Sangue e suor | Fábio Campana

Sangue e suor

do Painel, Folha de S. Paulo

A ameaça de impeachment chega ao seu nível mais elevado nesta semana com o governo perdido sobre como evitar o processo de deposição. Apesar de reuniões picadas aqui e ali com pouquíssimos ministros nos últimos dias, a presidente Dilma Rousseff ainda não tem um gabinete de crise plenamente estruturado para impedir a cassação de seu mandato pelo Congresso. Após reuniões com sua equipe nesta segunda, porém, Dilma estaria convencida a “partir para a guerra”.

Tudo… – Ministros defendem que a presidente adote o discurso do “nunca roubei” e vá para cima do chefe da Câmara, Eduardo Cunha.

…ou nada – Para o grupo, não há outra alternativa a não ser dizer, publicamente, que “quem tenta tirá-la do cargo é um político acusado de cometer atos ilícitos” no esquema da Petrobras.


2 comentários

  1. Juca
    terça-feira, 13 de outubro de 2015 – 12:21 hs

    Sangue, suor e pruridos anais na turma do PT!

  2. Doutor Prolegômeno
    terça-feira, 13 de outubro de 2015 – 14:11 hs

    As manchetes dos jornalões indicam claramente o ânimo dos nossos aprendizes de Randolph Hearst de terceiro mundo: esquecer por ora as acusações contra o governo no petrolão e centrar fogo em Cunha para dar sobrevida à Dilma. O pessimismo atrapalha os negócios.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*