O dilema de Dilma | Fábio Campana

O dilema de Dilma

mail.google.com

Não há agenda positiva possível enquanto o governo estiver sitiado pelas roubalheiras que hospedou, tolerou e finge desconhecer

Elio Gaspari

A doutora Dilma parece perdida como cego em tiroteio. Sua reunião com os governadores foi mais um exercício de perda de tempo. Admitindo-se que ela consiga desviar-se da ruína econômica, resta-lhe uma decisão: o que fazer diante da Lava-Jato?

Até agora ela se deixou corroer porque supõe que pode ficar numa posição de neutralidade contra. “Eu não respeito delator” será uma frase que a acompanhará pela vida.

Ou ela se alista publicamente na Lava-Jato, ou está frita. Lula deu meios passos ao tirar José Dirceu da Casa Civil e Antonio Palocci da Fazenda. Faltou dissociar-se do mensalão, e o resultado está aí.

Fernando Collor teria terminado o mandato se, na primeira hora, tivesse rifado o tesoureiro Paulo Cesar Farias. O general Figueiredo arruinou seu governo e sua biografia acobertando o atentado do Riocentro.

Não há agenda positiva possível enquanto o governo estiver sitiado pelas roubalheiras que hospedou, tolerou e finge desconhecer. Pactos são coisa para patos. Um rompimento com os conluios será coisa difícil, até porque, enquanto a doutora está neutra-contra a Lava-Jato, a oposição está a favor, desde que ela pare, limitando-se na amplitude e no tempo.

A doutora deve reler o que diz. Na reunião com os governadores, informou: “Nós, como governantes que somos, não podemos nos dar ao luxo de não ver a realidade com olhos muito claros”.

Quem souber o que isso quer dizer ganha um fim de semana em Miami.


3 comentários

  1. Juca
    domingo, 2 de agosto de 2015 – 16:03 hs

    Então a distinta é cega, porque não vê a realidade há muito tempo!

  2. Jair Pedro
    segunda-feira, 3 de agosto de 2015 – 7:17 hs

    O texto em negrito, logo abaixo da estampa da presidente, traduz tudo e que poderia ainda ser acrescentado com a – insistência em culpar “eles”.

  3. segunda-feira, 3 de agosto de 2015 – 11:19 hs

    Triste Nação Brasileira que tem uma Presidente que não sabe o que fala, demonstrando ANALFABETISMO ou IGNORÂNCIA? Passamos vergonha perante outros Países por termos nos últimos anos pessoas que não sabem o que dizem, pois não se entende o que eles querem transmitir. De Pátria Educadora à Pátria da Vergonha.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*