Protesto contra insegurança no Parque Barigui | Fábio Campana

Protesto contra insegurança no
Parque Barigui

manifestacao-parque-barigui
Hoje, pela manhã, o povo que frequenta o Parque Barigui mostrou que a paciência acabou. E decidiu exigir mais segurança no Parque Barigui. O protesto começou na frente do módulo da Guarda Municipal e prosseguiu com uma caminhada. A verdade é que cresceu assustadoramente o número de furtos, roubos e sequestros relâmpagos no Parque. A segurança é precária, principalmente no estacionamento com saída para a BR-277. A Guarda Municipal foi criada com a finalidade de proteger o patrimônio público da cidade, mas não consegue cumprir o seu papel. A Polícia Militar está na mesma situação. Com informações da Banda B.


5 comentários

  1. RR
    sábado, 31 de outubro de 2015 – 16:13 hs

    A POLÍCIA TEM QUE ELIMINAR ESSE LIXO E MANDAR OS CORPOS PRA QUADRILHA “DOS DIREITOS DOS MANOS”.

  2. ferreira
    domingo, 1 de novembro de 2015 – 12:16 hs

    Está na hora do cidadão pressionar o Congresso Nacional para termos o direito de nos armarmos, só assim seremos respeitados como cidadãos, chega de demagogia desses imbecis que pensam o contrário e que protegem bandidos criminosos.

  3. leandro
    domingo, 1 de novembro de 2015 – 14:30 hs

    Desde a criação da Guarda Municipal, pelo Requião, a mesma sempre desejou ter prerrogativas de “polícia”, mesmo não sendo adequadamente preparada para tal.
    Sempre causou conflito nas administrações principalmente por esse desejo.
    Quando das criação da Guarda os propósitos foram de “guarda do patrimônio público” e pelo me consta não mudara.
    Os guardas nunca foram favoráveis a ficarem como “vigias” de escolas, creches etc,, pois consideravam uma função inferior comparada por “qualidades” que somente os guardas teriam.
    Brigavam para ter a função de andar desfilando pelas ruas com viaturas, motos e até bicicletas nas ciclovias, mesmo que a contragosto.
    Quando foram presenteados por uma sede dentro do Parque Barigui, uma das funções seria de prover aquela ambiente de segurança, como em outros parque, a exemplo de um pequeno “posto” no Parque São Lourenço.
    Esta ânsia dos guardas terem prerrogativas de polícia, chegou ao ponto de perseguições, investigações, tudo fora dos propósitos e principalmente ilegais, como alguns portes de armas de guardas com armamento particular e até outros não de fogo.
    No momento que os guardas se auto definiram como força policial, não imaginaram que além dos aspectos legais, teriam que receberem pedras pois a segurança pública é um tormento para todos nós., acompanhado de treinamento apropriado para tal fim, coisa que parece ser deficiente.
    A Prefeitura deve saber que ai assumirem a guarda como força policial da cidade, ou até mesmo como auxiliar efetiva das Polícias, Militar e Civil, estará chamando para só a responsabilidade e correndo o risco de que o Estado transfira essa atribuição que ele não faz adequadamente para a Prefeitura.
    Portanto a Guarda Municipal é sim responsável pela guarda e proteção dos próprios municipais, mas também não pode se furtar de proteger os cidadãos que frequentas esses espaços, desta forma as situações de riscos no Parque Barigui é um ou dois casos que foram noticiados e estão aí sem notícia dos demais casos em outros espaços públicos.
    Um fator que atrapalha tudo isso além da incompetência do Poder Público em prover a segurança pública é a disputa política entre os entes governamentais, um culpando o outro e jogando os problemas nas costas de um lado para o outro da praça Nossa Senhora de Sallete.

  4. zé povinho
    domingo, 1 de novembro de 2015 – 22:57 hs

    Em uma coisa eu concordo com os manifestantes, a GM sumiu do parque, nunca mais vi as duplas que faziam ronda, rarissimamente aparece alguma viatura, e quando aparece os GMs ficam mocados dentro delas. Para que serve um GM mocado dentro de uma viatura? Parece estar mais preocupados com o que se passa nas redes sociais, será isto? Mas muitos dos “atletas” que frequentam o parque isistem em dar bobeira, porque usar relógio quando dos exercícios, já não basta o smartphone espetado no braço? Porque “enfiar” o possante no lugar mais escondido os estacionamentos? Porque ficar mocado dentro do carro, está esperando pelo assaltante? Ou não, é encontro? O protesto tem alguma razão mas é também preciso fazer um mea culpa, tem gente que frequenta o parque porque ele faz as vezes de motel para muitos “atletas”. Conheço pelo menos um destes “atletas”.

  5. QUESTIONADOR
    terça-feira, 3 de novembro de 2015 – 13:16 hs

    -O negócio é os frequentadores andarem sempre em grupos e todos armados com revólveres, pistolas….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*