No Paraná, 79% querem pedágio com novas regras e obras de duplicação | Fábio Campana

No Paraná, 79% querem pedágio com novas regras e obras de duplicação

murilo1 hidalgo

Eis o que diz os números. 79,3% dos usuários das rodovias paranaenses querem que o governo faça um novo contrato com as empresas de pedágio agora, com novas regras, obras de duplicação e tarifa mais baixa. Apenas 18,7% acreditam que é melhor o governo esperar vencer o contrato com as concessionárias em 2022. As informações são da pesquisa encomendada pela Federação da Agricultura do Paraná ao instituto Paraná Pesquisas que avaliou a percepção dos usuários das rodovias que compõem o anel de integração em relação ao pedágio.

Realizada entre os dias 27 de julho e 2 de agosto deste ano, a pesquisa utilizou uma amostra de 2,5 mil motoristas (de carro, moto, caminhão e ônibus) que utilizaram as rodovias do anel de integração nos últimos 10 dias, divididos segundo sexo, faixa etária e posição geográfica, em 62 municípios. A margem de erro estimada é de 2%.

O objetivo da Faep ao encomendar a pesquisa foi identificar a percepção dos usuários das rodovias em relação ao pedágio. A federação defende a necessidade imediata de duplicar as rodovias que compõe o anel de integração (que interliga Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Cascavel, Foz do Iguaçu, Campo Mourão, Londrina, Maringá, Paranavaí e Paranaguá) e baixar o preço da tarifa. Para isso, é necessário que o governo do Estado negocie com as empresas concessionárias nesse momento e não em 2022, quando vencem os contratos de pedágio hoje em vigor.

Segundo o presidente da Faep, Ágide Meneguette, a duplicação do anel de integração é urgente para que os custos logísticos não minem ainda mais a competitividade da agropecuária paranaense. O caminho para isso são as parcerias com o setor privado. “O governo não tem recursos nem para a manutenção das estradas, o que dirá para a execução de grandes obras”, avalia.

De acordo com a pesquisa, 47,7% dos motoristas paranaenses estão Satisfeitos/Muito satisfeitos com as rodovias pedagiadas, enquanto 40,9% estão Insatisfeitos/Muito Insatisfeitos. Segundo 53% dos entrevistados, a melhor forma de manter as rodovias em bom estado é conceder o serviço para as empresas de pedágio, outros 44,7% acreditam que o é melhor o governo cuidar das rodovias.

Em relação à tarifa, 81,6% dos motoristas acham que o valor cobrado pelas empresas de pedágio é Incompatível/Totalmente Incompatível com o serviço que oferecem, como estrutura, qualidade do asfalto, apoio, conservação, etc. Apenas 9,6% acreditam que o valor é Compatível/Totalmente compatível com o que é oferecido aos usuários.


13 comentários

  1. Da Vinci
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 15:46 hs

    Paraná Pesquisa? Quem acredita no Paraná Pesquisa? Aliás ninguém está acreditando no atual Paraná, esses ratos que tomaram conta do nosso estado acabaram com a nossa credibilidade..

  2. zangado
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 15:50 hs

    Sinal (se é que pesquisa é confiável) de que os contratos atuais foram sumamente gravosos ao contribuinte e tecnicamente distantes das necessidades da sociedade, pois, jogaram para o final obras que deveriam ter sido implementadas mais cedo.

    Então, apure-se as responsabilidades daqueles que fizeram campanha apregoando o pedágio ou o abaixo o pedágio ou que iam resolver o pedágio e até o momento nada aconteceu.

    Essa conversa de novo contrato é eufemismo para colocar de baixo do tapete todos os malfeitos e dar ainda mais vantagens às concessionárias, blindadas até hoje de uma apuração séria e efetiva dos órgãos oficiais e das autoridades.

  3. COMANDO
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 15:50 hs

    Renovação jamais, pelo menos não com essa turma que ai está, presos mais baixos sim…

  4. jose castelo
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 16:21 hs

    Papinho 171…nada de renovar com esses
    que estão há anos. Nova licitação e que ganhe quem oferecer preços e condições
    melhores. Eita pepe Richa! !!!

  5. jose
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 16:39 hs

    mentira, quem fala isto é pq não paga pedágio mais caro do Brasil.

  6. Sergio Silvestre
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 18:10 hs

    Impressionante,79%todos sadomasoquistas

  7. Koba
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 19:53 hs

    Pesquisa pra lá de duvidosa.
    Qualquer tentativa de antecipar de 2023 para agora a negociação dos pedágios, cheira falcatrua, é ilegítima.

  8. ademir
    quarta-feira, 5 de agosto de 2015 – 20:03 hs

    OLHA A PERGUNTA: VOCÊ ACHA QUE AS ESTRADAS ESTÃO MELHORES HOJE COM AS EMPRESAS DE PEDÁGIO ?…é claro que sim….! A PERGUNTA DEVERIA SER…..vc acha que essas empresas de pedágio que estão ai deveriam permanecer administrando as rodovias do paraná ? ai a resposta seria 99,99% NÃO….pra ser uma pesquisa séria…

  9. VLemainski - Cascavel
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 9:56 hs

    Essa pesquisa foi feita dentro das concessionárias?…
    Difícil de acreditar… 79% não é fácil de engolir…

  10. PARANAENSE
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 10:50 hs

    PORQUE NÃO SE FAZ UM PLEBICITO ,PESQUISA NÃO É
    CONFIAVEL POIS SE MANIPULA RESULTADO .

  11. antonio carlos
    quinta-feira, 6 de agosto de 2015 – 17:56 hs

    Os pagadores de pedágio devem ser todos malucos, acreditar que novos pedágios e as promessas de sempre, de que as rodovias serão duplicadas só enganam as almas por demais parvas. Acorda gente, vocês estão insistindo de ter mais do mesmo? Não estão sentindo no bolso as consequências desta teimosia? Na província o piá de prédio enfiou os pés pelas mãos, e em Pindorama a Mulher Sapiens também não está deixando barato, vocês querem mais disto? Eu não, pedágio é golpe, coisa de gente safada compromissada só com os próprios interesses.

  12. MAURICIO MAGALHÃES PIOLI
    terça-feira, 17 de maio de 2016 – 23:10 hs

    O preço do pedágio é completamente incompatível com o serviço oferecido. No trecho Curitiba-Paranaguá o asfalto é muito ruim e irregular. Comparando-se a novas estradas da Turquia, onde as pistas são triplas, por extensões muito maiores, onde os acidentes geográficos são fatores dificultadores muito mais radicais do que aqui, o preço cobrado por aqui é um verdadeiro assalto.

  13. Roberto
    segunda-feira, 27 de junho de 2016 – 13:40 hs

    Na turquia teremos beneficio farmacia para animais domésticos???

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*