Dilma diz que será difícil atingir meta do Minha Casa, Minha Vida | Fábio Campana

Dilma diz que será difícil atingir meta do Minha Casa, Minha Vida

unnamed

A presidente Dilma Rousseff reconheceu nesta sexta-feira (4) que o governo federal terá dificuldade e precisará “suar a camisa” para entregar mais três milhões de moradias prometidas para a terceira etapa do programa Minha Casa Minha Vida. As informações são da Folha de S. Paulo.

“Vamos deixar contratadas mais três milhões de moradias. Vai ser difícil fazer as três milhões, mas nós vamos suar a camiseta para fazê-las. Eu não digo que todas vão estar prontas, mas vão estar contratadas”, afirmou a petista, na entrega de 1.948 imóveis do Minha Casa, Minha Vida em Campina Grande (PB).

Dilma lançou a terceira etapa do programa habitacional que é vitrine de seu governo, com a promessa de construção de três milhões de unidades, em junho do ano passado, pouco antes do início da campanha eleitoral.

Na primeira fase do programa, foram entregues um milhão de unidades habitacionais. Na segunda, foram feitas mais 2,75 milhões de casas.

“Estamos ao lado daqueles que mais precisam no Brasil. Nós usamos uma parte dos impostos para garantir que as pessoas tenham acesso à moradia. O governo federal, ao escolher onde gasta, escolheu o Minha Casa, Minha Vida e, com imensa dificuldade, vamos fazer todo esforço para contratar mais moradias para a população”, afirmou.

A presidente já havia anunciado que a terceira etapa do programa será lançada no dia 10 de setembro. A nova fase do Minha Casa, Minha Vida já perdeu 36% dos recursos previstos para este ano. Em julho, a presidente afirmara que, a despeito do momento difícil da economia o programa iria acabar ou sofrer cortes de orçamento.

UNIÃO

Dilma também disse que o governo irá superar rapidamente a crise econômica e pediu união da população.

“Como na sua casa, diante de dificuldade, se todo mundo ficar junto, superamos mais rápido. Não podemos voltar atrás, perder aquilo que já conquistamos. O Minha Casa, Minha Vida, o Fies, não podemos perder. É compromisso do governo.

Podem ter certeza de que o país vai ficar melhor, sair desta rápido porque, se nós nos unimos, juntos somos capazes de superar este momento.”

Aliado de Dilma e do PT, o governador Ricardo Coutinho (PSB) defendeu o mandado da presidente, dizendo que eleição se discute somente em 2018 e criticando o que chamou de partidarização da crise política e econômica.

“Não podemos ficar calados quando a gente vê determinados arautos, fazendo de conta que o Brasil é uma bola que se joga para um lado e para outro e o povo no meio, como se não tivesse vendo nada”, disse. “Político que é político tem de defender o Brasil, não adianta ficar apenas no quanto pior, melhor.”


5 comentários

  1. Manezao
    sábado, 5 de setembro de 2015 – 17:36 hs

    Esses projetos : Minha Casa Sua Divida , Balada Sem Fronteiras, Fies, Pronatec..estao fazendo agua !!!

  2. Pablito
    sábado, 5 de setembro de 2015 – 17:39 hs

    Ora, Dilma, basta você NÃO ESTIPULAR META ALGUMA e, quando atingir esta meta, DOBRE-A!!!! Aprendi isso cocê, Dirma!!!!

  3. M.E.J.
    sábado, 5 de setembro de 2015 – 21:17 hs

    Já arrumou as malas?

    É hora de ir limpando as gavetas.

  4. M.E.J.
    domingo, 6 de setembro de 2015 – 11:02 hs

    Tudo enganação.

    Cadê, por exemplo, a PONTE Foz/Paraguai?

    Certo matutino paranaense, dando uma forcinha para uma Candidata, aproveitou a visita da citada (junho/2015) para anunciar, em manchete:

    Liberado o início das obras da Nova Ponte…

    O anúncio foi feito pela Senadora Gleisi…

    Pois é, mais de ano, não tem um operário na tal obra.

  5. SOLANGE LOPES
    segunda-feira, 7 de setembro de 2015 – 13:35 hs

    Esta anta não atinge metas nem de lojinhas de 1,99.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*