Procurador tenta impedir prisão da promotora do Gaeco pela Polícia Militar | Fábio Campana

Procurador tenta impedir prisão da promotora do Gaeco pela Polícia Militar

A promotora Leila Schimiti arrumou um imbróglio sem tamanho ao tomar todas e sair batendo em carros e arriscando atropelar quem estivesse a sua frente. Agora, os políticos nativos mui atentos ao caso, estudam a situação do procurador da Justiça, Claudio Esteves, ex-coordenador do Gaeco em Londrina, que tentou impedir a prisão da promotora Leila Schimiti pela Polícia Militar. Segundo testemunhas que documentaram a situação gravando com seus celulares, Esteves tentou impedir também os flagrantes da prisão por populares e tentou acompanhar a promotora na viatura da PM, o que não foi permitido. O procurador acompanhou a liberação da promotora após o registro do boletim de ocorrência na Polícia Civil. Veja o vídeo.


35 comentários

  1. Pois é
    domingo, 9 de agosto de 2015 – 22:59 hs

    Segundo o site transparência o casal esteves leva pra casa nada menos que 50 mil reais( do erário), contando auxilio moradia, transporte e outras mais beneces, q só os togados têm..
    Ganhos ilegais não se sabe, mas imorais.. o povo é que pode avaliar..

  2. pedro pivatto
    domingo, 9 de agosto de 2015 – 23:16 hs

    Parabens ao policial que enfrentou a carteirada do promotorzinho…

  3. Pixuleco
    domingo, 9 de agosto de 2015 – 23:50 hs

    Todas as autoridades estatais devem ser tratados com isonomia, sob pena de se subvertermos o sentido jurídico do princípio constitucional de que todos são iguais perante a Lei.
    Com efeito, todas as autoridades estatais deve estar contempladas no Inciso VII, letra “a” do art. 101. da constituição Federal, pois estamos vivendo em um Estado democrático de DIREITOS..

  4. Pixuleco
    domingo, 9 de agosto de 2015 – 23:51 hs

    Digo, letra “a” do Inciso VII, do art. 101 da Constituição ESTADUAL..

  5. luis
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 8:04 hs

    Porque esse blog tem tanto interesse nisso?
    Por acaso tem algum motivo pessoal para explorar notícias como essa?
    O caso pode ser de imprudência, mas com certeza não é de desvio de dinheiro público ou outra improbidade que o valha!
    Isso parece a manifestação dos familiares do traficante playboy do RJ, que tiveram espaço na mídia Carioca para dizerem que vão processar o Estado pela morte dele!

  6. luis
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 8:15 hs

    QUEM ROUBA DINHEIRO PÚBLICO TEM QUE SER PROCESSADO; DEVOLVER TUDO; SOFRER UMA MULTA PESADA; CUMPRIR PENA EM REGIME FECHADO; SER DEMITIDO DO SERVIÇO PÚBLICO.
    Por outro lado.
    A Promotora sofrerá as sanções administrativas do código de trânsito, terá que refazer o curso de habilitação.
    Sugiro a ela que se inscreva no curso de inteligência institucional que o MP faz com frequência, pois esse tipo de evento pode ser induzido, depois de um estudo minucioso da personalidade de um alvo.
    Quem está em guerra não pode prescindir de armadura!

  7. segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 8:30 hs

    “Exemplo lamentável e reprovável. Num País civilizado onde vige o respeito ao Estado Democrático de Direito essa lei que membros do Ministério Público só podem ser presos em casos de crimes inafiançáveis. Jamais deveria existir. Provando que no Brasil é letra morta o princípio pétreo de que TODOS são iguais perante a lei sem distinção de qualquer natureza. A sua efetiva e literal aplicação só funciona para o ALTO CLERO. A NOBREZA. OS SANGUE AZUIS. Que vivem no alto do monte olimpo. São semi-deuses contemplando a desventura de não pertencermos a CASTA deles. A sociedade é desrespeitada e aviltada todos os dias. O MP poderia dar o bom exemplo e pedir a EXTINÇÃO dessa lei. Porquê se recusou a fazer o teste? Porquê? Só ela se recusou. Todos os outros envolvidos fizeram. Só ela não. Espero que o MP dê uma resposta a sociedade. Independente do brilhante trabalho que ela faz na operação Publicano. Independente. Profissionalmente ela é um exemplo, e deve continuar a frente do trabalho que está fazendo. Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa… Muda Brasil. Acorda Brasil!…” – Profº Celso Bonfim

  8. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 9:11 hs

    Então,parece que todos ai soltam foguetes,também aqueles que jogaram bombas nos professores devem estar comemorando com champanhe.
    É nosso estado bandido,onde os políticos e afins tentam de tudo para desconstruir a imagem de um órgão que mais combate o crime praticado por políticos.

