Aprovada a janela da infidelidade | Fábio Campana

Aprovada a janela
da infidelidade

Preparem-se para o espetáculo do troca troca de partidos. O plenário da Câmara aprovou na noite desta quarta-feira emenda do Senado que garante uma janela de 30 dias para o troca-troca partidário antes das eleições. Pela emenda aprovada, o candidato poderá trocar de partido pelo qual foi eleito, no mês de março do ano da eleição, para concorrer por outra legenda. A chamada janela da infidelidade é um desejo antigo dos parlamentares, mas não concretizada. Em 2007, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a troca era inconstitucional e por isso, no entendimento de deputados, essa janela só poderia ser estabelecida por meio de emenda constitucional.


3 comentários

  1. FUI !!!
    quinta-feira, 10 de setembro de 2015 – 6:18 hs

    Por estas e outras que políticos não valem nada !!!

  2. MARCIO AGUIAR
    quinta-feira, 10 de setembro de 2015 – 13:38 hs

    MAIS A LEI ELEITORAL . CAMPANA ! QUE EXIGE QUE FUTUROS CANDIDATOS TENHA 01 DE FILIAÇÃO PARTIDARIA PARA SER CADIDATOS!! EXEMPLO ATÉ 30 SETEMBRO PARA GARANTIR-SE COMO CANDIDATO O CIDADÃO TEM QUE SE FILIAR A UM PARTIDO POLITICO SERÁ QUE ISSO ACABA?

  3. quinta-feira, 10 de setembro de 2015 – 14:07 hs

    Essa nova Lei demonstra cabalmente de que os nossos políticos não tem, o que de mais nobre poderia ter na política, que é o IDEALISMO e a CONVICÇÃO de IDEIAS. Pois como dizia o grande RAUL PILA (RS) : IDEIAS NÃO SÃO METAIS QUE SE FUNDEM. Todos os partidos políticos, em nosso País, se transformaram em verdadeiras DITADURAS PARTIDÁRIAS. Devido a isso que foram aniquilados os partidos NAZISTA e FACISTA. Aqui não sobreviveu, e nem sequer saiu das cinzas, o Partido INTEGRALISTA de PLÍNIO SALGADO, neste eles eram idealista e difundiam suas ideias, jamais abandonando suas fileiras. Quero afirmar que não pertenci a esse partido, pois fui criado no PTB de Getúlio Dornelles Vargas. Este partido completamente do diferente do PTB de hoje, pois perdeu sua identidade e conceito político e suas ideias trabalhistas. Os políticos de hoje não têm, em sua maioria, amor e dedicação ao partido que pertencem, pois os trocam, como quem troca de camisa, não importando a “PRETENSA FILOSOFIA” que os mesmos deveriam ter. A cartilha de todos os partidos são, praticamente, idênticos em tudo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*