Três trapalhadas de Dilma Rousseff | Fábio Campana

Três trapalhadas de Dilma Rousseff

dilmat
Num curto espaço de tempo, a presidente Dilma Rousseff conseguiu protagonizar três trapalhadas que só reduziram mais os percentuais em sua imagem pessoal (e de seu governo), a ponto de merecer um editorial no Financial Times online. Primeiro, a Agenda Brasil, que é apenas um resumo de sugestões, já aproveitando projetos em tramitação; depois, o anúncio de redução de dez ministérios dos 39 que seu governo tem (até agora, não existe nada decidido, a não ser a rebelião de partidos aliados e movimentos sociais); e finalmente, a intenção de ressuscitar a CPMF, que durou menos de três dias.

Nos três movimentos que já quase naufragaram, a presidente teve o apoio dos trapalhões de seu núcleo de ministros mais chegados, com destaque para o titular do Planejamento, Nelson Barbosa, que anunciou o corte dos ministérios sem saber quais seriam e quando aconteceriam e, de quebra, era o maior entusiasta da volta da CPMF, que não fazia parte dos planos de Joaquim Levy, da Fazenda. Edinho Silva (Secom) parece estar lá apenas para dizer amém a quaisquer decisões da Chefe do Governo.


6 comentários

  1. Falido e mau pago
    segunda-feira, 31 de agosto de 2015 – 18:40 hs

    Indo além, o lulopetismo que juntou a incompetência com a roubalheira, conseguiu quebrar o Brasil!
    Você, que acreditou no discurso bonitinho mas ordinário da ptzada e votou no lula e na dilma, não me culpe. Não fui cúmplice deste desastre.
    Após esta cambada deixar o poder, vamos levar outros 30 anos para consertar o País.

  2. antonio carlos
    segunda-feira, 31 de agosto de 2015 – 18:45 hs

    Coitada da Mulher Sapiens, como adora se cercar de cuecas de seda só dá mancada. Alguém aí, avisa para a Mulher Sapiens pensar só um pouquinho antes de falar tanta bobagem.

  3. FUI !!!
    segunda-feira, 31 de agosto de 2015 – 19:44 hs

    Este bando de aloprados e imbecis que habitam o “Planeta” Brasília com
    certeza tem “Mer..” na cabeça. É impressionante o grau de incompetencia
    que acompanham em tudo que fazem…

  4. terça-feira, 1 de setembro de 2015 – 1:45 hs

    Que tristeza, para nós brasileiros, vermos a Presidente Dilma dar suas mancadas e trapalhadas diárias, como se tudo estivesse as mil maravilhas. A imprensa mundial faz comentários a respeito desses descalabros. Nem parece que a mesma tenha estudo, inclusive diz ter frequentado Faculdade. Será que foi uma daquelas PP, isto é, PAGOU PASSOU.

  5. COMANDO
    terça-feira, 1 de setembro de 2015 – 8:56 hs

    Saia fora, antes que a coisa fique mais escura…

  6. Luigi
    terça-feira, 1 de setembro de 2015 – 9:32 hs

    Só três???? É tudo teapalhada!
    Vejam o que o Josias de Souza acaba de pistar:
    “Em conversa com o blog, na noite desta segunda-feira, um dos ministros de Dilma Rousseff desabafou: “Hoje, há dois tipos de ministros em Brasília: os que administram a crise e os que são administrados por ela. Joaquim Levy e Nelson Barbosa, os gestores da crise, batem cabeça. Os demais quebram a cabeça procurando maneiras de gerenciar a escassez. A grande maioria administra o nada, sabendo que terá nada menos alguma coisa depois que Fazenda e Planejamento chegarem a algum tipo de acordo.”
    O auxiliar de Dilma falou com o repórter sob o compromisso de não ter o nome revelado. Contou que o desânimo se espraia pelo primeiro escalão do governo. “Quando aceitei participar do elenco do segundo mandato da presidenta Dilma, sabia que não seria o protagonista. Mas não imaginei que viraria figurante de um filme sem roteiro, mal dirigido e com orçamento deficitário. Pensei em pedir para sair. Fui aconselhado a que ninguém sabe se chegará ao final. Pensei em pedir para sair. Fui aconselhado a ficar. Isso foi há um mês. Desde então, meus dias são feitos de arrependimento.”

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*