  9. Paula
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 9:45 hs

    Absurdo, esta senhora deveria dar exemplo de conduta !!

  10. Indignado
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 9:46 hs

    Notícia TENDENCIOSA! O Dr. Claudio é pessoa séria e não tentou impedir suposta prisão, até porque é ilegal prisão por crime afiançável de membro do MP. Procurou apenas acompanhar a motorista até a DP, direito de qualquer cidadão comum.

  11. Miguel
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 9:53 hs

    Semi-Deuses de cueca suja!

  12. ZANI
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 10:13 hs

    Ora, não vamos misturar as coisas, se ela cometeu uma infração deve pagar, mas nada a tem a ver com os ladrões da receita, que devem continuar a serem investigados.

  13. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 10:27 hs

    O Claudio Esteves não barrou ninguém de filmar e prova que ai está a filmagem.~
    A promotora nem precisava ter chamado seu colega por que sua prisão só poderia ser feita com ordem do TJ.
    Ela teve seu problema fora do horário de serviço,vai ser enquadrada na normalidade como qualquer pessoa,depois volta comtudo pra cima dos ratos de colarinho branco.

  14. MANOEL BOCUDO.
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 10:41 hs

    QUE EXEMPLO, CORPORATIVISMO PURO. AINDA BEM QUE TEMOS
    SERGIO MORO, ESSE NÃO ENVERGA.

  15. Antonio Grando
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 10:53 hs

    Embora seja uma prerrogativa legal (a de não produzir provas contra si mesmo), na prática trata-se de uma ‘chicana’ jurídica.
    Agindo desta forma, demonstra que o respeito à lei pode ser flexível, de acordo com as conveniências. Triste…

  16. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 10:56 hs

    Celso bonfim,o cheio de data vênia e citações latinas ai,nem sei por que ,tem hora que tem que frear o arrebatamento cara.

  17. Juca
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 11:05 hs

    Alguém está usando o nome do Calça Frouxa para comentar aí em cima. Ou o comentário foi ditado por alguém para o Calça Frouxa digitar!

  18. jose
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 11:13 hs

    concordo com SS, como tentam desconstruir a imagem o Juiz Sérgio Moro.

  19. Londrinense
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 11:34 hs

    Sendo em londrina tudo pode acontecer, que tal investigarem se colocaram “algo a mais” para a Promotora beber? todos sabemos que o brimo é ainda é muito influente na região. fika ai a dica!

  20. Sergio Silvestre
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 11:57 hs

    E também acompanhar a tal “AMAROK” se não seguiu a promotora desde lá da festa para provocar uma batida e depois ir consertar lá na famosa oficina de Cambé;
    Com esse povo não se brinca.

  21. QUESTIONADOR
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 12:22 hs

    -Pau que bate em Chico, bate em Francisco!!!
    -Senhores integrantes do GAECO, a lei é igual para todos e todos devem se submeter à ela!!!
    -Quem fiscaliza e audita o GAECO?

  22. leandro
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 13:06 hs

    A promotora nem se preocupe, advogado ela tem , Silvestre, o cra fez umas defesas com tanta voracidade que poderia estar numa tribuna com sua oratória.
    Estão dando uma importância maior do que deve ter, somente pelo fato de uma promotora do Gaeco estar cozidaça e bater em 3 carro lá em Londrina.
    Desde que ela não beba no serviço tudo bem…. será?
    Outro dia dois promotores do interior quebraram o pau num Karaokê aqui d cidade. Dizem que mexiam uma mulher que estava acompanhada. Este caso está esquecido? Houve até garrafada na cabeça de um outro cidadão.

  23. Da Silva
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 13:32 hs

    Me ocorreu uma idéia:
    que tal trancafiar a maioria dos promotores do GAECO por uns 10 a 15 dias, raspar-lhes a cabeça, vestirem-os com uniforme de presidiários, até arrancar uma confissão de que outros também beberam e dirigiram em outras ocasiões ?
    Alguém aí apóia ?

  24. Escritor
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 14:44 hs

    Um procurador tenta abafar um caso e tem gente que acha que nao é nada. Um pilantra, isso sim. A PM devia prender ele junto por obstrução.

  25. marcello
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 15:35 hs

    É impressão ou o nobre blogueiro tenta com o presente caso desqualificar o trabalho dos procuradores no caso que envolve a trupe do governador?

  26. marcus
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 18:44 hs

    há uma incoerencia destes procuradores, se vestem numa carapuça de senhores da verdade, cometem ações midiáticas que denigrem imagens e depois bebem, dão carteiradas, são insubordinados e cometem falhas tão quanto o cidadão comum…; e parabéns à policia militar que cumpriu seu dever à risca.
    Marcus.

