Ney Leprevost quer lei de combate à dengue | Fábio Campana

Ney Leprevost quer lei de combate à dengue

mail.google.com

O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania,
protocolou projeto de lei para combater e prevenir à proliferação do
mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue e Febre Amarela, no Paraná.

Segundo a lei os proprietários ou responsáveis por imóveis particulares
comerciais, indústrias, terrenos baldios, laminadoras de pneus, postos de
recebimento de pneumáticos, borracharias, depósitos de material, inclusive
material reciclável e de construção, comércios de ferro-velho e sucatas,
empresas de veículos sinistrados e de leilões de carros e peças, empresas
fabricantes e instaladoras de calhas, empreiteiras da construção civil,
empresas de transportes de passageiros e cargas, garagens e estacionamento
de veículos, matadouros e cortumes, cemitérios, floriculturas e similares;
além de outros estabelecimentos públicos ou privados a critério da
autoridade sanitária de interesse em relação ao controle da proliferação
do mosquito Aedes aegypti, ficam responsáveis por contribuir no processo
de prevenção e controle da proliferação do mosquito Aedes aegypti.

De acordo com dados da Secretaria de Estadual da Saúde, entre 2011/2012
foram registrados 2.400 casos de dengue no Estado, 92% a menos que o mesmo
período entre 2010/2011, quando 28.511 foram confirmados. A redução também
foi constatada no número de casos graves que caíram de 233 para 22. Em
relação às mortes a queda foi de 93% (15 óbitos em 2010/2011 e um em
2011/2012).

No período de agosto de 2012 a julho de 2013, foram confirmados 54.716
casos de dengue, destes 54.487 casos foram diagnosticados como dengue
clássica (forma leve da doença), 147 casos como Dengue Com Complicações
(DCC) e 82 casos como Febre Hemorrágica da Dengue. 23 pessoas morrem por
dengue no período.

Foram confirmados entre a primeira semana de agosto de 2013 até a primeira
semana de 2014, 19.628 casos, sendo 18.741 casos autóctones e 887 casos
importados. Nove pessoas morreram no período.

Entre a primeira semana de agosto de 2014 e a primeira semana de agosto de
2015, foram confirmados, 32.176 casos por laboratório, sendo 30.436 casos
autóctones e 1.740 casos importados. Vinte e duas pessoas morreram por
dengue no período.

Segundo o deputado Ney Leprevost “a Secretaria de Estado da Saúde precisa
ampliar a visita ás casas e fazer a nebulização das regiões onde a
situação é mais preocupante. Precisamos orientar a população para eliminar
os criadouros do mosquito transmissor e não deixar acumular água em latas,
embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos,
vasos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores,
latões, cisternas, sacos plásticos, lixeiras e etc”, disse.


2 comentários

  1. QUESTIONADOR
    quarta-feira, 12 de agosto de 2015 – 12:12 hs

    -Mais uma pretensa lei para tentar onerar ainda mais o contribuinte e tirando a responsabilidade dos órgão públicos e jogando nos ombros da sociedade!!!
    -É mais ou menos como o código de prevenção de incêndio do Paraná que retira a responsabilidade do Estado no caso de algum sinistro…
    -Este deputado está começando a perder a credibilidade. Ele apresenta mais leis para um problema que o próprio estado é incapaz de resolver por incompetência, má gestão ou por desinteresse mesmo!!!

  2. Pedro Angelo
    quarta-feira, 12 de agosto de 2015 – 14:23 hs

    Amigo QUESTIONADOR. Eu acho que é melhor que o Estado multe que não está fazendo sua parte para prevenir a Dengue do que mais tarde as pessoas peguem essa doença e morram. Sou eleitor do Ney Leprevost e ele me representa na Assembleia.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*