Estados querem receita de ajuste do Paraná, diz Richa | Fábio Campana

Estados querem receita de ajuste do Paraná, diz Richa

unnamed

Na reunião desta quarta-feira, 30, com o secretariado, o governador Beto Richa destacou que hoje o Paraná já atrai a curiosidade de analistas econômicos e outros gestores públicos em razão das medidas adotadas para reduzir os impactos da retração da economia no País. “Estamos prontos para enfrentar a crise. Enquanto a maioria dos Estados freia investimentos, estamos acelerando fundo. Querem saber qual é a receita”, disse.

Richa afirmou que até o final do ano o ajuste fiscal estará concluído e que em 2016 o governo vai investir R$ 6,8 bilhões em obras e programas. Deste total, 54% serão investimentos com recursos do Tesouro do Estado e o restante das empresas estatais. “Acho que todo o desgaste valeu a pena. Em 2016 é vida nova. Vamos investir em todas as áreas”, destacou.

O secretário Mauro Ricardo Costa (Fazenda) alertou que o governo ainda tem um passivo de R$ 1 bilhão a ser pago, mas que a redução de despesas está produzindo superávits que permitirão zerar as dívidas de exercícios anteriores até o final do ano. “Todos tiveram que fazer um enorme sacrifício para se adequar à realidade econômica”, disse.


5 comentários

  1. Zangado
    quarta-feira, 30 de setembro de 2015 – 22:27 hs

    Quando nós vemos essa bandalha sorrindo, data venia, são nossos bolsos que estão esfarrapados, tungados e rotos !

    Sinceramente, não deveriam abusar da nossa paciência ….

  2. Rock
    quarta-feira, 30 de setembro de 2015 – 23:09 hs

    A receita é simples aumenta todos os impostos e a população paga a conta por suas burradas.

  3. COMANDO
    quinta-feira, 1 de outubro de 2015 – 10:04 hs

    2018 vai chegar…

  4. Observador
    quinta-feira, 1 de outubro de 2015 – 11:29 hs

    Nos veremos nas urnas amigo Betinho…

  5. antonio carlos
    quinta-feira, 1 de outubro de 2015 – 12:44 hs

    Ká ká ká depois daquela batalha campal lá no Centro Cívico, quanto todo mundo queria ver o diabo mas não Betinho Banana na frete, agora correm atrás do moço para pedir-lhe a receita do bolo. Até os principais inimigos não tem mais argumentos contra o piá de prédio, e tem que engolir a nova realidade bem caladinhos. Nada como um dia depois do outro, um festival de calúnias, uma batalha campal, uma greve estúpida do professorado e uma reforma tributária muito bem feita.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*