Para engordar o caixa, Dilma cogita legalizar bingos, cassinos e caça-níqueis | Fábio Campana

Para engordar o caixa, Dilma cogita legalizar bingos, cassinos e caça-níqueis

A presidente Dilma Rousseff (PT) cogita legalizar os jogos de azar como forma de ampliar a arrecadação do governo com impostos que incidiriam sobre a atividade. Na quinta-feira (17), durante reunião da qual participaram ministros, ela consultou líderes dos partidos aliados no Congresso sobre a proposta. As informações são da Gazeta do Povo.

Um dos parlamentares que participou da reunião, Maurício Quintella Lessa, líder da bancada do PR, disse que a presidente apenas consultou a “receptividade da proposta”, mas destacou que a maioria dos líderes se posicionou a favor da iniciativa de regulamentação. O próprio deputado é autor de um projeto que tramita na Câmara e que prevê a legalização dos jogos, mediante autorização dos estados.

O assunto também tem sido tratado no Senado, onde correm outras propostas. A costura política deve ser feita pelo ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, e pelo assessor especial da Presidência, Giles Azevedo. A oposição ainda quer mais detalhes sobre as propostas antes de definir se apoia a liberação dos jogos. “Precisamos ver o que o governo vai propor e avaliar qual vai ser o impacto disso”, resumiu o senador Alvaro Dias, líder do PSDB.

Antes de proibir os bingos, o então presidente Lula também cogitou liberar os jogos de azar, mas recuou depois do escândalo envolvendo o ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz, que foi flagrado cobrando propina do bicheiro Carlinhos Cachoeira. À época, a Associação Brasileira dos Bingos (Abrabin) estimava que havia 1,5 mil casas do jogo no país. Na ocasião, a expectativa era de que, caso a atividade fosse regulamentada, o setor teria um faturamento bruto de R$ 27 bilhões por ano.


13 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 18 de setembro de 2015 – 15:40 hs

    E as rinhas de galo, tranca, caixeta e truco? Quem sabe depois vem a tributação sobre o tráfico de drogas, de armas e outros bichos.

  2. Olho Vivo
    sexta-feira, 18 de setembro de 2015 – 15:51 hs

    Será que ela consultou o Requião também?

  3. LENZA TOLEDO
    sexta-feira, 18 de setembro de 2015 – 17:21 hs

    quero ver como ela pretende tributar as prostitutas e os travestis de rua.

  4. Francisco Foltrani Freire
    sexta-feira, 18 de setembro de 2015 – 17:25 hs

    O jogo de bicho também (este continua intocável) ? Jogo de bola de Gude, levantamento de PIPA, jogo de biblioquê, jogos nas Quermesses, jogo de bocha, jogo de dados etc.etc.

  5. zangado
    sexta-feira, 18 de setembro de 2015 – 17:56 hs

    Enquanto isso … aqui no Paraná tem agentes públicos com olhos grandíssimos nos recebíveis do Estado!

    Guardem em essa palavra “recebíveis” e as pessoas que estão lidando com ela nos escaninhos governamentais …

    Aqui a banca do jogo é esse – “recebíveis” !!!

  6. João Armindo
    sexta-feira, 18 de setembro de 2015 – 17:56 hs

    O Requião acabou com o Serlopar porque não sabia como viabilizar…

  7. Dieter
    sexta-feira, 18 de setembro de 2015 – 19:29 hs

    Logo as prostitutas vão ter que emitir nf pra recolher imposto pra colega delas.

  8. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 18 de setembro de 2015 – 20:09 hs

    E a gente pensava que o jogo continuaria privatizado. Tocado só pela CEF. A simples instalação dum amplo e moderno cassino, ensejará a construção de uma cidade onde o turismo será a sua vida financeira. Muque, rapaziada.

  9. leandro
    sexta-feira, 18 de setembro de 2015 – 22:29 hs

    Por falar em engordar, a turma de Brasília e em especial a Presiente devem ter engordado e muito. Só de jantares e comilanças nas reuniões já gastaram toda a verba de 2015.
    Todos os dias a mais de uma mês tem reuniões, chá, café da manhã, almoço jantar e reunião com bolo, desjejum, enfim uma verdadeira orgia gastronômica .

  10. Luiz
    sábado, 19 de setembro de 2015 – 0:08 hs

    Esse PT faz qualquer m. por dinheiro!

  11. Luigi
    sábado, 19 de setembro de 2015 – 9:52 hs

    Por que não regulamentar o mercado oculto do sexo?

  12. RR
    sábado, 19 de setembro de 2015 – 11:12 hs

    QUANDO A PTRALHADA ESTAVA NA OPOSIÇÃO,ISSO ERA CRIME,AGORA MUDARAM DE IDEIA,BOM,VINDO DESSA QUADRILHA,PODE SE ESPERAR DE TUDO.

  13. SALIM MUXIBA
    segunda-feira, 21 de setembro de 2015 – 16:09 hs

    Tenho uma opinião. Caso seja regulamentado seria possível colocar um limite individual para cada jogador; que ele mesmo colocaria, como em casos de uso de internet, onde o usuário informa antecipadamente qual o valor máximo que pode ser gasto por ele. Seria uma forma de conter o excesso… talvez… Claro que a casa de jogos teria que colaborar com a fiscalização. Pena que na configuração atual do nosso Brasil, isso é piada !
    Uma piada que vigora faz tempo:
    Lei das Contravenções Penais (Decreto Lei 3688 de 1941) – Art. 63. Servir bebidas alcoólicas:

    II – a quem se acha em estado de embriaguez;

    Pena – prisão simples, de dois meses a um ano, ou multa, de quinhentos mil réis a cinco contos de réis.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*