  27. jonas tibilete
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 19:29 hs

    Japonesa cachaceira caiu do cavalo! Que belo exemplo, hein!

  28. junior
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 20:04 hs

    Acidente, embriaguez ao volante, fuga ou tentativa de dar no pé; por sorte, neste episódio não houve morte mas, faz lembrar de um passado já distante, de corporativismo absurdo na pequena Londres . Já tá qualificada para ser a próxima chefe. Kkkkkk.

  29. antonio carlos
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 21:29 hs

    Esta Paladina da Justiça não poderia ter proporcionado um melhor dia dos pais para muitos pais. Ela fez a felicidade dos auditores fiscais por ela investigados, do “parente distante” do Betinho Banana e do mesmo. Duvido que qualquer filho ou filha desta turma tivesse conseguido proporcionar tanta felicidade a esta turma. Mas quem se acredita acima da lei sempre se dá mal. Agora resta a esta Paladina da Justiça pagar este micão pelo resto da sua carreira profissional. Micos como este às vezes acabam de vez com a carreira das pessoas.

  30. Cristiano Chaves
    segunda-feira, 10 de agosto de 2015 – 23:49 hs

    Gente! Que bobagem. Promotores são semideuses e não cometem crimes. Não viram o Tales do MPSP que disparou onze vezes conta um cara que fez Psiu pra mulher dele e foi absolvido por legítima defesa.

  31. Carteiraço
    terça-feira, 11 de agosto de 2015 – 0:09 hs

    Parabéns ao policial militar que não sucumbiu ao corporativismo. Errou, pague promotora. E espero que não volte a dirigir tão cedo.

  32. felipe
    terça-feira, 11 de agosto de 2015 – 9:10 hs

    GOSTARIA DE SABER SE ELA FOI MULTADA? SÃO 7 PONTOS NA CNH DA BEBADA E SUSPENÇÃO NO DIREITO DE DIRIGIR.
    OU ELA TAMBEM TEM PRERROGATIVAS QUANTO A ISSO?
    NÃO É DE HOJE QUE VEMOS NOTICIAS DE MEMBROS DO MINISTERIO PUBLICO ENVOLVIDOS EM CRIMES COMO DIRIGIR EMBRIAGADO, HOMICIDIOS, BRIGAS(ESPANCAMENTOS), USO DE DROGAS E ETC, POREM NUNCA ACONTECE NADA. OS PROMOTORES NUNCA SÃO PUNIDOS.
    PS: FICA AQUI UMA DICA AOS BANDIDOS: PELO VISTO, SEGUNDO A BEBADA, BASTA PEDIR DESCULPA APOS COMETER O CRIME QUE ESTA TUDO CERTO. ATENÇÃO BANDIDAGEM, VAMOS COMEÇAR A MANMDAR NOTAS A IMPRENSA PEDINDO DESCULPAS PELOS CRIMES QUE PROVAVELMENTE VCS NEM SERÃO DENUNCIADOS.

  33. Zé Ninguém
    terça-feira, 11 de agosto de 2015 – 10:13 hs

    Quem de vocês que estão lendo esse blog não dirigiu alcoolizado ? Vamos parar com esse falso moralismo, ela errou e vai responder por seu erro , no órgão competente , que é delegacia de transito ou o que valha, acho que seja natural ela buscar ajuda com amigos de trabalho , ou com quem ela buscaria ajuda ?, comigo que não seria pois sou apenas um cidadão comum e não a conheço , Vi o vídeo e ela não e uma ameaça a sociedade, e se for e muito menor que algumas autoridades de plantão, que ocupam as paginas politicas enquanto deveriam ocupar as paginas policias de nossos jornais .

  34. Flávio
    terça-feira, 11 de agosto de 2015 – 10:28 hs

    Acredito que nôs dias de hoje muitos brasileiros tem vergonha de ser brasileiro, minha vontade é pegar uma varrinha e ir pra beira do rio, e não ver ninguém, fugir desta podridão, mas infelismente não posso tenho que trabalhar para me sustentar junto a minha familia.

  35. Antonio Grando
    terça-feira, 11 de agosto de 2015 – 15:45 hs

    Embora seja uma prerrogativa legal (a de não produzir provas contra si mesmo), na prática, eximir-se de realizar o teste do “bafômetro” trata-se se apenas de uma ‘chicana’ jurídica.
    A promotora deveria, por atributos da função, ser a 1ª a respeitar a lei. Agindo desta forma, a promotora demonstra que o respeito à lei pode ser flexível, de acordo com as conveniências. Dois pesos e duas medidas. Triste…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*