Figueiredo Basto nunca foi advogado de Durval Amaral e vai processar jornalista Cícero Cattani | Fábio Campana

Figueiredo Basto nunca foi advogado de Durval Amaral e vai processar jornalista Cícero Cattani

O advogado Antônio Figueiredo Basto, que faz a defesa de Alberto Youssef no processo da Lava Jato, foi citado no blog do jornalista Cícero Cattani como também advogado do conselheiro do Tribunal de Contas, Durval Amaral. Figueiredo Basto diz que não é verdade. Nunca advogou para Durval Amaral, com quem não tem nem mesmo relações pessoais. Desafia qualquer pessoa, de todas as que vê envolvidas “nessa maledicência”, que provem que em algum momento foi advogado de Amaral.

Cattani fala no “sumiço do processo da delação premiada do doleiro Alberto Youssef, no caso Copel/Olvepar.” Figueiredo esclarece que não foi ele oquem negociou o acordo de Youssef nesta questão. A delação premiada e investigação foram conduzidas pelo Ministério Público Federal, pela Polícia Federal e MP estadual.

Mais. os depoimentos de Youssef foram retomados agora, 12 anos depois, em razão de que houve um novo decreto de prisão preventiva contra ele. Para surpresa de seus defensores, diz Figueiredo Basto, o acordo anterior não estava nos autos, o que obrigou a defesa a fazer novo acordo com o MP estadual. O segundo acordo de Youssef foi conduzido pelos Ministérios Públicos Estadual e Federal, sendo que todos os depoimentos de Youssef foram colhidos exclusivamente pelo Ministério Público Estadual, sem qualquer participação de advogados e com base em depoimentos anteriores.

A questão do envolvimento de pessoas com foro privilegiado, caso do conselheiro do TC, Durval Amaral, é de critério exclusivo do MP federal e estadual o de encaminhar o depoimento às autoridades competentes. No caso, o STJ. “Não houve supressão ou acréscimo de fatos ou nomes de pessoas nos depoimentos, sendo que a investigação seguiu as balizas ditadas pelos Ministérios Públicos estadual e Federal”, diz Figueiredo Basto.

Qualquer insinuação em sentido contrário é fruto da tentativa de impunidade de pessoas que há mais de uma década estão impunes, usufruindo de notória presunção de influência em nosso Estado, lembra Figueiredo.

Figueiredo Basto informa que entra com representação amanhã para pedir investigação acurada das declarações feitas no post de Cícero Cattani, perante o Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Justiça Federal, para que seja apurado o caráter dessas informações que atentam não só contra ele, mas contra todas as instituições envolvidas.


Um comentário

  1. Anderson Santana
    quarta-feira, 30 de setembro de 2015 – 23:53 hs

    Tem uns blog e grupo lixo de face ai falando tanta merda e denegrindo imagem de muita gente publicando mentiras descaradas e calunias sem provas. O parente do governador se começasse a processar uns e outros ai por calunia e difamaçao ia faturar a maior grana. O que tem de “jornalistas” irresponsável por ai é brincadeira…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*