Romano diz que dividia propina do Planejamento com Paulo Bernardo | Fábio Campana

Romano diz que dividia propina do Planejamento com Paulo Bernardo

paulo bernardo - foto josue teixeira

da Gazeta do Povo

O advogado e ex-vereador petista Alexandre Romano disse em delação premiada dentro da Operação Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobras, que dividia propinas ligadas ao Ministério do Planejamento com o ex-ministro Paulo Bernardo e com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, entre 2010 e 2012. De acordo com ele, os valores eram divididos de formas iguais. A informação é do jornal Folha de S.Paulo.

Ainda segundo Romano, a partir de 2012 o ex-ministro da Previdência Carlos Gabbas também passou a se beneficiar do esquema. Preso desde 13 de agosto em Curitiba, Romano saiu da prisão no sábado (17) após o acordo de delação premiada e ficará em prisão domiciliar.

De acordo com informações prévias da investigação dentro da Lava Jato, os desvios relacionados ao Planejamento chegam a R$ 51 milhões desde 2010. Foi justamente neste ano que a pasta contratou, sem licitação, a empresa Consist, que avaliava a capacidade dos funcionários do ministério tomarem empréstimos consignados. Paulo Bernardo era o ministro na época.

De acordo com a investigação, a Consist contratava escritórios de advocacia de Curitiba, São Paulo e Porto Alegre, com o valor que a empresa pagava sendo repassado para petistas. E-mail em posso da Polícia Federal mostra que Paulo Bernardo indicava o que deveria ser feito com o dinheiro. Até mesmo um motorista da senadora Gleisi Hoffmann, mulher de Bernardo, foi pago com recursos do esquema.

De acordo com a Folha, Romano é considerado peça-chave da investigação porque era quem recebia o dinheiro da Consist em São Paulo. O esquema envolvendo o Ministério do Planejamento até começou a ser apurado pela Operação Lava Jato em Curitiba, mas o inquérito passou para a Justiça Federal em São Paulo depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que o caso não tinha relação com a máfia dentro da Petrobras.

Como tem foro privilegiado por senadora, o caso de Gleisi está no STF. Já o de Paulo Bernardo, sem mandato, está na Justiça Federal de São Paulo.

Outro delator da Lava Jato, Milton Pascowitch, informou dentro da investigação que a Consist pagou R$ 10,7 milhões para o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto para conseguir o contrato no Ministério do Planejamento.

Outro lado
Procurados pela Folha de S. Paulo, o ex-ministro Paulo Bernardo e o PT não quiseram se manifestar. O ex-ministro Carlos Gabbas nega ter recebido recursos ilegais. Luiz Flávio Borges D’Urso, advogado de Vaccari, diz que seu cliente só recebeu doações legais.

A senadora Gleisi Hoffmann disse que nunca recebeu doações da Consist. Advogado de Romano, Antonio Figueiredo Basto nega que seu cliente tenha feito delação.


10 comentários

  1. Zé da Bota
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 11:13 hs

    Agora para “variar” ….. ele diz….. “Não sei de nada”…….kkkkkkk

  2. Emanuelli
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 11:13 hs

    Muito bom e interessante esta delação, no inicio da manhã irá tocar a campainha da casa de alguém…

  3. João
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 11:16 hs

    Vamos aguardar o pronunciamento “oficial” da barbie.

  4. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 11:37 hs

    Malandro pega 20 anos e arruma uma delação e ai ele deda até o Papa Francisco para se safar,isso é de democracias fracassadas onde não tem lei,ai apelam para isso para soltar meliantes que roubaram e mataram muita gente por falta dos recursos,deveria ser pena de morte com rito sumario.

  5. MANOEL BOCUDO
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 12:18 hs

    COM ESSA FICHA AGORA ELE TEM VAGA NO GOVERNO, COM A PALAVRA A BARBY DAS ARAUCARIAS. VAMOS GLEISI EXPLIQUE
    ONDE ESTÁ O DINHEIRO QUE ESTAVA AQUI ???????

  6. quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 12:29 hs

    CASAL PROPINA EM APUROS

    Por isso que Gleisi anda DESESPERADA para arrumar um cargo para seu cônjuge no DESgoverno

    Pois é, não adiantou , o desempregado vai para o XADREZ

  7. José Eduardo Brandão de Mello
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 14:00 hs

    Na verdade precisa buscar o histórico do Paulo Bernado Hoffmann quando foi Secretário com a Esposa no Mato Grosso e depois em Londrina. No Governo Federal novamente Ministros juntos. Não pode esquecer ITAIPU. Fica ai a dica para PF e Ministério Público.

  8. José Eduardo Brandão de Mello
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 14:01 hs

    Casal 20

  9. CRISTOVÃO
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 21:49 hs

    Na foto ele aparece “””limpando o dente”””, coitado, depois dessa cagada de pegar proprina. acho que ele vai “”limpar o…..”

  10. Zaino Bituzzo
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 22:22 hs

    Paulo Bernardo é um homem honesto (kk) e ajudou muito o parana (kkk) e Gleisi Hoffeman nunca sabe de nada (kkk)

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*