Roberto Aciolli vai a júri por homicídio cometido em 1999 | Fábio Campana

Roberto Aciolli vai a júri por homicídio cometido em 1999

aciolli 4

Rogério Galindo, Caixa Zero

O ex-deputado estadual e apresentador de tevê Roberto Aciolli (PV) irá a júri popular para ser julgado por um crime cometido em 1999. A Justiça determinou que o caso deve ser julgado como homicídio doloso e, portanto, deve ser levado ao Tribunal do Júri.

Aciolli atirou com um revólver calibre 38 em Paulo César Heider no Água Verde. O apresentador alega que o tiro não foi intencional, e por isso pedia para que o caso não fosse levado a júri, e fosse julgado pelo juiz.

Até o ano passado, Aciolli era deputado estadual e, por isso, tinha foro especial. Nesse caso, ele seria julgado pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça. Mas como ele não se reelegeu, o caso de homicídio irá para o Tribunal do Júri.

O crime ocorrido em 1999 teve origem em um assalto contra a loja de eletrônicos da ex-mulher de Aciolli. Na época, Aciolli foi informado de que o suspeito do crime tinha sido visto em um táxi em direção ao Água Verde e foi atrás dele. Alcançou-o e o taxista parou o carro.

Aciolli desceu e fez Paulo César descer. O tiro ocorreu quando Paulo César estava de costas para Aciolli , com as mãos na caminhonete do apresentador. Aciolli diz que o revólver disparou sem querer quando ele teria levado uma cotovelada de Paulo Cesar.

A defesa de Aciolli recorreu da decisão da pronúncia ao Tribunal de Justiça do Paraná nesta semana.


9 comentários

  1. Cidadã
    quarta-feira, 26 de agosto de 2015 – 15:21 hs

    Lugar de homicida é apodrecer na cadeira.
    Bandido, assassino premeditado, coisa do diabo.

  2. Barata
    quarta-feira, 26 de agosto de 2015 – 15:39 hs

    Matou um bandido, se defendendo, deveria ganhar uma medalha.

  3. lika
    quarta-feira, 26 de agosto de 2015 – 16:04 hs

    Quem mata bandido, tem que ser homenageado, eu detesto vagabundo, tem que matar e de preferencia atirar na cabeça ou nas costas desses FDP, cancer da sociedade.

  4. lika
    quarta-feira, 26 de agosto de 2015 – 16:08 hs

    Quem mata bandido tem que ser homenageado, tenho certeza que se esse bandido vagabundo que morreu estivesse vivo, com certezza alguem ou um pai de familia estaria morto por aí. parabens ao Aciolli por ter metido chumbo nesse cancer eu teria feito o mesmo.

  5. Renato Britto Barros
    quarta-feira, 26 de agosto de 2015 – 16:55 hs

    Também acho que não foi intencional, o problema é que o Acioly tem uma pontaria das boas e acertou sem querer na nuca do rapaz.
    Isso é lei de Murff

  6. Ignoto Delatore
    quarta-feira, 26 de agosto de 2015 – 21:02 hs

    Tirou a vida de um “ladrão de galinhas”, sendo que após perseguição o executou pelas costas com tiro na cabeça. Existe prêmio e homenagem para isto sim, previstos no Código Penal, artigo 121. Os jurados irão fazer todas as honras em nome da sociedade que não tolera nenhum dos dois tipos de marginais.

  7. Tinho
    quarta-feira, 26 de agosto de 2015 – 22:58 hs

    Tenho pena desse cidadão, contudo vale lembrar seus comentários de televisão: “vamos apresentar um perigoso homicida”. e ai por diante. Que tal agora na mesma situção, sentando num banquinho de réu.

  8. carlos-cajuru
    quarta-feira, 26 de agosto de 2015 – 23:59 hs

    Onde e quando vai acontecer isso?
    Eu gostaria de estar lá para ver !
    E e outros estudantes de Direito!

  9. Piá.
    quinta-feira, 27 de agosto de 2015 – 8:35 hs

    Ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém, esse cidadão se acho o todo poderoso, portanto, sendo a lei feita para todos a de que seja cumprida, se for pra responder em liberdade ok, se for para mandar o “covarde” pra cadeia então que fique enjaulado, assim aprende a respeitar as demais pessoas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*