Saúde tem que ser prioridade, por Ney Leprevost | Fábio Campana

Saúde tem que
ser prioridade,
por Ney Leprevost

ney leprevost- saúde

Ney Leprevost:

Na semana em que foi comemorado o Dia Nacional da Saúde, na quarta-feira (05), o país tem pouco a festejar. O caso emblemático mais recente é o do Rio Grande do Sul, que há menos de um mês viu o governo determinar mais um corte de verbas destinadas à saúde. Com isso, os hospitais do estado entraram em colapso, com filas enormes e pessoas disputando atendimento nos corredores. Aqui no Paraná, notícias como a publicada pelo portal G1, no começo deste ano, sobre uma mulher que ligou para a Secretaria Municipal de Saúde de Guaratuba em busca de um pediatra para o filho e foi orientada a procurar um médico particular são comuns. Faltam médicos. E também equipamentos de ponta, estruturas aptas a receber o cidadão e investimento em matéria-prima básica para vários tipos de tratamento.

Em Curitiba, que há alguns dias, perdeu o secretário municipal de saúde, para o governo federal, a situação não é diferente. Maria da Luz das Chagas dos Santos, de 37 anos, morreu em 24 de junho deste ano na porta da Unidade de Saúde do bairro Fazendinha, enquanto esperava atendimento. Sofrendo de dores na cabeça e no peito, ela esperou por um médico durante quatro horas, até que não resistiu e faleceu na calçada da unidade de saúde. Casos como esse não são raros, mesmo em estados mais desenvolvidos economicamente.

Mais grave ainda é o caso das mortes causadas pela gripe no Paraná. Foram 13 apenas entre janeiro e julho, apesar de se tratar de uma doença de controle relativamente simples. Situação que não teria acontecido se o Ministério da Saúde observasse características pontuais, como o fato de o Paraná ser um estado com um inverno muito rigoroso. Isso faz com que as pessoas passem muito tempo em ambientes fechados, o que facilita a proliferação do vírus. A medida mais lógica seria oferecer a vacina para toda a população e não apenas aos grupos de risco. Certamente, essas mortes teriam sido evitadas.

Para reverter esse quadro é preciso pensar na saúde como uma prioridade de fato, e não apenas de direito. Com a experiência acumulada na liderança da Frente Estadual de Saúde e Cidadania, sei que o desafio é grande, mas também que é possível encontrar soluções para melhorar os índices de satisfação da população.

No começo de julho, organizei um audiência pública na Assembleia Legislativa para debater com profissionais de saúde e a comunidade em geral as principais necessidades na área. Foi uma boa oportunidade para detalhar os 26 projetos que protocolei durante o primeiro semestre de 2015 relacionados à saúde pública. O projeto que torna obrigatória a realização do Teste da Linguinha em recém-nascidos e a criação de um programa estadual de assistência aos portadores de doença pulmonar obstrutiva
crônica são alguns deles. São detalhes, muitas vezes não cobertos pela legislação atual, mas que podem salvar vidas.

Neste segundo semestre o trabalho voltado à área da saúde continua, agora com propostas que incentivam a doação de órgãos e tecidos, dentro do programa “Paraná pela Vida”. Além disso, proponho um combate mais efetivo ao mosquito transmissor da dengue, restrições ao uso de agrotóxicos e herbicidas cancerígenos nas plantações paranaenses e medidas de prevenção e apoio aos portadores de doenças raras. Mais uma vez, insistindo em medidas simples e de baixo custo, porém de grande impacto na cura e no
diagnóstico precoce de muitas doenças. Só assim vamos enfrentar o caos vivido pela saúde pública brasileira.

*Ney Leprevost é administrador e exerce mandato de deputado estadual.


13 comentários

  1. Fritz Hozzmain
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 15:08 hs

    Que descoberta mais original…
    Que palavra mais inusitada…
    Que projeto político mais sincero…
    Ave, candidato…
    Valei-me todos os santos da saúde.

  2. Cesar
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 16:21 hs

    Essa conversinha marota de que faltam medicos não engana ninguém mais.Está sobrando médico.O difícil é encontrar aqueles que querem trabalhar no SUS,que não oferece plano de carreira,nem estabilidade,nem salário adequado,nem estrutura adequada.
    Façam um plano de carreira igual ao dos eminentes promotores e juízes,que vão aparecer milhares de médicos querendo trabalhar no SUS.

  3. Floriano
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 17:57 hs

    Ney Leprevost é um dos poucos neste país que defende a causa da saúde. Parabéns .

  4. Adriano
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 17:59 hs

    O Leprevost trabalha pela saúde e a educação. Deputado muito competente.

  5. Neto
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 18:00 hs

    Cesar, pelo que sei o deputado Ney Leprevost é um grande defensor do plano de carreira para classe médica.

  6. Ademar
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 18:04 hs

    Estou com o Leprevost: a maneira que o governo Dilma trata da saúde do povo é vergonhosa. Taca-lhe pau , deputado !

  7. Aloísio
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 18:20 hs

    Resumiu tudo o que penso sobre a nossa realidade no segmento saúde. Parabéns pela postura e por estar sempre à favor da população de Curitiba e do nosso Estado, futuro prefeito.

  8. Pedro Angelo
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 18:32 hs

    Parabéns Ney Leprevost, o Sr. sabe do que o povo precisa e luta por saúde de qualidade para os paranaenses. Terá sempre o meu voto, dos maus amigos e parentes.

  9. Ana Paula
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 18:42 hs

    Leprevost gosto de seu trabalho e admiro o sr. como pessoa. Por favor nos ajude em colocar em prática estas belas palavras tentando sensibilizar os governos estadual e do município de Curitiba.

  10. Paolo
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 20:22 hs

    Educação é que é prioritária; saúde é só necessária!!! Se investir maciçamente na primeira, com o tempo, diminui a necessidade da segunda!!!!!!

  11. Joana Helena
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 21:17 hs

    Muito bem deputado! Você fala e faz diferente de muitos

  12. carlos-cajuru
    sexta-feira, 7 de agosto de 2015 – 1:11 hs

    Isso ai mais me parece um A PEDIDO do Nei para divulagar sua candidatura

  13. Eliseu
    sexta-feira, 7 de agosto de 2015 – 1:50 hs

    O Ney Leprevost vai ser o futuro prefeito de Curitiba. Ninguém aguenta mais a administração petista do senhor Gustavo Fruet.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*