PR equilibra contas e projeta investir R$ 6,8 bi em 2016 | Fábio Campana

PR equilibra contas e projeta investir R$ 6,8 bi em 2016

unnamed

Com as contas em dia e com caixa para fazer investimentos, o Governo do Paraná vai entrar o ano de 2016 com uma das situações financeiras mais equilibradas do País, melhor, inclusive, que a União. O orçamento paranaense para o próximo ano será de R$ 54,5 bilhões, somando todas as fontes de receita. No comparativo com o ano anterior, haverá um incremento de receitas de R$ 6,7 bilhões.

Além disso, o Paraná projeta para o ano que vem o maior volume de investimentos da história: R$ 6,8 bilhões – R$ 3,7 bilhões do Tesouro e R$ 3,1 bilhões das empresas estatais. O cenário positivo é resultado das medidas de ajuste fiscal implantadas pelo governo estadual desde o fim de 2014, já prevendo a grave crise nacional que o Brasil passaria. “Cortamos gastos e enxugamos a máquina pública”, afirma o governador Beto Richa.

Ao contrário da União, que prevê déficit de R$ 30 bilhões, com gastos maiores que as receitas, o governo paranaense irá fechar as contas de 2016 gastando apenas aquilo que arrecadar. Além do rombo nas contas, o governo federal cortará investimentos. Para o próximo ano foram retirados R$ 12 bilhões da saúde e R$ 9,5 bilhões da educação.

Já o Paraná aumentou os investimentos nessas áreas e se comprometeu a superar o mínimo constitucional aplicando em ensino 34,17% da receita de impostos. Isso equivale a R$ 9,3 bilhões – 10% a mais do que no exercício de 2015. Os recursos para a área superam a obrigação constitucional, que é destinar 30% da arrecadação. Em saúde, o governo estadual cumprirá a determinação constitucional e aplicará 12% da receita de tributos. Serão R$ 3,2 bilhões disponibilizados para esta área em 2016.

ESTADOS – Na comparação com outros estados, o Paraná, que é a quinta maior economia do País, terá melhor condição financeira em 2016. Das cinco maiores economias brasileiras, o Estado de São Paulo também apresentou um orçamento equilibrado, mantendo investimentos e com aplicação acima dos limites constitucionais em saúde e educação. O orçamento do governo paulista é de R$ 206,9 bilhões, com volume total de investimentos de R$ 24,5 bilhões.

O Rio Grande do Sul, assim como governo federal, prevê para o próximo ano um déficit nas contas estaduais de R$ 6,2 bilhões. Sem dinheiro em caixa, o governo gaúcho já não consegue pagar em dia os salários do funcionalismo e é obrigado a atrasar contas com fornecedores e União.

Para tentar equilibrar as contas, o Poder Executivo do Rio Grande do Sul enviou à Assembleia Legislativa projeto para aumentar impostos e reduzir gastos com o funcionalismo. Com essa situação, o corte nos investimentos será de 30% no próximo ano. Serão aplicados apenas R$ 1,7 bilhão, metade do estimado pelos paranaenses.

A situação é semelhante em Minas Gerais, terceira maior economia brasileira. De acordo com o orçamento, os mineiros terão no próximo ano um dos maiores rombos nas contas públicas: R$ 8,9 bilhões. O governo estuda aumentar os impostos e congelar os investimentos e anunciou que, em 2016, não haverá aumento na folha de pagamento e novas nomeações e concursos.

O Rio de Janeiro, segundo estado mais rico do Brasil, prevê receita e despesa para o ano que vem em R$ 79 bilhões. Um mês antes de enviar o orçamento, o governo daquele estado estimava déficit de R$ 11 bilhões. Para que isso não ocorresse, cortou investimentos e anunciou a venda da dívida ativa e congelamento das contratações. A situação difícil decorre da retração da economia e da queda brusca na receita dos royalties do petróleo.

AJUSTE – No Paraná, desde o fim do ano passado, o governo estadual reduziu estruturas de cinco secretarias, cortou mil cargos em comissão e equalizou algumas alíquotas de impostos. “Foram medidas imprescindíveis para o futuro do Paraná”, diz o governador Beto Richa. “Enquanto alguns estão entrando na crise, atrasando salários, o Paraná dá exemplo retomando os investimentos e as obras”, disse.

