Mac Donald é condenado | Fábio Campana

Mac Donald é condenado

unnamed

O ex-prefeito de Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald (PDT) e outros três servidores foram condenados pela Justiça por atos de improbidade administrativa relacionados a reembolsos ilegais. Segundo o Ministério Público, nos anos de 2005 e 2006, a prefeitura arcou com a quantia de R$ 573.748,32 por trabalhos que deveriam ter sido prestados de maneira voluntária.

De acordo com a Promotoria de Justiça, o ex-prefeito e o ex-secretário de Esporte e Lazer, Emerson Wagner, firmaram convênio com a associação esportiva, que contava com 105 voluntários em seu quadro de pessoal. As investigações comprovaram que esses voluntários recebiam entre R$ 400 e R$ 1,8 mil por mês como reembolso, sem que houvesse comprovação das despesas por meio de recibos, notas fiscais ou outros documentos, conforme determina a lei.

Os acusados também foram condenados à ressarcir os cofres públicos, além da perda da função pública, suspensão dos direitos políticos pelo prazo de três anos e pagamento de multa. Não é a primeira vez que Mac Donald é condenado por irregularidades na gestão. Em fevereiro deste ano, o ex-prefeito foi condenado por fraude em licitações.


3 comentários

  1. Fernando Henrique
    sábado, 17 de outubro de 2015 – 12:59 hs

    Tenho este Engenheiro Civil,como um excelente homem publico principalmente na área da Educação,probo,tal condenação me casa espécie!

  2. Roberto
    sábado, 17 de outubro de 2015 – 13:02 hs

    Achei que fosse o de Curitiba.

  3. sábado, 17 de outubro de 2015 – 14:37 hs

    O Paulo Mac Donald parece o artista da novela: OS CONDENADOS, a cada capítulo uma CONDENAÇÃO. Pelo que se vê e pressente é de que a Justiça quer acabar com o grande patrimônio do mesmo, fazendo com que ressarça os prejuízos causados ao erário público, além, é óbvio das condenações na área criminal. O que mais nos deixa triste, é de que todos os Prefeitos eleitos, após o período ditatorial, todos foram fregueses de caderno do Judiciário, não restando um sequer, até os dias de hoje com o atual, que já tem várias ações na Justiça, quer por IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA ou outros motivos escusos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*