"Factoide do Requião", diz Pessuti sobre expulsão do PMDB | Fábio Campana

“Factoide do Requião”, diz Pessuti sobre expulsão do PMDB

pessuti
O ex-governador Orlando Pessuti vai contestar na Justiça a expulsão do PMDB promovida pelo Comissão de Ética do partido na manhã desta sexta-feira (2). Dos seis membros da comissão presentes na reunião, cinco votaram pela expulsão. Pessuti também nega que vá procurar outro partido após a decisão. “Isso é ‘fanfarronice’, factoide do Requião, essa decisão é nula de pleno direito, não tenho conhecimento desse processo, não fui notificado, não fui convocado; fiquei sabendo que existia hoje”, contesta.As informações são do Paraná Portal.

Pessuti também contesta a legitimidade das decisões do Conselho de Ética pelo fato de Márcia Regina Ferreira da Silva ser presidente do PMDB Mulher. O regulamento do partido não permite o acúmulo das funções. “A comissão está com a sua constituição irregular; ela não pode integrar o conselho, é integrante do PMDB Mulher e tudo que ela participou perde a legitimidade”, acusa.

A decisão do Conselho de Ética é com base em um processo interno aberto pelo grupo do senador Roberto Requião (PMDB) por Pessuti ocupar o cargo de diretor administrativo do Conselho Administrativo do BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul) nomeado pelo governador Beto Richa (PSDB).

Em outro processo, que está suspenso pela Justiça do Paraná, o grupo do senador Roberto Requião (PMDB) questiona a aparição de Pessuti em um programa eleitoral do PSDB durante a campanha no ano passado. Pessuti apareceu no programa eleitoral do governador e candidato à reeleição, Beto Richa (PSDB), pedindo aos eleitores que não votassem em Requião, candidato peemedebista ao governo. Isso fez com que ele fosse suspenso do partido por 60 dias.

Briga

A briga de Pessuti e Requião vem desde 2010, quando o senador vetou a candidatura ao governo de seu ex-vice, levando o PMDB a apoiar a candidatura do então senador Osmar Dias (PDT).

Na eleição do ano passado, Pessuti tentou disputar a indicação de candidato do PMDB ao governo do Estado. Acabou desistindo para defender o apoio do partido à reeleição do governador Beto Richa, de quem sonhava ser vice. Requião venceu a convenção para ser o candidato da legenda ao governo. Durante a campanha, Pessuti declaradamente apoiava à reeleição de Richa, a ponto de aparecer no programa de TV do PSDB em oposição ao candidato de seu partido.

Prefeitura de Curitiba

Orlando Pessuti não descarta a possibilidade de ser candidato à prefeitura de Curitiba em 2016. “Essa possibilidade existe, mas temos no PMDB, no nosso grupo, hoje o acordo de lançar Stephanes Junior como nosso candidato do PMDB à prefeitura”, recua.


Um comentário

  1. JOHAN
    sábado, 3 de outubro de 2015 – 17:20 hs

    Caro FÁBIO, essa relação conturbada entre o PESSUTÃO e o PINÓCHIÃO é um caso não resolvido no passado. Pessutão acredito nas ações que você patrocina e defende, contudo o Pinóchião, senil, com sinais claros de alzeimer, não desiste fácil do amor antigo. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*