O governador citou algumas obras muito aguardadas que agora sairão do papel, como a duplicação de dez trechos de rodovias e construção dos contornos rodoviários de Castro, Londrina, Marmeleiro e Umuarama.


10 comentários

  1. Marcelo
    quinta-feira, 1 de outubro de 2015 – 19:32 hs

    GOVERNADOR! – Então porque os servidores públicos continuam sem receber avanços e promoções? – E esse Mauro Ricardo quanto está ganhando por mês com salários e os conselhos de que ele participa? – PAGUE PRIMEIRO OS AVANÇOS, PROMOÇÕES E OS PRECATÓRIOS ALIMENTARES PARA DEPOIS SE VANGLORIAR. ISTO QUE O SENHOR ESTÁ FAZENDO É PURA DEMAGOGIA E HIPOCRISIA. NÃO É MÉRITO SEU E NEM DESTE SEU SECRETÁRIO, MAS SIM, DE TODOS OS PARANANENSES, DOS QUAIS , O SENHOR METEU A MÃO NO BOLSO.

  2. Orlando
    quinta-feira, 1 de outubro de 2015 – 19:49 hs

    Esqueceu de dizer que transferiu 33.000 aposentados para a PARANAPREVIDÊNCIA pagar. Outros Estados não tem PARANAPREVIDÊNCIA para suportar despesas com aposentados em que o tesouro banca. Quando a PARANAPREVIDÊNCIA quebrar este governador de plantão não estará mais ai para se explicar.

  3. Do Mato
    quinta-feira, 1 de outubro de 2015 – 21:51 hs

    Sufocou e esganou todos para conseguir esse dinheiro
    Povo aumento de impostos aumento na conta de luz água
    Prefeituras no pacotão eles tiram recursos do ICMS que a prefeitura recebe e fica tudo com o governo.
    Funcionários abocanhar o parana previdência
    e mais e mais pacotes agora pega todo e dinheiro e faz obras pra chamar de suas pq ate hoje não fez nada
    que maravilha heim governador top

  4. M.E.J.
    sexta-feira, 2 de outubro de 2015 – 7:38 hs

    Enquan to isso, a Gazetona, torcendo contra, prefere questionar a metodologia do cálculo.

    Esquece de dizer que a maioria dos ESTADOS, falidos, não conseguem nem pagar a Folha de Pagamento.

    Vamos ver quantos e quais ESTADOS FEDERADOS terão caixa para honrar o 13º.

  5. Revoltado
    sexta-feira, 2 de outubro de 2015 – 7:39 hs

    Contas em Dia???????
    Centenas e talvez milhares de policiais civis, militares, bombeiros, ainda não receberam seus direitos atrasados (promoções, progressões, aulas ministradas, transferencias, etc…..), É muita carara de pau, falar que as contas estão em dia.

  6. COMANDO
    sexta-feira, 2 de outubro de 2015 – 7:49 hs

    Só uma pergunta se realmente está em dia o que duvido, qual então a razão de não terem pago a progressão conforme anunciado no jornal do governo????????

  7. Valmor Lemainski - Cascavel
    sexta-feira, 2 de outubro de 2015 – 8:51 hs

    É preocupante a situação da BR 277 no oeste paranaense. Necessita urgentemente de duplicação, mas as empresas exploradoras de pedágio impedem… Como poder-se-á resolver essa situação?…

  8. Sergio Silvestre
    sexta-feira, 2 de outubro de 2015 – 11:50 hs

    O Luis Abi vai levar os 10% disso ou mais????????????

  9. sexta-feira, 2 de outubro de 2015 – 13:10 hs

    Conhece aquela: Chora bananeira, baneira chora….kkk
    A gangue do requião e da dilma que vá chorar na cama

  10. Andressa
    sexta-feira, 2 de outubro de 2015 – 22:00 hs

    Sr. Governador, eu vou lembrar disso. Quero ver os investimentos, na sanepar principalmente..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*