PT perde ministérios, mas quer manter cargos | Fábio Campana

PT perde ministérios, mas quer manter cargos

Josias de Souza

Arma-se em Brasília o primeiro escarcéu fruto da reforma ministerial que Dilma Rousseff foi levada a fazer para tentar deter o impeachment. Tendo perdido o comando de pastas como Saúde e Comunicações, o PT se equipa para manter no organograma dos seus ex-ministérios os filiados da estrela vermelha, devotos que entregam à tesouraria da legenda pedaços de seus contracheques.

O problema é que os novos ministros —Marcelo Castro (PMDB-PI) na Saúde, André Figueiredo (PDT-CE) nas Comunicações— atravessam o alambrado imaginando que receberam outro tipo de oferta. Porteira fechada: fariam do segundo e do terceiro escalões o que quisessem, com quem quisessem.

Esse tipo de falta de sintonia dá problema em qualquer partido. No PMDB e no PDT, cujos ministros não são unânimes nem sozinhos, costuma terminar em crise. “Considerando-se que Dilma encostou seu governo no balcão, deveria agir rapidamente para conter o apetites do PT”, aconselhou um cacique do PMDB. “Se demorar muito, fica mais caro.”


Um comentário

  1. JOHAN
    segunda-feira, 5 de outubro de 2015 – 11:26 hs

    Caro FÁBIO, manter os membros da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA nos ministérios entregues a outros partidos é criar problemas para os novos ministros que estarão envolvidos em crimes de corrupção, pois todos os brasileiros já sabem os procedimentos dos membros, qual o foco e a determinação na prática da CORRUPÇÃO. Ainda não ocorreu dentro da proposta da reforma a EXONERAÇÃO de 75.000 ASPONES da ORGANIZAÇÃO. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*