Estica e puxa | Fábio Campana

Estica e puxa

do Painel, Folha de S. Paulo

Após o Supremo Tribunal Federal questionar o “manual do impeachment”, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), admitiu nesta terça, em conversas reservadas, estar disposto a indeferir a acusação contra Dilma Rousseff elaborada por Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior. Conforme avaliações internas, o pedido foi “contaminado” e se transformou em “peça maldita”. Um novo requerimento, concentrado em supostas irregularidades de 2015, já está sendo preparado.

Maestro – Mas a nova peça só sairá do forno quando Cunha quiser. Isso assegura ao peemedebista o poder de amarrar governo e oposição à sua estratégia de se manter no comando da Casa.

Lá e cá – Seu plano é usar a ameaça de deposição de Dilma como moeda de troca para barrar, com votos de ambos os lados, uma investigação contra ele no Conselho de Ética por quebra de decoro.

War – Com isso, dizem tucanos e petistas, a novela do impeachment volta algumas casas no tabuleiro, mas continua tendo Eduardo Cunha “como diretor dos próximos capítulos”, brinca um aliado.


Um comentário

  1. Rock
    quarta-feira, 14 de outubro de 2015 – 16:00 hs

    Então isso é uma confissão derradeira que o processo contaminado que os tucanos estavam arquitetando era um golpe mesmo

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*