Para aproveitar o domingo | Fábio Campana

Para aproveitar o domingo

cinema?

que horas

– Em cartaz em diversas salas e horários, Que Horas Ela Volta, produção nacional de Anna Muylaert, que recebeu boas palavras dos jornais The New York Times, Le Figaro, El Pais e The Guardian, ganhou no Festival de Berlim e de Sundance e que representará o Brasil na categoría de melhor filme de língua estrangeira no Oscar 2016.

– No Cineplex do Shopping Novo Batel O Diário de uma Camareira, produção franco-belga do diretor Benoît Jacquot. Sinopse: “O filme se passa em 1900. Célestine, uma jovem camareira muito cobiçada por conta de sua beleza, acaba de chegar de Paris para trabalhar para a família Lanlaire. Enquanto foge dos avanços de seu senhor, ela deve lidar com a rigorosa personalidade de Madame Lanlaire, que governa o lar com punho de ferro. Ao mesmo tempo, Célestine conhece Joseph, um misterioso jardineiro que está profundamente apaixonado por ela”. As sessões são às 13:40 e 21 horas.

música?
ensax-2015-laguna-e1441799091635

– Acontece nesse domingo no Guairinha o ENSAX 2015 – 9º Encontro de Saxofonistas. Entre os convidados, Roberto Sion, que se apresenta ao lado da Orquestra de Saxofone. O espetáculo começa às 18 horas.

– O Conjunto Choro e Seresta, fundado em 1973 é um dos grupos regionais mais tradicionais e importantes de Curitiba. Formado por músicos que montam três gerações de chorões, o conjunto pode ser visto todos os domingos na Feira do Largo da Ordem.

exposição?

– Artefatos dos acervos da Matte Leão, Cerâmicas Colombo, Fábrica de Fitas Venske, Todeschini e Pianos Essenfelder e ítens como máquinas, louças, fotos, peças de escritório e rótulos compõem a mostra Indústrias do Paraná, que relata a história e os detalhes do desenvolvimento industrial do estado.

A exposição tem entrada franca e pode ser vista das 10h às 16h no Museu Paranaense.

– Aberta na Casa Romário Martins a exposição Curitiba, Aquarela Nanquim de Di Magalhães aberta. O artista retrata os prédios históricos da cidade, etnias, parques e bosques. A entrada é gratuita e dá para aproveitar o final de semana para vê-la: sábado e domingo, das 9h às 14h.

literatura?

– Quem cria, nasce todo dia – Jaime Lerner.
jaime_foto
Lembranças de infância, primeiros trabalhos, viagens pelo mundo, desenhos de projetos, pensamentos soltos, vida pública e em família compõem os textos que Jaime Lerner preparou para seu livro confessional. Nas 80 crônicas, o autor revela a “alma de artista, não a de inventor de laboratório ou de autoridade em seu gabinete palaciano. […] há outra dimensão, rica e fértil na narração de histórias do cotidiano, seus sentimentos e experiências pessoais que não cabem na história oficial, nos discursos de ocasião ou nas teses acadêmicas…”.

– A estalagem das almas – Karen Debértolis e Fernanda Magalhães

A primeira narrativa escrita por Karen Debértolis, envolvida pelas fotografias de Fernanda Magalhães (que estão no livro) se transformou numa obra com 14 personagens que se encontram em uma estalagem à beira do deserto. Nesse local cada um, em cada quarto, fragmenta a história, trazendo diversos sentimentos e emoções à tona.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*