Marco Aurélio Mello propôs renúncia de Dilma, Temer e Cunha e nova eleição | Fábio Campana

Marco Aurélio Mello propôs renúncia de Dilma, Temer e Cunha e nova eleição

Augusto Nunes, Veja

No Roda Viva desta segunda-feira, o ministro Marco Aurélio Mello, há 25 anos no Supremo Tribunal Federal, afirmou que o caminho que leva para longe da crise seria percorrido com menos lentidão e sem tantos tropeços se a presidente Dilma Rousseff, o vice Michel Temer e o deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara, renunciassem aos cargos que ocupam. À renúncia coletiva se seguiria a realização de uma nova eleição.

No programa, ilustrado por desenhos em tempo real pelo cartunista Paulo Caruso e transmitido pela TV Cultura, Marco Aurélio tratou com objetividade e franqueza dos vários temas apresentados pelos cinco entrevistadores: Daniela Lima (repórter de Política da Folha), José Nêumanne (editorialista do Estadão e comentarista da TV Gazeta e da rádio Jovem Pan), Laura Diniz (editora do site Jota.Info), André Petry (editor especial de VEJA) e André Guilherme Vieira (repórter do jornal Valor Econômico).


9 comentários

  1. COMANDO
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 8:03 hs

    Correto, mais quando…

  2. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 8:37 hs

    Esse ministro não sabe o que quer e conversa pelos cotovelos.

  3. toninho
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 9:13 hs

    Concordo, desde que se inclua o Renan e todos os deputados bandalhos.

  4. Intruso
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 9:17 hs

    Eles ñ conseguem renunciar sem ordem dos donos do capital, sejamos coerentes e francos..

  5. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 10:57 hs

    Porque ele não propõe a renúncia coletiva da suprema corte para abrir espaço para mentes mais arejadas?

  6. RR
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 11:12 hs

    SEM A PARTICIPAÇÃO DA QUADRILHA PTRALHA E OS BURROS DE CARGA NO PLEITO.

  7. Sergio R.
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 11:14 hs

    Ele na mesma entrevista disse que era utopia, embora seja a mais lógica e menos traumática. Eu não proporia renúncia e sim suicídio coletivo. Mas não haraquiri pois eles não têm nobreza para isto.

  8. Roberto Fernandes
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 22:27 hs

    Talvez fosse interessante propor a renuncia de todos os membros do Ministério Público, que não atuam; a renuncia de todos os membros do legislativo porque nem legislam e muito menos fiscalizam; e junto também o judiciário viciado pelo sistema

  9. Helena
    quarta-feira, 21 de outubro de 2015 – 23:45 hs

    Minha sugestão é que fechasse o Congresso Nacional pelas Forças Armadas e ficar no Poder até o final do mandato e, em 2018 convocasse eleições para os cargos em nível federal, com mudanças nos números de parlamentares que acho que o número de 513 deputados é muito alto, o que precisamos é de qualidade e não quantidade. Nestes anos que faltam para terminar o mandato, os Militares iriam por em dia as finanças nacional e ainda iria sobrar dinheiro, pois ladrões não tem vez com eles.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*