Barros diz estar tranquilo sobre continuidade das investigações | Fábio Campana

Barros diz estar tranquilo sobre continuidade das investigações

ricardo barros - 1

O deputado federal Ricardo Barros afirmou que está tranquilo em relação à decisão do ministro Luiz Fux, do STF, de dar andamento às investigações iniciadas ainda em 2011, pelo Ministério Público do Paraná.

“O Ministério Público de Paraná com o qual tenho notórias divergências não encontrou elementos para me denunciar mesmo após quatros anos de intensa investigação”, reforçou o parlamentar. O despacho do ministro Fux desta semana não aponta prova de ilícito, apenas indica a continuidade das diligências.

Barros lembra que já foram quase quatro anos de intensas investigações com dezenas de depoimentos, apreensão de computadores e documentos, quebras de sigilos bancário, fiscal e telefônico de empresas e pessoas, horas de gravações telefônicas e mesmo assim o MP não conseguiu elementos para oferecer a denúncia à Justiça. “E não encontrarão porque não houve qualquer conduta irregular”, afirma.

O parlamentar diz ainda que aguarda o desfecho da investigação e contribuirá, como tem feito até o momento, para o esclarecimento de qualquer fato.

Confira a nota completa:

“Em relação à decisão do Ministro Luiz Fux do Supremo Tribunal Federal na Pet 5.710, publicada em 28 de outubro de 2015, cuida-se de investigação iniciada contra o Deputado Federal Ricardo Barros, em 23 de novembro de 2011, em decorrência do desmembramento de investigações feitas pela Promotoria de Justiça de Maringá, Estado do Paraná, desde o ano de 2006.

O deputado Federal Ricardo Barros ocupava o cargo de Secretário de Estado quando da abertura da investigação e acompanha, com tranquilidade, o desenrolar de todo o procedimento judicial.

A procuradoria-Geral de Justiça do Estado do Paraná e o Procurador-Geral da República, passados quase 4 anos e mesmo após colher dezenas de depoimentos, apreender computadores e documentos, quebrar o sigilo bancário, fiscal e telefônico de dezenas de pessoas e empresas, além de horas de gravações telefônicas, não conseguiram elementos que pudessem incriminar Deputado Ricardo Barros e resultar no encaminhamento de denúncia. E não encontrarão porque não houve qualquer conduta irregular.

Note-se, ainda, que a atribuição do segredo de justiça ao inquérito em trâmite no Supremo Tribunal Federal se deu por iniciativa própria deste e não partiu de qualquer requerimento formulado pelo Deputado Ricardo Barros, que inclusive já se manifestou publicamente em momentos anteriores sobre as acusações que lhes são imputadas.

O Deputado Ricardo Barros aguarda o desfecho da investigação e contribuirá, como tem feito até o momento, para o esclarecimento de qualquer fato”.


4 comentários

  1. sexta-feira, 30 de outubro de 2015 – 11:29 hs

    0 Deputado Ricardo Barros, falou e disse todo o Ministerio publico do Parana, sob ordens e a pedido de um Ex-Promotor de Maringa, vassculhou ceus e terra, e, nada achopu contra o deputado, portanto nao deve nada.

  2. Observador
    sexta-feira, 30 de outubro de 2015 – 12:22 hs

    Tranquilo???? hummmmmmmmmmmm.

  3. sexta-feira, 30 de outubro de 2015 – 13:43 hs

    Isto e apenas uma pontinha de um eisberg

  4. sexta-feira, 30 de outubro de 2015 – 15:35 hs

    As investigações muita vezes tem ertos dados que poderiam atribuir ao Deputado, mas que querem, com certeza absoluta, somente encaminhar uma denúncia quando tiverem todos os dados completos, ás vezes leva anos , o que não significa que o Deputado é inocente. Se não terminaram as investigações, o Deputado que se cuide, às vezes tem luz no fim do túnel.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*