Sergio Moro contra o sistema | Fábio Campana

Sergio Moro contra o sistema

uploads

O Antagonista

Sergio Moro esteve no Senado, para defender a aprovação do projeto de lei que dá um basta à impunidade no Brasil. Pelo projeto, acusados de crimes como homicídio, peculato, corrupção e lavagem de dinheiro seriam presos imediatamente depois da condenação em segunda instância. Hoje, criminosos condenados e confessos podem aguardar em liberdade até que o caso chegue a um tribunal superior e seja emitida sentença definitiva. E o número de recursos é tamanho que um bom chicaneiro empurra o processo até que o crime prescreva.

O atual modelo um absurdo evidente. Trata-se de uma distorção do princípio da presunção de inocência. Na esmagadora maioria dos países civilizados, um criminoso vai para a cadeia após ser condenado em primeira instância.

Disse Moro: “(O nosso é) um sistema de recursos sem fim. E temos vários casos, até criminais de homicidas confessos, que levam dez anos, quinze anos, que nem chegam ao fim. Sem falar em crimes graves de malversação de recursos públicos que demoram muito. Então, esse quadro tem de ser alterado”.


5 comentários

  1. quarta-feira, 9 de setembro de 2015 – 19:47 hs

    Todos os que lutam contra o sistema perdem, boa sorte Moura, mas nos sabemos que sozinho não chegamos a lugar algum, é impressionante como as coisas estão acontecendo no Brasil só se ouve falar, estou descontente com a situação atual, a corrupção esta detonando nossas finanças, mas não se vê gente preocupada em assinar a lista de apoio do ministério publico para apertar o cerco contra os corruptos. Nos brasileiros honestos deveríamos fazer fila indiana para assinar e apoiar o ministério publico, até conseguir as assinaturas necessária para que a lei fosse aprovada.

  2. João Silva
    quinta-feira, 10 de setembro de 2015 – 0:37 hs

    Gosto muito do Mainardi, porém quando o tema é justiça ele (e Mario Sabino), se deixam levar pelo sentimento… Sentimento este que já o pôs em discussoes com diversos (e poucos) bons debatedores do Brasil. Mainardi, cria de Paulo Francis (um dos maiores injustiçados do Brasil, e um dos primeiros a apontar a Petrobras como problema), além de uma perseguição de vigaristas que fez com que ele deixasse o solo patrio, infelizmente para NÓS. O problema é que agora, estando longe, ele quer o melhor para o Brasil, e a prisão para bandidos(inclusive os que o fizeram ir embora), se apegando a qualquer um que denuncie, ou qualquer juiz que puna! Ele recentemente precisou rever os elogios ao procurador Janot, pois percebeu que a longo prazo, os bandoleiros iriam escapar. Ao que tudo indica terão que fazer um mea culpa do MP PR e do juiz Moro, que seguindo na linha atual, serão os responsáveis pelos bandoleiros soltos, se contentando em punir os “molequinhos” do crime. Mas, o pior não é isso.. MP, Moro, às vezes o STF, entre outros, estão em uma busca por “mudanças”, inclusive Moro não cansa de chamar a opinião pública para mudarem as Leis… Oras, isso é Ativismo Judicial, do mais rasteiro ainda… Sem entrar em mérito, se bom ou não, mas…. Uma democracia precisa de separação de poderes, nenhum dos três tem o direito de querer se colocar acima disso. Vira totalitarismo… Sempre que ministros do STF (que conta com 6 juízes ativistas), procuradores, membros da OAB e do Judiciário se manifestam, vejo o Brasil perdendo um pouco mais da liberdade, um pouco mais da legalidade. Se estes “iluminados” não orem criticados, quem vai conter a sanha de poder dos mesmos? Este é o principal motivo que me fez sempre desconfiar do Moro e do MP… Este ativismo me faz desconfiar do STF… E digo mais, por pior que seja nosso Congresso, aqueles que lá estão foram eleitos justamente para legislar. Não votamos em Barrosos, Fachins, Moros, Janots, Dallagnnols, Toffolis, Mendes, Coelhos, Bredas, e congêneres… Que cada um cumpra sua função é ponto.

  3. Sergio Silvestre
    quinta-feira, 10 de setembro de 2015 – 9:03 hs

    Um bolão de quanto tempo o Moro vai se tornar um BARBOSA,6 meses.9 meses ou 1 ano.

  4. quinta-feira, 10 de setembro de 2015 – 9:10 hs

    “Esses esquerdopatas colocaram fogo no país quando a economia estava nos trilhos. As contas em dia. E tudo caminhava para nos tornarmos uma grande potência econômica. Eis que surge o simulacro, bala de festim, genérico, produto pirata, do barbudo rouco sem dedo. E quando achávamos que tínhamos nos livrado dessa erva daninha, nasce um ramo e desse ramos vem a presidANTA para ajudar a afundar mais ainda o buraco. E parece que a criatividade deles para cavar cada vez mais fundo não tem limite. Em todas as atividades, empresas e órgãos da Administração Direta e indireta eles tomaram de assalto. Se locupletando do erário público como se deles fosse. Já estavam se achando donos. Muito bem vinda essa nova geração de Juízes, Promotores e Policiais Federais que não tem compromisso com as velhas práticas da politica do clientelismo e do coronelismo. Demorou. Mas essas mudanças de hábitos e costumes vieram para ficar. Je Sui Sergio Moro…” – Profº Celso Bonfim

  5. quinta-feira, 10 de setembro de 2015 – 12:43 hs

    “Ora pois… Se esse congresso aclamado em verso e prosa não se mobiliza, não vota aquilo que tem que ser votado. Não corta na própria carne. Não faz o ‘meá culpa’ o judiciário não pode e não deve ser acusado de ativismo jurídico diante da inoperância e letargia de um legislativo comprometido umbilicalmente até as suas vísceras e entranhas. Para que um País seja considerado um Estado Democrático de Direito é imprescindível que tenhamos segurança jurídica. E não será enfraquecendo o judiciário que conseguiremos isso. Je Sui Sergio Moro…” – Profº Celso Bonfim

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*