PT contraria Fruet e descarta o pedágio urbano em Curitiba | Fábio Campana

PT contraria Fruet e descarta o pedágio urbano em Curitiba

stica -cmc

O PT está se descolando do prefeito Gustavo Fruet (PDT) em Curitiba. Contrariando Fruet, o vereador Jonny Stica (PT) apresentou emendas ao novo Plano Diretor para proibir a implantação de sistemas de controle de tráfego de automóveis como o pedágio urbano e o rodízio de placas. As propostas são avaliadas pela equipe de Fruet, que elaborou o plano diretor, como parte das soluções ao caótico trânsito no centro da capital, inspirada no pedágio implantado em Londres, capital da Inglaterra.

No Bem Paraná, Stica disse que os dois mecanismos são protelatórios e ineficazes e, por não trazerem avanços para a mobilidade urbana, devem ser descartados. Em relação a uma possível cobrança pelo trânsito no perímetro urbano, o petista também é contrário. “A população está sobrecarregada com a alta carga tributária e já paga impostos que custeiam o transporte público e a manutenção das vias públicas”.


7 comentários

  1. Itamar Neuves
    quarta-feira, 16 de setembro de 2015 – 12:44 hs

    STICA:

    O GUSTAVO QUER SABER PARA ONDE FOI O PEDAGIO DA REPAR?

  2. João Armindo
    quarta-feira, 16 de setembro de 2015 – 15:39 hs

    Bobinho… Sem o Pedágio Urbano a população toda de Curitiba ficará financiando as vias publicas e a sua manutenção para os proprietários de veículos…O correto é que os proprietários de veículos se responsabilizem por esta manutenção, com um valor correspondente ao transporte urbano, duas passagens, na ida e na volta, e sendo parte desse rateio disponibilizado para a construção de novos terminais, onde fomentem o comércio local, estacionamento para bicicletas, áreas de banho para quem vem pedalando ou caminhando e precise fazer conexão, banheiros públicos, na copa urinavam calçada!!!…Hoje toda a população de Curitiba paga pela manutenção de vias exclusivas para veículos, isso não é justo! Outra parte do recurso do Pedágio Urbano pode servir de subsidio ao transporte coletivo e ainda pode criar “centros de cidadania no transito” e mais ciclovias. Os Recursos do Orçamento que deixarão de atender a manutenção das vias exclusivas para veículos passam a ser destinado para atender as regiões mais pobres de Curitiba, integrando e dando a estas as condições que hoje não recebem e assim acabam corroborando os níveis de violência que se apresentam nas periferias. Senhor Secretário de Planejamento de Curitiba, vamos cuidar desse assunto…Políticas Públicas e Gestão!
    Foi o senhor q ensinou! 2007

  3. Alaor
    quarta-feira, 16 de setembro de 2015 – 15:55 hs

    Pqp, melhore o transporte coletivo e assim diminuirá os veículos que circulam pela área central. Os ônibus estão sempre lotados com pessoas, amontoadas, estressadas e mal humoradas. Quem tem um pouco de recurso pode privar destas e outras faltas de respeito com o passageiro. Então basta tomarem vergonha na cara e arrumar este pequeno detalhe irão ver que fica tranquilo. Falta hombridade e palavra dos responsáveis.

  4. M.E.J.
    quarta-feira, 16 de setembro de 2015 – 18:17 hs

    Alaor, no tal NOVO Plano Diretor, Gazeta de hoje, não elencaram UMA medida para melhorar o TC, nem o grande problema da integração com a RM.

  5. Zé Ninguém
    quinta-feira, 17 de setembro de 2015 – 10:22 hs

    Só pode ser brincadeira , o direito de ir e vir onde fica , o que esta faltando para Curitiba e PLANEJAMENTO , creio que Ivo Arzua quando criou o IPPUC pensava em planejar uma cidade para 100 anos a frente , JAIME LERNER , CASSIO , foram os últimos a investir em planejamento e em pessoas que pensassem a cidade como um todo não esquecendo a integralização da região metropolitana da capital , falta pulso e vontade politica , inventar mais um meio de arrecadar dinheiro do cidadão isso e sacanagem, a carga tributaria par aquisição e manutenção e um ROUBO legalizado ! Flexibilização de horários , sistema de comboiamento de ônibus e melhoria da frota com ônibus condizentes com que se paga na tarifa, sincronização dos sinaleiros são algumas das alternativas que não sacrificam financeiramente o cidadão , há ajuda um pouco se as pessoas que cuidam da cidade pensassem um pouco , formar raciocínio ou coisa que o valha !

  6. Bob Saints
    quinta-feira, 17 de setembro de 2015 – 10:55 hs

    O PT já deu o que tinha que dar com o Fruet. A partir de Jan/15 todos os CC (372) + 04 Secretarias voltam pro Prefeito negociar e colocar a turma da futura coligação, que darão apoio a reeleição. Até o Beto ta nesta.

  7. joao
    quinta-feira, 17 de setembro de 2015 – 11:53 hs

    A cidade precisa ser melhor mapeada e equacionada, o congestionamento se da pela concentração de atividades, embora, a internet foi preponderante reduzindo deslocamento desnecessário. E isto que devemos implementar em detrimento ao deslocamento físico. A alternativa de penalizar a sociedade com mais taxas, impostos, tributos é certidão de pessoa sem qualificação e bancar estudos de alternativas, Os bairros são microcidades e temos de estimular, promover desenvolvimento sustentável. O metrô foi abortado e sabotado pelo interesse dos que estão aí monopolizando o transporte.
    Neste aspecto vereadores atuam para proteger cartéis e prestadores de serviços. A prefeitura é refem, o prefeito tem de dançar conforme a música a conta e o preço quem paga é o povão. A classe média e os poderosos irão transferir o ônus para o consumidor final.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*