise econômica, o Estado teve de refinar a gestão e fazer um profundo ajuste fiscal. Isso foi fundamental para assegurar que hoje, apesar da recessão, da inflação e do desemprego, o governo esteja operando no azul”.

Participaram da reunião os governadores Geraldo Alckmin (São Paulo), Marconi Perillo (Goiás), Camilo Santana (Ceará), Paulo Câmara (Pernambuco), Pedro Taques (Mato Grosso), Reinaldo Azambuja (Mato Grosso do Sul), Paulo Hartung (Espírito Santo), Marcelo Miranda (Tocantins), Confúcio Moura (Rondonia), José Ivo Sartori ( Rio Grande do Sul), Ricardo Coutinho (Paraíba), Simão Jatene (Pará), Luis Fernando de Souza (Rio de Janeiro) e Fernando Pimentel (Minas Gerais).


3 comentários

  1. Sergio Silvestre
    quinta-feira, 26 de novembro de 2015 – 11:57 hs

    Estadista hahahaha

  2. Jair Pedro
    quinta-feira, 26 de novembro de 2015 – 12:48 hs

    Oh Sérgio Silvestre, um conselho: procure urgente uma clínica para apagar essas duas tatuagens que tens aí nas nádegas.
    E mais; Richa será o próximo senador do Paraná.
    Você já tá sentindo que essa canoa chamada pt, tá furada.

  3. zangado
    quinta-feira, 26 de novembro de 2015 – 14:45 hs

    O exterminador das finanças públicas da 5ª comarca querendo plantar abobrinhas na terra do Picolé de Xuxu … na certa, arranjaram um pretexto para essa “palestra” enquanto corre a investigação dos fraudadores da receita estadual…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*